16.12.20

Calafrio (Tayana Alvez)

Ficha Técnica: 
Nome original: Calafrio
Autora: Tayana Alvez
País de Origem: Brasil
Número de Páginas: 116
Ano de Lançamento: 2020
ISBN: B08NR5SJSV
Editora: Kindle

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 104º livro lido me 2020 e foi Calafrio (Tayana Alvez). Depois da excelente experiência com o livro O Irlandês da autora, eu quero ler tudo o que ela já publicou e parti para este livro por ser de um gênero diferente que o primeiro livro que li dela. Adianto que mais uma vez, a autora me deixou extremamente satisfeita.

O livro nos traz a Imaní, uma jovem carioca que trabalha em um centro empresarial que hospeda diversas empresas. Imaní tem uma realidade familiar complexa porque todas as responsabilidades da família estão sobre seus ombros e muitas vezes essa situação a faz desejar sumir de vez. Ela namora o Julio, um personagem que nos desperta a antipatia facilmente, ao contrário da protagonista, que nos ganha a cada linha lida.

Imaní é então sequestrada e levada para um cativeiro onde ela passará por um processo em que os criminosos chamam de “extração”, que consiste basicamente em fazer a pessoa real de Imaní sumir, e assim, ninguém mais se preocupar com seu paradeiro. O objetivo deste sequestro nos é explicado ao longo da história e a cada detalhe dito, nosso coração se preenche de apreensão.

A história se divide em “antes” e “agora”, dando um panorama para o leitor de como Imaní foi escolhida para ser a vítima deste crime, além de nos dar o backgroud da personagem e nos aproximar cada vez mais dela, desejando que a situação de terror em que ela está, acabe da melhor forma possível. 

O enredo vai então tomando formas peculiares e a narrativa não dá um minuto de paz para quem está lendo e culmina em um final simplesmente perfeito, além de ser intensamente pertinente.

Eu classificaria essa história como um thriller psicológico por nos afetar diretamente durante a leitura. Torcemos pela Imaní do “antes” mesmo sabendo que ela cairá em uma armadilha sorrateira e torcemos pela Imaní do “agora” para que não aconteça o que aconteceu no “antes”. É uma história que em um dado momento, você começa a ficar em crise consigo mesmo, imaginando o quão errado algumas conclusões podem dar e quando o final chega, alívio e reflexão são as palavras que podem definir os sentimentos do leitor.

Por se tratar de uma novela, a história é enxuta e concisa. Mas o aprofundamento dos personagens é o ponto central da trama que nos move em busca de soluções. Não existe uma abrangência grande do passado dos criminosos e nem como eles começaram a agir daquela maneira, mas ainda assim, não temos falta de respostas ou indícios para fazer os julgamentos que fazemos durante a leitura.

Transitar por gêneros distintos é uma tarefa que poucos profissionais da escrita fazem com a inteligência que a autora fez e isso me deixou completamente feliz com a leitura porque mostra que serei feliz lendo suas histórias, sejam elas as histórias que forem.

Adorei e super recomendo! Para quem gosta do gênero, é um enredo perfeito. Para quem quer conhecer a escrita da autora, não existe melhor porta de entrada. 

Eu amei!!! 


Um pouco sobre a autora:
Tayana Alvez nasceu em 1992, na cidade de Queimados – RJ. Além de passar madrugadas escrevendo, está cursando o último ano do Mestrado em Gestão na Universidade da Beira Interior – Portugal. Atualmente, mora em Dublin com o mocinho de romances com o qual escolheu se casar. Seus livros publicados são:
  • Eu Quero Mais
  • O Irlandês
  • O Casamento
  • Calafrio

Nenhum comentário:

Postar um comentário