16

A Marca de Uma Lágrima (Pedro Bandeira)

Ficha Técnica:
Autor: Pedro Bandeira
País de Origem: Brasil
Número de Páginas: 94
Ano de Lançamento: 1987
ISBN-13: 9788516035402
Editora: Moderna
SKOOB | GOODREADS

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 50º livro lido em 2017 e foi A Marca de Uma Lágrima (Pedro Bandeira). Esta foi a minha terceira escolha para a Maratona de Releituras e eu o escolhi porque lembro que foi um livro que adorei ler na época da escola e imaginei que reencontrar este enredo e estes personagens seria algo bem positivo.

O livro nos traz Isabel, uma garota de 14 anos que tem uma auto-estima baixíssima. Ela considera o seu reflexo no espelho, o seu mais cruel inimigo e a imagem que tem de si mesma é muito negativa. Ela se acha feia, gorda e desinteressante. A narrativa inicia-se com um convite para ela ir à festa de aniversário de seu primo Cristiano que está de mudança para a cidade onde Isabel mora. Ela convida Rosana para ir com ela nesta festa e ao rever Cristiano, Isabel se apaixona por ele, porém ele se interessa por Rosana. Deixada de lado na festa, ela conhece Fernando, um garoto da mesma escola que ela que se mostra muito atencioso para com Isabel, mas não o suficiente para que ela esqueça Cristiano.


A parte romântica do livro irá se desenvolver então em Isabel assistir e ajudar Cristiano e Rosana a engatarem um namoro. Ela acaba escrevendo cartas para que Rosana entregue para ele, e ele, como não consegue escrever as respostas para a namorada, pede que Isabel responda, sem saber que ela é a responsável pelas palavras que Rosana assina.

Paralelo a este plot romântico, temos um assassinato na escola. A diretora Albertina aparece morta em sua sala e tudo indica que ela cometeu suicídio porque havia veneno em suas mãos. Mas Isabel acredita que é uma grande mentira, porque ela sabe que alguém esteve no laboratório do colégio e mexeu nos venenos, então um mistério se instala dentro do enredo.


Infelizmente a releitura do livro não me envolveu como na primeira vez que li. Para começar a protagonista é insuportavelmente chata e dramática. Ela consegue se colocar por baixo em qualquer situação, mesmo que muitas pessoas ao seu redor digam que ela é inteligente. Já a questão do suspense da morte da diretora é até interessante, mas é tudo muito rápido e pouco consistente. Existe uma reviravolta no final, tanto no romance quanto no mistério, o que valorizou um pouco a narrativa, mas no geral, tudo foi solucionado rapidamente, o que deixou muitos buracos na trama.

Realmente esta é uma leitura que não é pra todo mundo. Acredito que o público mais jovem possa imergir nesta história de uma forma menos exigente e consiga se envolver com os personagens e a trama de uma maneira que adultos não consigam. Então, minha recomendação para a leitura é realmente para um público mais adolescente, em que uma leitura rápida e sem grandes desenvolvimentos seja o ideal.


Imaginei que poderia gostar mais, mas não gostei tanto assim. Acho que deveria ter ficado com a imagem que eu tinha do livro quando o li aos 13 anos. Algumas coisas realmente não funcionam da mesma forma independente da época que você as leia e foi esse o caso.

Spoiler: Uma cena inicial deste livro me incomodou muitíssimo e eu passei grande parte da leitura considerando isso. Isabel com 14 anos está em uma festa de adolescente e bebe 3 copos de uma bebida alcoólica. Ela fica tonta e bêbada. É beijada por um menino que sabe que ela está alcoolizada e que no final, é considerado um herói. Essa questão do menino beijá-la sabendo que ela estava bêbada me causou uma aversão forte e eu sinceramente não sei como que interpretei isso quando li o livro pela primeira vez, mas agora, adulta, não enxergo isso de forma normal. Para mim foi abuso!!!


Um pouco sobre o autor: Pedro Bandeira de Luna Filho nasceu em Santos-SP, no dia 9 de março de 1942. Tornou-se um escritor premiadíssimo através da literatura infanto-juvenil e é com certeza o autor deste gênero mais vendido no Brasil, (vinte e três milhões de exemplares até 2015). É também palestrante e especialista em letramento e técnicas especiais de leitura. Alguns dos seus livros publicados são:
  • A Droga da Obediência
  • A Droga do Amor
  • A Hora da Verdade
  • A Marca de uma Lágrima
  • Anjo da Morte
  • Brincadeira Mortal
  • Descanse em Paz, Meu Amor
  • Droga de Americana!
  • É Proibido Miar
  • Gente de Estimação
  • O Fantástico Mistério de Feiurinha
  • O Grande Desafio
  • O Medo e a Ternura
  • O Poeta e o Cavaleiro
  • Pântano de Sangue
  • Prova de Fogo
  • Rosa flor e a Moura Torta
Comentários
16 Comentários

16 comentários:

  1. Ola
    Estou adorando poder acompanhar a sua maratona de releituras. Acho que as vezes é bom a gente ficar com uma imagem da história de quando éramos novos porque as vezes um tempo depois a gente se decepciona mesmo. Uma pena que agora você não conseguiu se envolver tanto :(
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem?
    Não consigo fazer releituras acredita? Realmente por medo de acabar me decepcionando com um livro que eu amei, Não conhecia o livro fiquei bastante curiosa com a premissa que envolve suspense e romance mas tenho medo de não gostar por causa do que você disse da protagonista, mas irei ver se faço a leitura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Ivi!

    Eu me lembro vagamente da capa deste livro, mas não acredito que tenha realizado essa leitura. Confesso que a trama me deixou minimamente interessada, mas não o suficiente para que eu queira lê-lo por agora. É uma pena que a leitura não tenha sido proveitosa para você dessa vez.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Adoro releituras, mas não é todas as vezes que elas são completamente maravilhosas, as vezes as sensações são diferentes, até mesmo porque nossos pensamentos amadurecem.

    Nunca li esse livro, mas já está adicionado a listona de desejados haha!!
    Parabéns pelo post. Beijão!!

    https://bloggmundodoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Ivi
    Interessante ler sua resenha. Lembro que amei ler esse livro na época que li, mas não sei se teria a mesma reação agora, anos depois, assim como você.
    Isso mostra o quanto os livros nos marcam de formas tão diferentes.
    Adorei ler a sua resenha. Além de lembrar de alguns detalhes, foi bom ver sua impressões.
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ivi!
    Faz anos que li esse livro. Lembro que o reli uma vez e chorei da mesma maneira que dá primeira vez.
    Depois de anos, acredito que se eu vier a fazer uma nova releitura possa ser como foi com você. Vou deixar só na memória a leitura desse livro. rsrs...
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi.
    Tenho esse livro e sei que li na época da escola, mas não lembro nada sobre o enredo e nem se gostei ou não.
    Mas foram os livros desse autor que fizeram com que eu me apaixonasse pela leitura, aos 9/10 anos, com a série Os Karas. Por isso tenho um carinho especial por ele.
    Mas não sei se releria suas obras, justamente porque pelo que me lembro, o enredo é bem juvenil e não crível. Hoje, com o olhar mais crítico, eu creio que já não gostaria tanto.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oie! Tudo bem?

    Guria acredita que nunca li nada desse autor? Sla todos falam muito bem das obras, mas nunca senti vontade de conhecer as histórias de perto, mas concordo com você que muitas vezes é preferível ficar com a visão do livro quando o lemos pela primeira vez do que reler e não gostar!

    BJss

    ResponderExcluir
  9. Oi Ivi, tudo bem?
    Ainda não conhecia esse título, mas tenho o costume de associar os livros do Pedro Bandeira a leitores mais jovens, sabe? Apesar de você dizer que acha que o livro funciona melhor para leitores jovens, acho que ele pode funcionar e muito pra mim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oie, tudo bom?
    Adorei saber que está relendo algumas obras! Estou fazendo isso também, é engraçado ver como nossa perspectiva muda, né? Minha leitura atual é a saga PODEROSA, que li quando tinha lá meus 10 aninhos.

    ResponderExcluir
  11. Oi...
    Eu já li muito Pedro Bandeira nessa minha vida! Quando tinha uns 12 , 13 anos vivia na biblioteca lendo suas publicações... Bateu uma nostalgia agora rsrs...
    Gostei bastante de sua resenha e sobre o spoiler, também considero um abuso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi Ivi, tudo bem?
    Eu li esse livro umas duas ou três vezes quando era adolescente, do tanto que gostei kkk. Ainda tenho vontade de reler, mas só para uma leitura despretensiosa mesmo, porque ele é realmente voltado para um público bem jovem.
    Uma pena que você tenha se decepcionado com a releitura, mas eu entendo seu ponto de vista.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. A Marca de uma lágrima é um dos meus livros favoritos do Pedro Bandeira. Me apaixonei por esse livro quando ainda estava no ensino médio e acho que você soube explana-lo bem na sua resenha.Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Oi Ivi... Pedro Bandeira foi um dos autores que mais me acompanhou na minha infância, acredita?
    Não conhecia essa obra dele e para ser sincera achei a temática, apesar de condizendo ao seu estilo, o misterio e tudo mais, meio pesada, não sei.

    Acredito que eu não leria esse livro por agora, até pq tbm nao ando tendo paciência para protagonistas insuportáveis kkkkk

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  15. Acho que nunca li nada do Pedro Bandeira, acredita? Tem um livro dele que sempre quis ler muito e meio que a vida toda fixei nele e não dei chance para mais nenhum, huahuah!

    Acredito que o livro continua o mesmo... Mas você não é a mais a menina de 13 anos. Ainda mais com um livro tão antigo, com morais da época. Evoluímos todos, graças! Algumas histórias são atemporais, mas essa que você releu acredito que não... Eu fiz a mesma coisa há um tempo atrás com um livro ou filme, não sei... Ah, foi um filme, Bonequinha de Luxo. Tipo, eu não o vi quando era mais nova, mas analisei o filme e ele simplesmente não cabe na sociedade de hoje. Eu não gostei nenhum pouco, huahuha!

    Abraços!
    As meninas que leem livros

    ResponderExcluir
  16. Oie, tudo bem?
    Eu confesso que leituras nacionais são meio difíceis mesmo, todo mundo tem aquele preconceitozinho, e outra, a linguagem rebuscada também acaba atrapalhando bastante a leitura, assim como você comentou, é para poucos.
    Eu não conheço nada do Bandeira, não que eu me lembre, mas pretendo colocar mais livros nacionais na minha estante em breve.
    Beijocas.

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014