15.1.18

Libertada (Michelle Knight)

Ficha Técnica:
Título Original: Finding Me
Autora: Michelle Knight
Tradução: Michele Vartuli
País de Origem: Estados Unidos
Editora Fontanar
Número de Páginas: 192
Ano de Publicação: 2014
ISBN-13: 9788539005802
SKOOB | GOODREADS | Compre AMAZON

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 87º livro lido em 2017 e foi Libertada (Michelle Knight). Para encerrar o ano de 2017 eu decidi pegar um livro pequeno, menos de 200 páginas e me deparei com este aqui na estante, pegando poeira nem sei desde quando.

O livro traz a história de vida da autora que foi uma das três mulheres mantidas sequestradas por mais de 10 anos em Cleveland, Ohio. Este crime chocou todo o mundo quando em 2013 este cativeiro foi estourado pela polícia, libertando as reféns. Michelle que foi a primeira a ser levada para viver enclausurada por Ariel Castro, um homem que na ocasião do sequestro tinha quarenta anos e após sua libertação, decidiu colocar em um livro a sua experiência absurdamente violenta, vivida naquele inferno.

Antes mesmo do sequestro, Michelle não tinha uma vida fácil. De origem muito pobre, suas primeiras lembranças da infância foram morando em uma velha Kombi, dividindo o espaço minúsculo com mais dois irmãos menores e seus pais.

Depois eles foram morar em uma casa com mais outros parentes e ainda muito nova, com cerca de 5 ou 6 anos, Michelle foi violentada por um de seus familiares. Essa tortura seguiu até sua adolescência, quando ela em seu limite de sofrimento, decidiu fugir de casa, indo viver nas ruas, dependendo da ajuda de igrejas que serviam refeições e chegando a morar na casa de um traficante, até ser encontrada por seu pai e levada de volta.

Ela acabou engravidando com 18 anos e só depois de se tornar mãe é que teve coragem de lutar contra todas as forças para impedir que os abusos físicos que ela era submetida. Seus pais haviam se separado anos antes e um namorado da mãe dela estava morando na mesma casa que ela, seus irmãos e seu filho, quando um acidente doméstico aconteceu com ele e por causa disso, ele acabou indo parar em um lar adotivo provisório. E foi em uma das audiências para recuperar a guarda do filho, que ela acabou se perdendo, entrando em um estabelecimento comercial para pegar informações e sendo abordada por Ariel Castro que falou que conhecia o endereço que ela precisava ir e se dispôs a dar uma carona. Mas não pensem que ela foi muito inocente em aceitar a ajuda de um estranho porque na verdade, Ariel era o pai de uma de suas colegas de escola e ela simplesmente confiou. Assim, ele não a levou para o endereço que prometeu, mas para o porão de sua casa e lá a manteve por 11 anos, com toda sorte de violência.

Quando Michelle completava um ano de cativeiro, outra jovem se juntou a ela, Amanda Berry e embora os primeiros anos elas tenham ficado em quartos separados, ela sempre soube que a violência que ele infringia, era igual para as duas. Alguns meses depois de Amanda estar presa na mesma casa de Michelle, Ariel Castro sequestrou uma terceira jovem, Gina DeJesus e esta sim, dividiu o mesmo quarto com Michelle, as mesmas correntes e uma assistia os estupros constantes que aquele monstro executava na outra.

Amanda Berry - Gina DeJesus - Michelle Knight

Como puderam perceber, é uma história muito forte! Eu imaginava que existiriam cenas de violência e a descrição de toda a angústia pela qual estas meninas passaram, mas ainda assim, não estava pronta para ler tudo o que li. Não que a autora tenha se aprofundado em descrições detalhadas, mas ainda assim, o panorama geral foi muito sofrido de se ler.

Casa do sequestrador

O sequestrador mantinha uma vida normal do lado de fora da casa. Ele era divorciado e vez ou outra seus filhos visitavam sua casa e nestes momentos, ele acorrentava as meninas e as amordaçava para que elas não fizessem barulho. Durante os 11 anos de cativeiro, existiram dias em que ele levou Michelle para o lado de fora da casa, com peruca e roupas camufladas, mas isso nunca chamou a atenção de nenhum vizinho. E durante todo este tempo, ela engravidou 5 vezes do sequestrador, sendo que abortou todas as vezes em função das surras que ele lhe dava e da fome que ele a fazia passar.

Amanda Berry também engravidou e chegou a ter a filha dentro do cativeiro e a pequena Jocelyn chegou a sair algumas vezes da casa com Ariel, mas quando ele percebeu que ela poderia contar para alguém a realidade da sua vida, ele parou de levar a menina para passear.

Certo dia Ariel esqueceu uma das trancas internas aberta e Amanda que vivia constantemente separada das outras duas reféns, conseguiu chegar até a porta da frente e gritar desesperada por ajuda, fazendo com que um vizinho chamasse a policia. Quando a policia chegou, soltaram todas elas e se depararam com um lugar sujo, com correntes que durante 11 anos foi o inferno de três seres humanos.
Após a libertação e a prisão de Ariel castro, as meninas, agora mulheres, foram levadas para o hospital e Michelle precisou ficar lá por mais tempo que todas, inclusive para uma cirurgia de reconstrução facial, pois ela havia apanhado tanto no rosto que sua mandíbula e nariz haviam se quebrado em alguns pontos.

A família de Michelle nunca insistiu com as autoridades para que ela fosse encontrada, uma vez que ela já havia fugido de casa na adolescência, eles acreditavam que por ela ter perdido a guarda do filho, havia desistido de viver ali. Mas as outras duas famílias nunca desistiram e o reencontro foi muito emocionante.

O livro apesar de pequeno e de ter uma narrativa bem fluida, é extremamente difícil de ser lido. Eu parei em vários momentos para me desconectar da história porque em algumas cenas, eu me flagrei chorando desesperada por causa da situação destas meninas.

Após a leitura, descobri que havia um filme baseado nesta história e ele está disponível na Netflix com o nome de Sequestros em Cleveland e como o livro é um filme difícil de ser assistido, mas que é bem fiel á historia verdadeira e os atores escalados, apesar de pouco famosos, deram muita vida ao enredo.

Enfim, se você gosta de experiências reais e tem uma boa dose de estômago forte para encarar uma narrativa difícil, eu recomendo o livro. Michelle Knight faz um apelo durante a escrita sobre estarmos atentos ao que acontece ao nosso redor. Ela sempre questionou o fato dos vizinhos de Ariel Castro nunca ouvirem os gritos que as meninas davam ou até mesmo o choro de bebê. Ela salienta que qualquer atividade estranha ao nosso redor merece nossa atenção porque algum crime pode estar sendo cometido perto de nós, mas nossa indiferença nos impede de denunciar.

Foi uma leitura difícil e violenta, mas eu gostei de conhecer a história da Michelle e acredito que quem gosta de relatos assim, também ira gostar.


Um pouco sobre a autora: Michelle Knight é americana e atualmente trabalha com culinária. Durante 11 anos foi vitima de um sequestro, mas hoje está lutando da após dia para ser uma mulher com uma vida normal.

23 comentários:

  1. Nossa, realmente forte a história, somente pela resenha me senti agoniada, mas eu gostaria de ler sim, vou colocar na lista!

    Bjs, Dri

    https://deixeclarear.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  2. Heiii, tudo bem?
    Uauuu, que histórias fortes!
    Como vc disse, tem que estar preparando para encarar relatos e histórias assim.
    Ainda nao sabia do livro, mas fiquei interessada por saber mais e ler na integra.
    Otima dica de leitura, apesar das cenas intensas.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  3. Fiquei impressionada com tamanha crueldade do homem, realmente uma história muito forte. Mas fiquei bem curiosa quanto a leitura, como não tenho o livro vou dar uma olhadinha no filme, espero curtir.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oiee Ivi ^^
    Eu ainda não conhecia esse livro, e não me lembro desse caso (apesar de achar que cheguei a ver algo sobre quando aconteceu). Por mais que goste de livros com histórias mais reais e tudo o mais, acho que não conseguiria ler este. Tenho um limite para aguentar a maldade humana, e só de ler a sua resenha eu já me senti angustiada *-*
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br/2018/01/a-vida-sexual-das-gemeas-siamesas.html

    ResponderExcluir
  5. Eu não sei se teria estômago para essa leitura, só de ver reportagens sobre isso, já me sinto triste, hoje mesmo vi uma de um casal que manteve 13 filhos em cativeiro por anos, eu não consigo imaginar como alguém consegue ser tão cruel a ponto de fazer isso, felizmente elas foram resgatadas, leitura emocionante.

    ResponderExcluir
  6. Olá...
    Adorei sua resenha!
    A leitura parece ser bastante densa e complexa e traz muitos assuntos para se refletir. Parece ser uma leitura interessante, mas, não estou preparada psicologicamente para ler algo assim no momento...
    Bjo

    ResponderExcluir
  7. Nossa, que resenha maravilhosa, quero muito ler esse livro e agora que sei que existe um filme na netflix irei correndo assistir,realmente a dor que essas mulheres passaram deve ter sido terrivel e confesso que estou até receosa de fazer a leitura,

    ResponderExcluir
  8. Nossa, eu nem tenho palavras para dizer depois dessa resenha.
    Imagina o tanto de sofrimento que essas mulheres passaram, realmente um livro muito forte e que quem não tem um pouquinho de nervos de aço, não vai mesmo conseguir ler.
    Apesar de dolorosa, adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  9. Ótima resenha. Não sabia da existência desse livro, apesar de ser uma história real muito forte, acredito que eu leria sim, pois no final elas conseguiram ser libertadas.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Essa é daquelas leituras de deixar a gente com o coração apertadinho e torcer para um final digno para essas personagens né?!
    Não conhecia a trama, mas já me interessei.
    Dica anotada e excelente resenha!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  11. Só tenho que dizer Uaaal, que livro! Eu gosto de livros assim reais. Amei sua resenha, amei a historia do livro, já vou colocar como desejado no skoob

    Bruna
    http://www.divagandopalavras.com

    ResponderExcluir
  12. Sim, é uma história bem forte, densa, admito que tenho medo de narrativas assim, difícil acreditar que o ser humano é capaz de tamanha crueldade.
    Mas eu aceito a dica porque sou curiosa, não dispenso uma história real...mesmo sabendo qeu vou chorar horrores e que a tensão vai ser grande.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ivi!
    É uma história realmente forte, eu li sua resenha bastante apreensiva, é algo que não sei se teria estômago pra ler...
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bom?

    Meu Deus, eu não consigo imaginar o sofrimento que essas três mulheres sofreram durante anos! Como pode existir um monstro assim? Não sei se eu teria coragem de ler, ou de assistir o filme, você realmente é muito corajosa. Eu li o livro "Quarto", da Emma Donoghue e gostei bastante, mas era ficção, apesar de parecer com essa história.
    Uma coisa que você falou e fiquei realmente pensando é: como ninguém percebeu isso antes? Como pode ele ter trancada três mulheres durante anos e ninguém desconfiar? É bom saber que, pelo menos, elas saíram com vida e o sofrimento, ao menos o físico, acabou. Não é uma história feliz, mas termina bem sabendo que o tormento delas terminou!

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  15. Olá! Meu deus, eu estou extremamente impactada após a leitura dessa resenha, agora fico imaginando como eu estaria se lido o livro em si. Sem dúvidas, não é um livro para qualquer um, mas me deixou bastante interessada. Anotarei a dica! E a resenha ficou incrível. Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Oi! Nossa, lembro que vi algo por alto uma vez sobre esse sequestro, mas quando a gente pega os detalhes assim como você descreveu, não tem como não se sentir impactada. É muita tristeza para um ser humano...
    Adica anotada!

    ResponderExcluir
  17. Oi, Ivi

    Nossa, eu tenho certeza que realmente deve ser um livro bem difícil de ser lido. Não lembro de conhecer esse caso... eu lembro daquele com uma menina só, agora não me lembro o nome dela, mas desse não lembro.
    Uma pena eu não ter Netflix, se não veria o filme hoje mesmo. Vou ver se tem no YouTube.
    E realmente a gente tem que ficar atento ao que acontece ao nosso redor!

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  18. Oi, Ivi ♥
    Meu deus que história, em? Eu lembro quando uma vez fizeram um documentário com elas da Discovery. Eu era nova então não tinha muita dimensão do que estava acontecendo. Me lembrou um pouco 360 dias de cativeiro. Como sou uma pessoa extremamente emotiva, você sabe rsrs com toda certeza iria chorar lendo esse livro, mas fiquei curiosa ao saber que ele está no Netflix vou da uma olhada. Imagina o quanto essas mulheres não sofrerão? Meu coração chega até a apertar. Sua resenha ficou maravilhosa.Beijos

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    Caraca, que forte.
    Eu queria muito ler esse livro, mas ao mesmo tempo não sei se terei estômago para tanto. Por ser uma situação real, imagino o quanto deva ser difícil concluir a leitura.

    ResponderExcluir
  20. Oie Ivi,

    Menina... eu já senti agonia lendo a resenha. Uma das coisas mais difíceis é encontrar uma trama assim e que tenha um bom final. Como eu assisto muito a netflix então vou tentar dá uma chance. Principalmente, quando falam de mulheres que estão sofrendo e merecem ser vistas.

    Beijos, Amandita

    ResponderExcluir
  21. Olá!
    Não posso nem imaginar como deve ter sido para essas moças todos esses anos de horror. Não sei se teria estômago para ler esse livro justamente por causa disso. Adorei a sua resenha e acho que você conseguiu passar grande parte da emoção que você sentiu ao ler a obra.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Oi Ivi,
    Li esse livro, se não me engano, em 2016, e sentir essas mesmas sensações durante a leitura. Parei por diversas vezes também, por não conseguir seguirbem meio aí cenário criado em minha mente junto às brutalidade que encontrava na narrativa. Para mim também foi uma leitura válida, apesar de todo o ar de violência emocional que ele carrega.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  23. Olá Ivi, tudo bom?
    Tenho muita vontade de conhecer a história dessas meninas mas, sinceramente, não sei se tenho estômago para ler tudo o que a autora tem a dizer. Lembro de ter visto uma reportagem sobre o caso na tv, na época e pensado o quão bizarro era elas terem vivido daquela forma por tanto tempo e ninguém sequer desconfiar. Enfim! Assim que criar coragem vou encarar essa leitura.
    Adorei sua resenha ♥
    Beijos

    ResponderExcluir