17.9.21

Séries do meu coração #56 Call me Kat


Oi gente que ama livros, hoje venho com mais um post da coluna Séries do Meu Coração e compartilharei com vocês meu amor por mais uma série apaixonante.

A série do mês é Call me Kat.

Meu interesse pela série surgiu porque é uma produção do Chuck Lorre, mesmo idealizador de The Big Bang Theory, traz a atriz Mayim Bialik no papel da protagonista e tem Jim Parsons como produtor. Logo, não me faltavam motivos para conferir a produção, que demorou muito para chegar ao Brasil.

A série traz a Kat, uma mulher de 39 anos que investiu todo o dinheiro deixado pelo pai na abertura de um café temático de gatos, em que além de servirem café em xícaras de gatos e tem toda a decoração gatuna, é um espaço onde pessoas podem adotar gatinhos de ruas. Kat fez esse investimento a contragosto da mãe, que queria que ela guardasse o dinheiro para seu futuro casamento, porém, como Kat não tem namorado e nem previsão de que isso aconteça, abre o Café e tem excelentes e divertidos amigos como funcionários. A Amizade inclusive é um ponto muito bem explorado na série porque Kat tem uma rede de apoio formidável, o que lhe dá segurança e estabilidade em um mundo que questiona a todo momento a solidão de uma mulher que não se casou e vive bem profissionalmente com suas escolhas.


Um diferencial da série é que Kat conversa o tempo todo com o telespectador, quebrando assim a quarta parede e nos fazendo íntimos de seus pensamentos. Apesar dela não saber se um dia se casará, reencontra uma antiga paixão de faculdade, Max (vivido pelo galã Cheyenne Jackson) logo no primeiro episódio, mas ele deixa bem claro que só quer a amizade de Kat.


A série é um remake da original Miranda, série inglesa com o perfeito Tom Ellis, nosso querido Lúcifer, no elenco, outro motivo para que me interessar pelo remake. Confesso que o remake americano me fez rir mais, mas no geral é uma série leve, divertida, com piadas rápidas e simples, que tem como objetivo apenas o entretenimento. O episódio final da primeira temporada foi concluído de forma a criar expectativa para a temporada seguinte, que inclusive já foi renovada.

Enfim, gostei muito e valeu a espera. Estou torcendo para que faça muito sucesso ao redor do mundo, inclusive no Brasil e tenha muitas temporadas.

Trailer

Um comentário:

  1. Boa a abordagem dessa cobrança que ainda existe em cima das mulheres que não se casam, não tem filhos, e preferem focar em outros aspectos da vida. A sociedade ainda cobra muito das mulheres nesse sentido e isso precisa ser abordado.
    Fora que na série tem gatos, então a fofura é garantida.

    Danielle Medeiros de Souza
    danibsb030501@yahoo.com.br

    ResponderExcluir