26.6.20

Manda na minha Estante #11 Colleen Hoover


Oi gente que ama livros, hoje é dia da coluna Manda na Minha Estante, que consiste em compartilhar o meu amor por alguns autores com vocês. A autora do mês é a maravilhosa Colleen Hoover, uma escritora norte-americana que começou a escrever romances de forma independente e atingiu números de vendas impressionantes.





Qual o primeiro livro dela que você leu? Foi Um Caso Perdido. O livro nos traz a Sky, adolescente prestes a completar 18 anos. Sky é a filha adotiva de Karen, mulher muito carinhosa e responsável, que adotou Sky quando ela tinha 5 anos de idade e Karen ainda era bem jovem. Karen educou Sky em casa e por ser completamente contra tecnologia, Sky não teve acesso à televisão, internet e nem mesmo telefone, mas sempre teve o direito de ir e vir e tem uma melhor amiga, a Six. Ambas convencem Karen que será ótimo para Sky fazer o último ano do ensino médio em uma escola formal e assim Sky é matriculada no colégio. Porém Six vai para um intercâmbio na Itália e Sky terá que enfrentar este ano na escola sozinha. Sky não tem boa fama entre as adolescentes do bairro porque já beijou vários meninos e os levou para seu quarto, mas o que ninguém sabe é que estes encontros ousados nunca passaram de beijos frios e sem emoção, uma vez que Sky não sentia atração por nenhum dos meninos com quem já ficou até conhecer Holder e então, sua perspectiva mudar completamente.

Qual o último livro dela que você leu? Foi Verity. O livro nos traz a Lowen, escritora que está atravessando uma fase difícil da vida, falida e totalmente insegura em relação ao próprio talento. Após o falecimento da sua mãe, ela se encontra sozinha, cheia de dívidas e decide aceitar o trabalho de ser coautora de Verity Crawford, escritora best seller que não poderá concluir uma série de muito sucesso devido a um acidente. Para isso, ela terá que morar na casa da escritora que está acamada e conviver com o marido dela, Jeremy e o filhinho do casal. Quando Lowen começa a trabalhar nas anotações e manuscritos de Verity, descobre que ela estava escrevendo uma autobiografia e ao ler este trabalho, tem acesso a confissões muito sérias sobre a vida da autora. Sua consciência pede que ela mostre tudo aquilo a Jeremy, mas ao mesmo tempo percebe que ele sofre por causa das circunstancias que o assolaram nos últimos tempos.




Um livro dela que não pode deixar de ler esse ano? Quero muito ler Métrica, o primeiro lançamento da autora no Brasil. 
Sinopse: Após a morte do pai, a ausência torna-se a maior companheira de Lake. A responsabilidade pela mãe e pelo irmão a congelam em um limbo de luto e dor. Por fora, ela parece corajosa e tenaz; por dentro, está perdendo as esperanças. E se mudar do único lar que conheceu não ajuda em nada. Agora em uma nova casa, em uma nova cidade, ela precisa achar seu caminho e um rapaz apaixonado por poesia pode ser o guia perfeito. Quando conhece o novo vizinho, Layken imediatamente sente uma intensa conexão. Algo que finalmente parece desanuviar um pouco sua realidade. Mas o caminho da verdadeira felicidade não é feito de tijolos dourados e logo uma revelação atordoante faz o novo relacionamento ser bruscamente interrompido. O dia a dia vai se tornando cada vez mais doloroso à medida que eles se esforçam para encontrar um equilíbrio entre os sentimentos que os aproximam e as forças que os separam.

Hora do hype: um livro superestimado dela: Sem dúvida foi Tarde Demais. O livro nos traz a Sloan, uma garota universitária de 20 anos que veio de uma família bem desestruturada. A mãe era relapsa e ela tem um irmão menor autista que sempre foi negligenciado. Ela cuidou dele até aonde pde e depois o encaminhou para uma instituição onde receberia um cuidado especializado, mas essa instituição era paga. Nessa época ela conhece o Asa, um rapaz bonitão que se encantou por ela da mesma forma e como ele tinha meios financeiros de ajudá-la, Sloan aceitou. Porém, logo ela descobriu que o dinheiro de Asa vinha do tráfico de drogas e além disso, ele começou a demostrar um comportamento agressivo e extremamente doentio. O livro começa com Sloan totalmente dependente de Asa. Apesar da violência constante e de Sloan ter medo de enfrentá-lo e perder a ajuda que ele dá ao irmão, ela constantemente imagina como seria a sua vida longe daquele inferno. Ela mora com Asa em uma casa ocupada vinte e quatro horas por dia por traficantes. Eles festejam, bagunçam e articulam seus esquemas de drogas lá e além de se manter calada, Sloan tem que limpar e organizar a casa toda. Isso acaba desgastando-a fisicamente e em uma aula de espanhol em que está quase cochilando, ela conhece o Carter, universitário bonitão e os dois se aproximam.

Os queridinhos: qual seu top 3 dela?

  • Talvez Um Dia
  • Todas as Nossas Imperfeições
  • Um Caso Perdido⠀⠀⠀⠀⠀
Sem fôlego: um livro dela que te surpreendeu? Foi O Lado Feio do Amor pelas cenas sensuais que até então desconhecia na sua obra. O livro nos traz a Tate, enfermeira que vai morar no apartamento do irmão, o Corbin, para fazer mestrado e trabalhar naquela região. No dia em que ela se muda para o apartamento do irmão, piloto de aviões e trabalhando fora da cidade, encontra um jovem completamente bêbado na porta do apartamento. Tate liga para o irmão para avisá-lo e ele a orienta a levar o rapaz para dentro, pois é um dos seus melhores amigos, o Milles. Tate faz o que o irmão pede e arrasta o jovem para dentro do apartamento. No dia seguinte existe um mal-estar entre os dois, mas eles se sentem profundamente atraídos e se envolvem. Porém Miles estabelece duas regras: ela nunca poderá perguntar sobre seu passado e nunca deverá esperar um futuro com ele e assim, é estabelecido um relacionamento apenas baseado em sexo. O livro é escrito sob dois pontos de vista, o de Tate na atualidade e o de Milles, seis anos antes. Nesta parte, capítulo por capítulo, Milles nos conta o que o traumatizou e o impede de não se entregar ao amor até os dias de hoje.

Não, não acaba: qual livro dela você queria uma continuação? Acho que Novembro 9 porque apesar do final fechado, não explicou como um determinado personagem pagaria pelo crime cometido no início do livro. O livro nos traz a Fallon, garota de 18 anos que infelizmente teve parte do seu corpo e rosto queimados enquanto passava uma noite na casa do pai. Até o dia desta tragédia, 9 de novembro de dois anos atrás, Fallon era uma atriz de sucesso em um seriado para adolescentes e sua aparência era algo fundamental. Depois do acidente, ela perdeu o seu contrato e teve que reinventar a sua vida, além de carregar um profundo ressentimento pelo pai. Cansada da própria tristeza que a persegue, decide ir embora de Los Angeles no exato dia em que o acidente completa 2 anos, porém conhece Ben horas antes de partir, um jovem que quer ser escritor e a atração entre os dois é muito intensa. Ben apoia a mudança de Fallon e eles fazem um acordo: nos próximos 5 anos, se encontrarão uma vez por ano, no dia 9 de novembro. Sendo assim, nem trocam telefones ou outra forma de contato, apenas deixam marcado que no próximo ano, se encontrarão no mesmo lugar e na mesma hora. Ben deverá escrever uma história de amor sobre isso e Fallon deverá perseguir seus sonhos enquanto a história é produzida. O livro se desenvolve nestes encontros anuais, sendo que cada um deles traz uma novidade para a história e amadurecimento do casal. A cada dia 9 de novembro, eles se reencontram e as contingências da vida os ajudam, mas também podem atrapalhá-los. Vemos os dois personagens se abrirem cada vez mais para a paixão e amor que sentem um pelo outro.

Qual seu personagem favorito dela? Foi a Auburn do livro Confesse. As primeiras páginas do livro já são de arrancar lágrimas: Auburn e Adam estão se despedindo. Eles têm 15 e 16 anos respectivamente e Adam está no estágio final de um câncer. Eles começaram a namorar antes que Adam recebesse o diagnóstico e ainda moravam em Portland, mas com a descoberta da doença, a família dele decidiu levá-lo para Dallas. Neste momento final, Auburn largou tudo em Portland para ficar ao lado do namorado, mas nem a família dele nem a dela apoiam o fato dela largar sua vida em função deste amor. Então Adam morre e ela volta para a sua vida. Um intervalo de cinco anos se passa e reencontramos Auburn de volta a Dallas, preocupada com as finanças e desesperada por um segundo emprego porque ela precisa de uma boa quantia em dinheiro para pagar um advogado. Nessa busca, ela vai ao estúdio de arte do Owen, artista plástico que produz telas a partir de confissões: as pessoas escrevem confissões em pedaços de papel, ele lê e encontra inspiração para pintar. Owen precisa de uma assistente para a exposição que fará naquela noite e assim, ele e Auburn se conhecem.

Qual a capa mais bonita de um livro dela publicado no Brasil? É a capa de Talvez Um Dia, que é também meu livro favorito da autora. O livro nos traz a Sidney, universitária que divide o apartamento com a melhor amiga, Tori e está em um relacionamento sério com o Hunter há dois anos. Da varanda do seu apartamento ela sempre escuta e assiste o vizinho do prédio da frente Rigde tocar violão no começo da noite, o que sempre a ajuda a estudar e até inspira um instinto criativo para compor letras para as canções que ele interpreta no violão. No dia de seu aniversário de 22 anos, Sidney descobre que Hunter e Tori estão em uma relação de sexo casual juntos e isso destrói sua confiança nas pessoas. Sem ter para onde ir, Ridge a acolhe em seu apartamento e ela descobre que ele é o responsável musical por uma popular banda e que se encontra em bloqueio criativo. Juntos, Sidney e Ridge começam a compor novas canções para a Sounds of Cedar, a banda que é composta basicamente pelo irmão caçula do Ridge e amigos próximos. Ridge é apaixonado pela namorada Maggie e Maggie é uma pessoa simplesmente maravilhosa. Quando percebe que a amizade entre ele e Sidney está transpondo limites, Ridge luta com todas as forças para não trair a lealdade de Maggie.

Enfim, pude esmiuçar um pouquinho da obra maravilhosa desta autora. Se você nunca leu nada dela, comece agora porque sem dúvida, é uma autora que merece a atenção e o amor de todos os leitores.

Beijos

6 comentários:

  1. Olá Ivi,
    Adorei esse quadro. Amo conhecer os autores favoritos dos outros, e entender como esse amor começou. E foi isso que esse quadro me passou.
    Aliás, li somente dois livros da autora e minha experiência não foi surpreendente, e como ela sempre gera muita expectativa eu tenho medo de pegar outro e não me prender tanto.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Oiii,

    Eu tenho alguns da Collen na minha estante, e olha amo viu? Ela me deixa no chão, porque né? Ela não sabe brincar, só sabe acabar com os sentimentos da gente kkkkkk Eu acho que a autora que eu mais tenho na minha estante é a autora de IAN, isso porque o livro tem uns 300 livros né? kkkkkkkk Eu acho que tenho 15 livros da série. Mas tirando ela, a autora que eu tenho mais variedades é Cassandra Clare, e eu amo ela! Tenho quase tudo o que ela já escreveu kkkkk.

    Beijinhos...
    http://www.equipenerd.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá, como vão as coisas por aí?

    Adorei a ideia do post! Eu só li Verity, até o momento, da autora e gostei bastante. Estou curioso para descobrir que sentimentos outras de suas obras irão me proporcionar haha. Não sabia que ela havia começado a publicar seus livros de forma independente. Ela é um sucesso!

    Abraços! 😍
    Acampamento da Leitura

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ivi!
    Desde que eu Um Caso Perdido, eu fiquei apaixonada pela escrita da Colleen Hoover. Hoje já li diversas histórias dela, mas a trama de Sky continua sendo a minha favorita. No entanto, tive uma conversa recentemente sobre Tarde Demais - que a princípio, tinha gostado bastante - e percebi alguns detalhes tanto nele como em outros livros da CoHo que começaram a me incomodar. Decidi então dar um tempo para eles, para não chegar em um ponto que eu não consiga mais ler nada dela. Por isso ainda nem li Verity e pretendo deixar para o futuro.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/2020/06/resenha-morte-invisivel-livro-2.html

    ResponderExcluir
  5. Oi Ivi, tudo bem?

    Adorei esse quadro! Parece que a iniciação de todo mundo em Collen Hoover foi com "Um caso perdido", né? Li esse livro há alguns anos mas confesso que não lembro de NADA da história, mas lembro do sentimento de ter ficado estarrecido com o desfecho! Depois li "Nunca Jamais" que a Collen escreveu com a Tarry Fisher e nunca mais li nada dela.

    Ela voltou ao cenário literário com força e ta super hypada no meio, haha, to até com vontade de ler algo dela novamente!

    Beijos!
    http://www.marcasliterarias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi Ivy, como está?
    A CoHo é aquele caso de autora que ou tu ama ou tu odeia e não tem a mínima vergonha de se aventurar em vários gêneros diferentes. Daqui a pouco ela tá escrevendo terror, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://www.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir