A Traveler at the Gates of Wisdom (John Boyne)

domingo, 16 de janeiro de 2022

Ficha Técnica:
Nome Original: A Traveler at the Gates of Wisdom
Autor: John Boyne
País de Origem: Irlanda
Número de Páginas: 441
Ano de Lançamento: 2020
ISBN13: 9780593230152
Editora: Penguin

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 114º livro lido em 2021 e foi A Traveler at the Gates of Wisdom (John Boyne). Já que nada mais é publicado do autor em território brasileiro, fui atrás de um dos seus últimos lançamentos que eu ainda não havia lido e encarei as mais de quatrocentas páginas em inglês. 

Em A Traveler at the Gates of Wisdom, John Boyne traz um menino sensível que cresce à sombra de um pai violento e aspira ser um artista. À medida que amadurece, ele tem mais sucesso como artista do que como ser humano e ao ser traído por um primo de quem é próximo, ele é consumido pela necessidade de vingança. O enredo nos é contado ao longo de dois milênios de história. Em cada um de seus 50 capítulos, o narrador sem nome, e os personagens que o cercam como pai, mãe, irmão e primo, são reencarnados em diferentes lugares e períodos históricos, movendo-se da Roma antiga para a Ásia Menor, da África ao Afeganistão do século VI, da Islândia do século 10 para a Londres elisabetana, do Japão durante o shogunato Tokugawa e passando pelo Brasil no início da sua colonização. Os trajes e o cenário mudam, mas o conjunto essencial de relações permanece o mesmo.

Ao longo do livro, o personagem central preocupa-se principalmente com a percepção de seu destino como criador. O “filho intensamente criativo” da Roma antiga permanece consistentemente dotado ao longo da história registrada, esteja ele “perdido no puro êxtase da criatividade” como costureiro na Coreia do século IV, ou trabalhando como fabricante de amuletos itinerante na Groenlândia, esculpindo os Budas Bamiyan em Cabul, ou ganhando aplausos de Sir Walter Scott por sua ficção histórica. Não importa onde ou quando ele está, ele sempre executará trabalhos ligados a criatividade e essa inspiração vem sem muita explicação.


Seus relacionamentos não têm sucesso. Personagens tendem a morrer em desastres naturais ou serem horrivelmente assassinados a cada poucas páginas por isso é importante não se apegar muito a ninguém. Eu mesma fiquei em choque com diversas baixas no enredo.

Para mim foi uma experiência de leitura alucinante e original, eu me senti viajando por dois mil anos de história humana e familiar, em uma narrativa épica, com várias camadas e ambiciosa que, inicialmente, admito, me deixou ansiosa e preocupada por não me envolver tao instantaneamente como em outros livros do autor, mas como em um quebra-cabeça, algumas das peças começaram a se encaixar uma após a outra, conforme as conexões começaram a se tornar mais transparentes. Começa no mundo romano na noite em que Jesus Cristo nasceu e viaja por várias conjunturas da história e eventos mundiais, claramente reconhecíveis mesmo quando os nomes mudam com o tempo. A história envolve uma infinidade de nações e aventuras, os terrores e horrores da desumanidade do homem para com o homem através dos tempos, os ciclos sem fim de nascimento e morte e mais morte. Entretanto há muita esperança necessária nas partes finais da narrativa, uma esperança de que tanto precisamos ao olhar para o mundo ao nosso redor agora.

Este é um romance inteligente, complexo e desafiador, porém cativante e envolvente, ainda que os primeiros capítulos tenham me causado estranheza. No entanto, é atemporal, perspicaz e instigante, retratando claramente a natureza universal, duradoura e imutável da família e das emoções humanas ao longo do tempo, ao mesmo tempo que nos fala de maneira eloquente sobre nossos tempos contemporâneos turbulentos. 


Fico aqui torcendo para que ele seja publicado no Brasil e que seja amado pelos leitores como eu amei!


Um pouco sobre o autor:
Um pouco sobre o autor: John Boyne nasceu na Irlanda em 30 de abril de 1971, foi professor de inglês em instituições importantes no Reino Unido, mas foi na escrita que se encontrou como profissional. 

Seus livros publicados no Brasil são:

O Menino do Pijama Listrado
O Garoto do Convés
O Palácio de Inverno
Noah Foge de Casa
O Pacifista
O Ladrão do Tempo
Tormento
A Coisa Terrível Que Aconteceu com Barbaby Brocket
Fique Onde Você Está e Então Corra
Dia de Folga (Conto)
A Casa Assombrada
Uma História de Solidão
O Menino no Alto da Montanha
As Fúrias Invisíveis do Coração
Uma Escada Para o Céu

Mais sobre o autor AQUI

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ivi Campos

45 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Resenhas

Filmes

Meus Livros

Músicas

Youtube


Arquivos

Twitter

Filmes

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.