4.1.19

Melhores Leituras de 2018


Oi gente que ama livros, hoje venho compartilhar com vocês as minhas melhores leituras de 2018. Foi um ano literário muito intenso e a grande maioria dos livros receberam 4 estrelas, porém existiram 8 livros que eu amei demais e não seria possível não dar a nota máxima e favoritar para a vida. 

Vamos conferir?

Todo Dia a Mesma Noite (Daniela Arbex) – Sem dúvida este livro foi o melhor do ano e irei me emocionar sempre que eu me lembrar desta leitura. Em um relato jornalístico muito humanizado, a autora nos leva até as famílias que perderam filhos, amigos, maridos e esposas na noite de 27 de janeiro de 2013 no que ficou conhecido como Tragédia de Santa Maria. É um livro muito bem escrito e em função da sua premissa, muito triste. Pais e mães compartilharam com a autora as últimas horas em que puderam estar com seus filhos antes deles saírem para se divertirem na Boate Kiss. A autora traz uma pincelada de como anda o processo que até hoje não levou nenhum dos responsabilizados para julgamento e relata a luta diária que é viver com a impunidade e o descaso da justiça brasileira. Foi um livro muito pessoal para mim, que me fez sofrer, ter reações e sentimentos muito fortes e por isso eu recomendo porque sei que é impossível não se sentir impactado com esta história.
Resenha AQUI

História é Tudo Que Me Deixou (Adam Silveira) – Aqui temos uma história pautada no luto. O livro começa com Griffin, um adolescente que precisa ir ao sepultamento do seu ex-namorado Theo. Além da tristeza comum a este acontecimento, sabemos que Griffin terá que conhecer o Jackson, namorado do Theo e somado a isso, Griffin se sente muito culpado porque antes de Theo morrer, havia mandado uma mensagem para o telefone dele. A escrita do Adam Silveira é melancólica, tocante e ele usa todos os artifícios para te fazer chorar, mas além disso, a história é muito bem desenvolvida. Vemos o personagem principal amadurecer através do sofrimento e ter que entender que fatalidades fazem parte da vida. Eu adorei me emocionar com esta história e a recomendo sem medo de errar.
Resenha AQUI

Eleanor Oliphant está Muito Bem (Gail Honeyman) – Antes de começar a falar deste livro, preciso apenas dizer que ele foi a maior surpresa do ano para mim. Isso porque quando comecei a ler, eu imaginava que era um chicklit e que iria me divertir durante a leitura, mas, na verdade, este enredo traz um drama pesadíssimo. Aqui temos a Eleanor, uma mulher com uma vida bem sistemática quanto ao seu dia a dia o que nos faz pensar que talvez ela tenha alguma síndrome que dificulte a sua comunicação e relacionamentos. Porém, pouco a pouco, a autora vai nos dando pistas sobre fatos do passado da protagonista que nos derrubam em um abismo complicado de sofrimento. O livro tem alguns momentos engraçados em função da personalidade da Eleanor, mas não se engane, quando começamos a entender as motivações dela, é impossível não ficar tenso e com medo do que podemos descobrir. É um livro bem escrito, original, forte e que sem dúvida, precisa encontrar um lugar no seu coração. Eu adorei.
Resenha AQUI

Fique Comigo (Ayobami Adebayo) – Eu não estava nada animada para ler este livro e nem os muitos elogios que ouvi sobre ele me estimulavam a conhecer esta história, no entanto, desde o momento em que o abri, fui engolida por uma história que envolve drama familiar, história de amor, golpes políticos e um desfecho bem melancólico. Aqui temos uma mulher casada há vários anos que não consegue engravidar e que do dia para a noite, vê uma segunda esposa entrar na sua vida para tentar dar ao marido o que a família espera. É uma cultura bem diferente da nossa pois este enredo se passa na Nigéria, mas, ainda assim, é uma história que conversou muito comigo quando analisei a questão das expectativas alheias sobre a minha vida. É um livro bem impactante e tão envolvente que é capaz de você sentar para ler e só levantar quando concluir a leitura.
Resenha AQUI

It - A Coisa (Stephen King) – Quando eu ouvia que este livro era o favorito da vida de algumas pessoas, eu questionava como que um livro de um palhaço psicopata poderia ser tão bom ao ponto de alguém dizer que era o melhor da vida. Quando assisti ao filme em 2017 e saí do cinema absurdamente eufórica pela história que o roteiro trouxe, eu decidi que precisava ler o livro e após a leitura, consigo entender porque muitas pessoas consideram este livro uma obra-prima. Temos aqui 7 crianças que são perseguidas pelos próprios medos que se personifica na figura de um palhaço assustador. Eles crescem e precisam voltar a combater este terror e em um vai e vem bem desenvolvido entre passado e presente, temos uma história muito forte, aterrorizante, mas simplesmente perfeita. Confesso que a conclusão me deixou um pouco decepcionada, mas a jornada em si, a leitura de todo o livro até o final, foi uma experiência muito intensa e sem dúvida, uma das melhores leituras do ano para mim.
Resenha AQUI

Dando um Tempo (Marian Keyes) – Não é segredo para ninguém que sou muito fã da Marian Keyes e quando comecei a ler este livro, eu já estava predisposta a adorar a leitura. Mas ainda com a expectativa alta, eu consegui me surpreender com uma história simples, mas cheia de brilho. Aqui temos uma mulher de meia idade em que o marido decide dar um tempo no casamento e viajar por 6 meses. Ela tem que assumir a casa, a educação das 3 filhas, tentar administrar a saudade do marido e novas portas que se abrem para ela. E falando de Marian Keyes, é obvio que temos muitas situações cômicas e que me arrancaram gargalhadas escandalosas, entretanto, também existe reflexão sobre temas sérios como aborto e fidelidade. Enfim, foi um livro incrível e que me fez lembrar porque gosto tanto das histórias que esta autora conta e porque sempre lerei seus livros.
Resenha AQUI

O Ódio que Você Semeia (Angie Thomas) – Quando começaram os primeiros elogios para este livro eu não dei a mínima. Porém, como os elogios nunca pararam – o livro ainda está hypado pra caramba – eu decidi dar o braço a torcer, mas apenas depois de ver o trailer da adaptação que o livro ganhou para os cinemas. E nenhum elogio foi realmente justo para com este livro. No enredo temos um jovem negro sendo morto por um policial branco e a Starr, a melhor amiga do menino que morreu, se dá conta que precisa usar sua voz para defender a memória do amigo. O livro traz o racismo como tema principal da narrativa e este tema é muito bem desenvolvido, nos dando a verdadeira noção do que é ser um privilegiado ou não. Personagens fortes e bem construídos fizeram com que esta leitura se tornasse uma das melhores do ano. Infelizmente, a distribuição do filme nas salas brasileiras foi ridícula. Poucas cidades receberam a produção e a maioria delas ficou em shoppings elitizados, por isso, pouca gente viu o filme. Eu ainda não pude vê-lo, mas sigo aguardando o DVD ou a disponibilização em algum serviço de streaming.
Resenha AQUI

Um Milhão de Finais Felizes (Vitor Martins) – Estava bem animada com esta leitura e claro, foi incrível. Aqui temos um jovem homossexual que tem aspirações em se tornar um escritor, mas enquanto isso não acontece, ele trabalha em uma cafeteria temática e se apaixona por um dos fregueses. Acontece que ele é de uma família em que a mãe é uma evangélica fervorosa e que o pai é um preconceituoso de carteirinha por isso, a vida do nosso protagonista que a propósito chama-se Jonas, não é a mais fácil do mundo. O livro aborda a homossexualidade de forma muito natural e a história se passa em São Paulo com várias referências bacanas da cidade e isso me aproximou demais da narrativa. Além disso, temos o tema da amizade inserido com muita seriedade no texto, o que agregou bastante para mim. Sem dúvida o Vitor é um dos melhores autores nacionais e ler seu livro foi um dos pontos altos de meu ano literário.
Resenha AQUI

Estes foram os melhores livros do ano para mim e espero que você tenha gostado da minha lista. Deixe nos comentários quais foram os seus livros favoritos. Vou adorar conferir e se eu não tiver lido, vou incluir na minha lista de leitura também.

Beijos

2 comentários:

  1. Olá!
    Da sua lista, só li O Ódio que Você Semeia (que realmente teve uma distribuição lamentável) e Um Milhão de Finais Felizes, e eu amei MUITO os dois! Concordo que o Vitor é um ponto muito alto na jornada literária <3
    Beijos,
    http://ofantasmaliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Quantas leituras boas. Eu tenho muita vontade de ler O ódio que você semeia. Ano passado li muita coisa boa. Acho que, de tudo que li, não teve um único livro que me fez pensar que ele era totalmente dispensável.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir