10.2.20

Séries do Meu Coração #33 Ninguém Tá Olhando


Oi gente que ama livros, hoje venho com mais um post da coluna Séries do Meu Coração e compartilharei com vocês meu amor por mais uma série apaixonante.

A série do mês é Ninguém Tá Olhando.

“A vida não é aleatória por acaso”. A curiosa frase do novato Angelus - Uli é uma boa maneira de definir a experiência humana diante de conceitos abstratos como propósito e destino. Afinal, quer questão mais primordial do que a dúvida se estamos seguindo um roteiro pré-determinado ou se realmente somos dotados de livre arbítrio? Por isso, a piada não poderia ser mais perfeita para descrever essa série da Netflix. A partir do olhar ainda inocente do seu protagonista, a comédia usa o humor para propor reflexões interessantes sobre a imprevisibilidade da existência e, por que não, rir do ridículo que se esconde em nossos tabus.

Usar a comédia para discutir temas existenciais não é exatamente uma novidade, mas a trama brasileira Ninguém Tá Olhando parte de uma mitologia particular e efetivamente demonstra fôlego para desenvolvê-la.

Aqui, criaturas como anjos da guarda são reais, mas talvez não como você as imaginaria. Esqueça os cachos loiros, olhos azuis e as imponentes asas. Aliás, abandone de vez o termo “anjo”. Os Angelus têm cabelos vermelhos, asas meramente decorativas e usam um uniforme padrão: gravata vermelha, camisa branca e calça preta. Todos os dias, eles acompanham um humano selecionado pela misteriosa figura do Chefe e seguem quatro regras básicas que, se quebradas, podem levar à punição máxima. Quer dizer, ao menos era isso o que todos pensavam até a chegada de Uli.


Desde o princípio, o primeiro Angelus a ser gerado em 300 anos para o 5511º Distrito não concorda com os códigos, nem se encaixa ao modelo de repartição pública de trabalho. Logo, quebrar uma regra era apenas questão de tempo. Porém, a surpreendente ausência de punição leva o novato a descobrir que talvez ninguém esteja os observando de verdade. Sem supervisão do Chefe, Uli se aventura pelos dramas da humanidade e arrasta com ele dois veteranos, Greta e Chun, para ajudar as pessoas à sua maneira.

O trio funciona muito bem na série, tanto do ponto de vista da performance quanto do roteiro. Além da clara química entre os atores, as diferentes reações dos seus personagens diante da liberdade trazem linhas narrativas bastante ricas. Greta mergulha em uma vida de excessos e, de repente, se vê enfrentando o inesperado medo da finitude. Uli, completamente entregue a uma paixão proibida, descobre do jeito mais difícil os limites da privacidade. Chun, o mais resistente de todos, se vê em um dilema tenso: romper com as normas e o que sempre disseram ser o certo ou se manter preso a uma ilusão. Em outras palavras, quanto mais convivem com as pessoas, mais os Angelus passam a se perceber também como humanos.


Essa proposta, aparentemente densa, toma ares leves através do humor bobo e cheio de trocadilhos dos diálogos. Embora as piadas não emplaquem de primeira, a comédia caricata e inocente se prova a porta de entrada ideal para temas como estes, tidos por vezes como tabus. Não à toa, aos poucos o espectador se pega também refletindo sobre a própria existência, certamente, um dos grandes méritos da produção.

Felizmente, a série sabe amarrar muito bem as pontas soltas e deixa não apenas uma ótima premissa para uma possível segunda temporada, como saudades dos atrapalhados personagens. 

Eu amei.

Confiram o trailer:

10 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Não conhecia essa série ainda, mas fiquei bem curiosa para assistir, principalmente porque parece ser hilária, rsrs. Adorei a dica!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. A verdade é que estou super atrasada no quesito séries e filmes , mas já gostei! Assisti duas séries nesse ano ( uma ainda em andamento) mas não tinha visto essa. Gostei muito de conhecer , com certeza já está na fila :)

    um beijo

    www.chuvanojardim.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Eu tinha assistido ao trailer e não fiquei muito curiosa, mas suas impressões me deixaram com vontade de dar uma chance, vou colocar na lista para assistir futuramente.

    ResponderExcluir
  4. Olá Ivi, tudo bom?
    Nunca tinha ouvido falar dessa série, acredita? Achei bem bacana a premissa e apesar de não ser algo muito original, adoro comédia usadas para discutir temas existenciais. Anotei a dica e espero poder conferir em breve! <3
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá tudo bem?
    Eu tinha visto o trailer dessa série assim que a Netflix anunciou o lançamento, porém nunca cheguei a me interessar de fato. Fiquei empolgada com a sua resenha e o fato de você ter gostado tanto, talvez eu deva da uma segunda chance para essa série. Dica mais que anotada :)

    ResponderExcluir
  6. Já tinha ouvido falar dessa série. Achei ela bem interessante. Ela está na minha lista de futuras séries pra ver. Só não sei ainda quando chego nela.

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia essa série, mas irei dar uma olhada com mais calma, pois parece ser uma história que pende o telespectador. Fiquei interessado.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem?

    Eu já conhecia essa série por meio de outros blogs, mas infelizmente não é uma série que me desperta atenção, principalmente pela atriz principal, mas fico contente que a série te conquistou e também por você estar valorizando a cultura nacional.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. A Ana (outra adm dosite) assistiu essa série e adorou, não faz meu estilo, mas é ótimo quando uma obra nacional realmente nos ganha né? Fico feliz que a premissa tenha te conquistado!

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Eu vi essa série pra passar o tempo, mas acabei fazendo várias reflexões enquanto assistia, isso já é um ponto muito positivo para a produção.
    Beijos

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir