28.5.19

Viagem #33 Flórida - Parques Universal - Kelly Silva


Há três parques no complexo Universal: o Universal Studios, o Island of Adventures e o aquático Volcano Bay (que eu contarei em outro relato, dedicado aos parques aquáticos). Nosso primeiro parque escolhido foi o Universal Studios e eu já gostei antes de entrar especificamente no parque devido Universal CityWalk: ambiente lindo, várias opções de restaurantes, lojas e até cinema.

Ao entrarmos no parque, fomos a parte de atendimento para explicar sobre a minha deficiência e me deram o Attraction Assistance Pass” (AAP) com o qual eu poderia entrar nos brinquedos sem pegar fila. Este documento pode ser usado por até seis visitantes, então nós quatro íamos nos brinquedos no mesmo momento, o que foi muito legal e também otimizou bastante nosso tempo.

O parque é dividido em 7 áreas e um dos primeiros brinquedos que fomos foi o Despicable Me Minion Mayhem, um simulador com os Minions. Minha mãe (fã do desenho) adorou e nós também curtimos, é fofo! A Revenge of the Mummy é uma montanha russa no escuro cheia de efeitos especiais e foi um dos melhores brinquedos desse parque para mim.

O simulador Transformers: The Ride-3D também é MUITO legal, assim como o Fast & Furious – Supercharged (de Velozes e Furiosos, com direito a holografia e um detalhe no ônibus que me deixou bastante surpresa) e o do MIB (Men in Black Alien Attack, em que tínhamos que acertar os aliens com pistolas a laser e pontuação).

A parte dos Simpsons é muito bonita, imperdível para os fãs da família de Homer. O brinquedo (The Simpsons Ride) é um bom simulador, mas não entra para a lista dos meus favoritos.

Não encarei a montanha russa Hollywood Rip Ride Rockit porque só gosto de montanhas russas no escuro ou em ambientes fechados, mas minha irmã gostou bastante. A novidade dela é a possibilidade de escolher a trilha sonora entre os gêneros Classic Rock/Metal, Rap/Hip-Hop, Club/Eletrônica, Pop/Disco ou Country (seis músicas em cada gênero) e cada poltrona conta com alto falantes individuais para ouvir a música escolhida.

A parte Diagon Alley é imperdível para os fãs de Harry Potter pela quantidade de detalhes referentes aos filmes, até eu que não curto e nunca vi os filmes tudo achei super bem feito, inclusive levei um susto com o dragão cuspindo fogo em determinados momentos. O brinquedo nessa parte é o Harry Potter and the Escape from Gringotts, com estrutura de montanha russa, mas eu achei mais parecido a um simulador e gostei bastante!

Em alguns brinquedos que apresentam travas diferentes por exigirem maior segurança, há uma poltrona para que os visitantes testem o fechamento da trava, o que otimiza tempo e evita constrangimentos, pois só entram na fila aqueles que realmente poderão utilizar o brinquedo.

Como nossos ingressos nos davam quatorze dias consecutivos de acesso ilimitado aos parques, fomos uma noite somente para conhecer o Hogwarts Express (trem que liga os parques e simula o mencionado em Harry Potter). A fila já é bem caracterizada e a simulação apresenta imagens bem interessantes.

Nessa mesma noite, pudemos conferir o The Nighttime Lights at Hogwarts Castle, com efeitos de projeção, luzes e música que mostram as quatro casas descritas no livro. O espetáculo é lindo, vale a pena! Uma dica importante é que após às 18 h (como fomos nesse dia), o estacionamento é gratuito. Nos demais horários, o valor cobrado é de US$ 25 por dia.

No nosso terceiro dia nos parques, fomos conhecer mais do Islands of Adventure e um dos primeiros brinquedos foi o The Amazing Adventures of Spider-Man, que eu já fui predisposta a gostar porque adoro o Homem Aranha. Há momentos em que ficamos “pendurados” pela teia, em outros sentimos o fogo, adorei o simulador, muito bom mesmo!

O Skull Island: Reign of Kong é um simulador baseado no filme King Kong e muito bem feito, levei vários sustos! Como adoro brinquedos com queda na água, o Jurassic Park River Adventure vai para a lista dos favoritos, pois além de nos sentir no filme devido ao extremo detalhamento, o brinquedo molha mesmo, o que eu valorizo demais.

Destaco também o Harry Potter and the Forbidden Journey, localizado dentro do castelo, apresenta detalhes do filme e inclusive hologramas já na fila. O simulador é super bem feito e nós tivemos ainda mais emoção, pois o brinquedo parou por uns dois minutos (até acenderam as luzes) para depois voltar a funcionar normalmente.

Apesar de tirar foto na entrada, não encarei a montanha russa do Hulk (The Incredible Hulk Coaster), mas segundo a minha irmã é a melhor montanha russa que ela já esteve, então indico para os quem tenham a coragem que eu não tive.

Queria encontrar o Homem Aranha para tirar fotos, mas infelizmente não o encontrei. Só vimos o Capitão América, mas a fila para fotos estava grande e preferimos curtir os brinquedos.

Acho que nem preciso dizer que adorei os parques! Todos os simuladores são bem detalhados, com direito a sensações (quente no caso de incêndio, gotas de água ao cair / entrar em um rio ou lago e cheiros de alimentos ou plantas, por exemplo), fiquei encantada porque me senti realmente com os personagens ou nos filmes. Escolhemos os brinquedos por prioridade e preferência, mas tive a impressão de que poderia entrar em qualquer fila que curtiria o brinquedo.

Além disso, o principal ponto positivo do parque para mim foi a acessibilidade, pois pude percorrer o parque e entrar em todos os brinquedos sem dificuldade, o que como deficiente física é muito importante e demonstra preocupação dos responsáveis pelo parque para que todos os visitantes possam se divertir da mesma forma.

Se eu voltaria? COM CERTEZA! J

No próximo relato, contarei sobre os parques da Disney e o tão esperado encontro da minha mãe com o Mickey.

Se você perdeu o primeiro post da viagem da minha viagem, pode conferir abaixo:

Flórida - Orlando AQUI

Um comentário:

  1. Que demais Kelly!!! Já curiosa pra saber do encontro da Silvia com o Mickey!!

    ResponderExcluir