14.9.21

Cinco Estrelas Book Tag


Oi gente que ama livros, hoje venho com a Cinco Estrelas Book Tag que tem como objetivo indicar livros que amei muito e dei cinco estrelas por motivos diferentes. 

Vamos conferir?

1 – Um livro cinco estrelas que não foi favoritado 
A Dança dos Dragões (George R. R. Martin). Eu amo demais a série As Crônicas do Gelo e Fogo e tenho meu livro favorito dentro da série, mas este em especial, foi um livro que gostei demais e é, sem dúvida, merecedor de cinco estrelas, porém não favoritei por um detalhe que o mantém muito ligado ao livro anterior. Neste volume, descobrimos o que aconteceu fora de Porto Real, Dorne e Vilavelha. Muitas questões abordadas apenas superficialmente em O Festim dos Corvos, foram agora aprofundadas e esclarecidas. Ao mesmo tempo, fui bombardeada com novas e estonteantes revelações, que me fizeram lembrar o quanto o autor é realmente imaginativo e ousado na construção de suas tramas. Uma característica muito forte nesta série é que os personagens têm arcos próprios e muito bem desenvolvidos, suas histórias estão entrelaçadas a outros personagens e por isso a história se torna muito rica de detalhes e acontecimentos. Isso faz com que nenhum personagem seja insignificante, pois cada um tem um papel a desempenhar, seu paraíso e inferno particular e não tem escrúpulos para fazer o que for necessário para conseguir o que se deseja. Neste volume, vemos isso tão perfeitamente que chega a doer os olhos. É como se A Dança dos Dragões soprasse as névoas que atrapalhavam nossa visão e tudo começa a ficar mais claro agora. O que não significa que podemos ter a pretensão de tentar adivinhar alguma coisa vinda do autor, até porque acredito que nem ele saiba o que se passa na sua cabeça. É mais como um entendimento maior de tudo que aconteceu para que a história chegasse até aqui.

2 – Um livro cinco estrelas que não merecia essa nota, mas você deu mesmo assim
Sessão da meia-noite com Rayne e Delilah (Jeff Zentner). Talvez eu tenha dado cinco estrelas porque me debulhei em lágrimas nas páginas finais, mas isso já não é um bom motivo??? Enfim… O livro nos traz duas jovens prestes a terminar o ensino médio, Josie e Delia. As duas são amigas desde a infância e juntas apresentam um programa no canal de TV regional que traz os filmes de terror mais bizarros do mundo. Todas as semanas elas interpretam duas irmãs, Rayne e Delilah e embora o programa dê mais prejuízo que lucro, é uma grande diversão para as duas. Após uma troca de e-mails, o produtor Jack Divine aceita conversar com elas em uma convenção de filmes de terror que acontecerá em Orlando e as duas decidem ir, cheias de esperança em um investimento ou até um novo contrato. Josie está focada nesse objetivo, mas Delia quer ir para Flórida porque descobriu que seu pai mora perto do local em que será a convenção e ambas partem para lá com o namorado de Josie. O livro é um misto de sentimentos grandiosos. A narrativa do autor nos apresenta duas amigas que se amam muito, mas possuem objetivos e realidade de vidas diferentes e precisam se esforçar muito para que a amizade não sofra com as mudanças que a vida impõe. Isso é tratado com muita sensibilidade, conseguimos entender os dois lados desta relação, a motivação de cada uma e torcer pelas duas de igual modo.

3 – Um livro cinco estrelas que te surpreendeu
Cidade das Garotas (Elizabeth Gilberth): Eu sabia que ia gostar, mas favoritar foi uma grande surpresa para mim. O livro nos traz Vivian Morris, uma jovem de 19 anos que não sabe o que quer da vida. Abandona a faculdade e vai morar com a tia Peg no seu teatro decadente chamado Lily Play House. Lá conhece atores, coristas, dançarinas, escritores e grandes estrelas do teatro mundial e ao lado da amiga Celia, se aventura em uma Nova York cheia de festas, bebidas e amor livre. Vivian não demora muito para integrar a equipe de artistas do teatro com seu talento para roupas. Com sua máquina de costura, ela desenha e constrói figurinos lindíssimos que aumentam o brilho das estrelas e dos espetáculos. Ainda assim, o teatro é pobre e em meio a segunda guerra mundial, mal paga suas contas, mas surge a oportunidade de um novo espetáculo chamado Cidade das Garotas que coloca o espaço dentro da cena artística da noite da cidade que nunca dorme. Conviver com tudo aquilo dá uma profissão a Vivian, bem como amigos e uma história cheia de aventuras a serem contadas. Já nos primeiros parágrafos, o livro nos deixa claro que Vivian está contando a história de sua vida para alguém chamado Angela. Não sabemos quem é a destinatária deste relato e por vezes a história é tão fluida e desenvolvida de modo tão natural, que esquecemos que tudo é uma imensa carta, depoimento ou testemunho. Apenas nos capítulos finais temos consciência de quem é Angela e a importância dela para o enredo. Até este ponto eu havia construído muitas hipóteses de quem poderia ser essa personagem, mas errei em todas minhas deduções, o que me surpreendeu positivamente por humanizar ainda mais a protagonista, que a princípio pode ser julgada por ser relapsa, mimada ou inconsequente, mas escreve a sua própria história de forma muito honesta e verdadeira.

4 – Um livro cinco estrelas de um gênero diferente do que você costuma ler. 
It - A Coisa (Stephen King): Não sou de ler terror, mas sem dúvida, It é um livro cinco estrelas, favoritado que amo e sempre panfletarei porque é perfeito!!! Quando ouvia que este livro era o favorito da vida de algumas pessoas, eu questionava como um livro de um palhaço psicopata poderia ser tão bom ao ponto de alguém dizer que era o melhor da vida. Quando assisti ao filme em 2017 e saí do cinema absurdamente eufórica pela história, decidi que precisava ler o livro e após a leitura, consigo entender porque muitas pessoas consideram este livro uma obra-prima. Temos sete crianças perseguidas pelos próprios medos que se personificam na figura de um palhaço assustador. Eles crescem e precisam voltar a combater este terror e em um vai e vem bem desenvolvido entre passado e presente, temos uma história muito forte, aterrorizante, mas simplesmente perfeita. Confesso que não esperava muito da conclusão porque o autor não é bom para terminar suas histórias, mas, ainda assim, penso nesse livro como perfeito do começo ao fim.

5 – Um livro cinco estrelas de não-ficção 
Todo Dia a Mesma Noite (Daniela Arbex). Tenho muitos livros que dei cinco estrelas e não são de ficção, mas este é particularmente especial para mim. O livro traz uma reportagem sobre a tragédia de Santa Maria que aconteceu na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013, na qual 242 jovens morreram após o incêndio da boate em que estavam. A boate Kiss, uma das favoritas da juventude da cidade, pegou fogo após um membro da banda que se apresentava acender um sinalizador no palco, que atingiu a espuma que revestia o teto do local para abafar o som. Em função do local não ter saídas de emergência e da dificuldade da multidão encontrar a saída, uma vez que as luzes se apagaram, a grande maioria das mortes ocorreu devido a fumaça tóxica que a queima da espuma gerou. A narrativa do livro não é linear e isso causa uma sensação de confusão muito grande no leitor, mas tenho a impressão que foi de propósito para deixá-lo desorientado ao ler os depoimentos, como se estivesse vivendo aquela noite também. Foi a impressão que tive e compartilho com vocês que o livro, extremamente bem escrito e muito emocionalmente narrado, nos faz ter sensações muito intensas: dor, calor, sede, tristeza, revolta e também esperança. Eu senti tudo isso enquanto lia e foram poucas as páginas em que eu não chorei desoladamente ao conhecer um pouco da intimidade daqueles jovens. Quando somos impactados por algo grande e doloroso assim, nos atemos algumas vezes somente as estatísticas: quantos morreram? Quantos se salvaram? Quantos culpados? Quantos, quantos e quantos. Números que muitas vezes são usados apenas para nos chocar. Mas quando cada um destes números ganha nome, profissão, curso e sonhos, a estatística perde força e a empatia fica mais fácil e íntima.

6 – Um livro cinco estrelas que valeu o hype
O Ódio que Você Semeia (Angie Thomas). Quando este livro foi lançado, só se falava nele e ainda bem que foi bem divulgado e promovido porque é tudo o que falaram e mais um pouco. O livro nos traz a Starr, uma adolescente negra que mora na periferia com sua família. Seu pai já foi preso por ter assumido o crime de outra pessoa e apesar de todos ao seu redor serem honestos e muito legais, moram em um bairro que está infestado de gangues envolvidas no tráfico e violência, o que reafirma o estereótipo que negros e bandidos é algo comum. Apesar dessa realidade do dia a dia da Starr e da sua consciência de quem é, ela estuda em uma escola particular fora do seu bairro em que a maioria dos alunos é branca e lá ela pode ser uma outra pessoa, sem as preocupações e responsabilidades que tem em casa e no seu bairro. Até que um dia ela vai em uma festa, reencontra um amigo de infância, o Kalil, e pega uma carona com ele para casa. No caminho, o carro é parado em uma fiscalização de trânsito e o policial é bem hostil com Kalil e quando ele é retirado do carro e se volta para saber se a Starr está bem, é baleado pelo policial e morre nos braços dela. Além da perda e do trauma que toda a situação causou nela, Starr ainda tem que repensar se deve ou não testemunhar contra o policial, tendo a consciência que sua versão pode ser desqualificada pelo simples fato de ser negra. O livro é muito intenso. Apesar da linguagem fluida e da intimidade que a autora cria com o leitor, sabemos que estamos lendo um enredo pertinente, forte, que precisa ser refletido e discutido. Os personagens são muito bem desenvolvidos. Os pais de Starr são pessoas muito críveis e é fácil se identificar com seu discurso, mesmo que não vivamos essa problemática. O pai de Starr tenta a todo momento ser um exemplo e apesar do passado complicado, faz questão que os valores e princípios sejam praticados a todo momento pelos filhos. Starr tem dois irmãos, cada um com seu arco próprio e podemos ver o quanto o racismo é tóxico para quem tem que enfrentar essa luta todos os dias.

7 – Um livro cinco estrelas para todo mundo, menos você.
Amigas Para Sempre (Kristin Hannah). Quando este livro foi lançado, ouvi um milhão de elogios. Pessoas muito próximas a mim o elegeram como um dos melhores do mundo. Só tive a oportunidade de ler este ano em função da série da Netflix e fiquei me perguntando porque as pessoas gostaram tanto dele. O livro nos traz duas protagonistas, Tully Hart e Kate Mularkey. A primeira é linda, alegre, popular e invejada por todos, mas vive uma realidade angustiante dentro de casa. A mãe viciada em drogas é completamente relapsa, deixando a filha por longos períodos aos cuidados da avó. Já a segunda tinha uma família tradicional, carinhosa e muito bem estruturada. O caminho das duas meninas se une quando ambas têm 14 anos e se conhecem no ponto do ônibus escolar. Sem amigos e pouco popular, Kate encontra em Tully a oportunidade de ser amiga de alguém interessante e Tully encontra acolhimento em Kate, após ter sido vítima de algo muito violento. A partir dali, as duas seguem amigas e confidentes, Tully é praticamente adotada pela família de Kate e o relacionamento delas passa a ser mais intenso do que se fossem irmãs. O livro tem um final muito melancólico e foi impossível para mim não chorar de soluçar com a conclusão desta história de amizade. Fiquei extremamente comovida com o final que a autora deu para as duas amigas e embora desejasse que fosse diferente, não consegui segurar as lágrimas. Minha reação me fez questionar muito nossas impressões diante de uma leitura assim. Muitas vezes me sinto compelida a dizer que o livro foi ótimo porque conseguiu me emocionar e me fazer chorar. Neste livro, consegui perceber os artifícios da autora para fazer o leitor se debulhar em lágrimas e apesar de ter chorado, isso me incomodou um pouco porque o livro conta a história de uma amizade que nem sempre foi saudável, em que uma das partes era muitas vezes abusiva e tóxica, enquanto a outra não encontrava forças para fazer valer sua voz e postura.

Essas foram as minhas escolhas para cada item da tag e quero saber quais seriam as escolhas de vocês. Deixem nos comentários porque vou adorar conferir.

Beijos

7 comentários:

  1. Queria ler As Crônicas do Gelo e Fogo para saber se eu ia gostar tanto quanto a maioria das pessoas.
    Daria a mesma classificação para It - A Coisa, pois não leio terror.
    Todo Dia a Mesma Noitedeve ser uma leitura pesadíssima, sofrida demais.

    Danielle Medeiros de Souza
    danibsb030501@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bem? Quando vejo algumas tags sendo respondidas percebo quantos livros ainda preciso conhecer e ler. Dessa lista estou curiosa pelo Amigas para sempre. Comecei a assistir a série mas ainda não terminei. Um livro que favoritei esse ano foi A seca. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  3. Oi Ivi!
    Da sua lista o único que li foi o It -A coisa, fiquei admirada com a história e em como o enredo se desenrolou, o autor está de parabéns, os outros não conhecia mas já anotei a dica, obrigado. Esse ano o único que favoritei até agora foi Crônica da casa assassinada, do autor brasileiro Lúcio Cardoso, vale a pena conferir. Amei suas tags ainda mais por conhecer novos livros, parabéns, bjs!

    ResponderExcluir
  4. Oi Ivy, tudo bem?
    Essa tag me faz lembrar de há quanto tempo eu quero ler "It" e "As Crônicas de Fogo e Gelo", mas nunca tomo coragem, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
    Os outros igualmente me interessaram, em especial o "Cidade das Garotas", já que eu adoro um belo romance com uma pitada de teatro e figurinos (culpa do Time Princess, um RPG mobile pelo qual eu sou apaixonada).
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://wwww.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oii Ivi, tudo bom?
    Talvez sessão da meia noite não merecesse cinco estrelas + favorito, mas eu também dei e foi pela emoção que o livro despertou rs
    O ódio que você semeia realmente vale todo o hype e todas as cinco estrelas que recebeu. Esse livro é extremamente necessário e bem escrito ♥
    Adorei conferir suas respostas para tag!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi Ivi!!

    Eu sou suspeita pra falar de It pois esse livro é um dos meus favoritos da vida, eu quero muito reler ele quando tiver tempo!
    Eu levei quase dois anos pra ler todos os livros das Crônicas de gelo e fogo e ainda tenho muitos sentimentos conflitantes sobre essa história, eu espero que o próximo livro saia logo, mas não consigo até hoje definir o que eu senti lendo HAHAHAHAH
    Adorei suas respostas!!

    ResponderExcluir
  7. Olá! Tudo bem? Eu gostei da sua listinha e já conhecia a maioria dos livros. Eu desisti de ler as crônicas de gelo e fogo, o autor só enrola para finalizar a série. It é muito bom! Parabéns pelo post! Adorei as respostas!

    ResponderExcluir