A Natureza da Mordida (Carla Madeira)

quarta-feira, 27 de setembro de 2023

Ficha Técnica:

Nome Original:  A Natureza da Mordida
Autor: Carla Madeira
País de Origem: Brasil
Número de Páginas: 240
Ano de Lançamento: 2018
ISBN-13: 9786555872231
Editora: Record
SKOOB | GOODREADS | Compre na AMAZON

Oi gente que ama livros, hoje venho coma resenha do 73º livro lido em 2023 e foi A Natureza da Mordida (Carla Madeira). Minha experiencia com seus outros dois livors foi muito positiva, logo eu precisava ler este novo livor que embora nãos eja o seu mais novo lançamento, tem todas as caracteristicas de seu trabalho: pessoas reais, intensidade e uma narrativa visceral.

Demorei mais tempo a engrenar na leitura de “A Natureza da Mordida” do que nos dois livros anteriores de Carla Madeira que eu já havia lido: Tudo é Rio e Véspera.

Depois entendi por quê. Como parece ser já de praxe na escrita de Carla, o livro intercala vozes e estilos narrativos. Temos aqui duas narradoras: Olívia, uma jornalista, e Biá, uma senhora com sinais de demência.

Exceto pela primeiríssima anotação de Biá, que abre o livro e conta como as duas se conheceram e se aproximaram, todas as demais são incompreensíveis até que o livro termine de ser amarrado completamente, com todos os mistérios resolvidos ao leitor, sem mais pontas soltas.

É por isso que, até a página 85, eu ainda não estava muito presa à história: a narrativa de Olívia era entremeada de palavras que me pareciam sem sentido, vindas das anotações de Biá. Ou com sentidos ainda muito velados, como mensagens cifradas, que não foram escritas para nossa compreensão.

Eis que, a esta altura do livro, mais precisamente entre as páginas 94 e 157, Olívia desanda a contar sua história. Em ordem cronológica mesmo, bonitinha, até destacada com itálico. E aí, meus amigos, entrei de cabeça, mergulhei sem nem pegar fôlego antes.

Ficamos conhecendo melhor Rita, Laura, Luciana, Catarina, Violeta… personagens que vinham sendo entregues até então às migalhas, num mistério insistente.

É finalmente aí, nesta parte do livro, que descobrimos o que tanto afligia Olívia quando Biá a encontrou pela primeira vez.

Resta, então, desvendar os mistérios em torno da mulher idosa. O que aconteceu com ela? E com sua filha? Ela parece obstinada em nunca contar a ninguém seu passado, mas, mais para o fim do livro, o quebra-cabeças fica todo completo. Passamos a entender também os mistérios de Biá.

E foi nessa hora que eu fiz uma coisa incrível, que recomendo a todos os leitores: voltei ao começo do livro e fui relendo todas as anotações de Biá, aqueles capítulos curtos que me pareciam tão sem sentido antes, e atravancaram minha leitura. Foi bom vê-los sob nova luz, inteiriços, agora totalmente compreensíveis.

Mas pensam que os mistérios todos se resolvem? Não, fica faltando uma última pecinha. O que motivou o abandono de Olívia. Sim, porque este é um livro sobre o abandono. Sobre as várias facetas do abandono, e os estragos e caos que ele deixa para trás. E este último mistério é revelado em meio a uma fagulha de lucidez, um raio que passa pela mente brilhante de Biá enquanto ela ouvia o relato da amiga.

No fim das contas, estava ali, na cara de todos nós, como naqueles livros d esuspense em que as pistas são deixadas diante dos leitores para, quando o investigador revela o assassino, todos sentirmos aquele estalo feliz: “Como não vi isso antes?”

É o abandono que une essas duas mulheres de gerações diferentes, mas a amizade que se constrói entre elas, calcada em muito respeito, é capaz de gerar consequências que mudam pelo menos quatro vidas. E isso é muito comovente.
“Um único minuto de reconciliação vale mais do que toda uma vida de amizade.”

Esta frase, uma das muitas que Biá pega emprestado da literatura, me fez pensar um bocado. No fim das contas, este livro não é só sobre abandono e amizade: é também sobre sermos capazes de nos reconciliar com nosso passado. E com todas as pessoas que fazem parte dele.

Eu amei demais!!!


Um pouco sobre a autora:
Carla Madeira nasceu em Belo Horizonte em 1964. Largou um curso de matemática e se formou em jornalismo e publicidade. Foi professora de redação publicitária na Universidade Federal de Minas Gerais e é sócia e diretora de criação da agência de comunicação Lápis Raro. 

Seus livros publicados no Brasil são:

Tudo é Rio
Véspera
A natureza da mordida
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ivi Campos

47 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Lidos 2023

Filmes

Meus Livros

Músicas

Vlogmas 2023

Youtube


Arquivos

Twitter

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.