Flores Partidas (Karin Slaughter)

segunda-feira, 7 de novembro de 2022

FICHA TÉCNICA
Nome original: Pretty Girls
Autora: Karin Slaughter
Tradução: Carolina Caires Coelho
País de origem: Estados Unidos
Número de páginas: 400
Ano de Lançamento: 2015
ISBN13: 9780062430878
Editora: Harper Collins

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 93º livro lido em 2022 e foi Flores Partidas (Karin Slaughter). Esse livro foi a minha sétima escolha para a TBR de outubro composta apenas de livros de terror e horror.

O livro nos traz a história das irmãs Lydia e Claire. As duas não se falam há 18 anos, pois no passado, Lydia acusou o então namorado de Claire, Paul, de tentar estuprá-la. Tendo em vista que Lydia era o que chamamos de ‘ovelha desgarrada’ da família, usuária de drogas, causadora de vários problemas para os pais e Paul era um jovem bom moço e super quietinho, é claro que a irmã não acreditou, ficou do lado do namorado e cortou relações com Lydia. Mas isso não foi o pior que a família passou, pois alguns anos antes desse acontecimento, a terceira irmã das duas, Julia, desapareceu misteriosamente e ninguém nunca mais a viu. A polícia investigou por um tempo, a mídia falou do caso também, contudo, como as pouquíssimas pistas não levaram a lugar nenhum, as investigações foram encerradas, deixando a família completamente destroçada. Inclusive esse foi o motivo que fez com que Lydia se perdesse nas drogas e outros problemas.


No presente, ou seja, 22 anos depois do desaparecimento de Julia e 18 depois da separação das duas irmãs que restaram, Paul, que agora é marido de Claire, é brutalmente assassinado. Ao mexer no computador e nas coisas de seu marido morto, Claire vai descobrir uma coisa tão terrível, mas tão terrível, que passa a entender que talvez Lydia não tenha mentido no passado.

O livro me prendeu desde a primeira parte e não me soltou mais. A autora narra seus acontecimentos sem ficar enrolando os fatos e enchendo linguiça com aquilo que não é necessário para a história. Ela solta os acontecimentos em sequência, um atrás do outro e você fica sem fôlego com o que ocorre na vida das protagonistas.

A narrativa é dividida entre os capítulos de Lydia, os de Claire e capítulos que são partes do diário do pai das meninas. Essa parte do pai é uma espécie de carta direcionada à Julia, desaparecida. Particularmente isso deixou o livro muito mais interessante, pois a cada momento você vê os pontos de vista de cada uma delas sobre os fatos e sobre a outra. Eu amei o jeito que a autora nos dá uma informação que para uma das protagonistas é a verdade e no capítulo seguinte a outra já nos mostra que aquilo não foi bem assim ou nunca aconteceu. A parte do diário do pai é extremamente triste e tocante e me emocionei em vários pontos.

Outro ponto que merece destaque é que o livro não tem dó do leitor quando se trata de descrições fortes e pesadas. Ele é bem gráfico em alguns momentos e as descrições de violência, tortura e assassinatos são bem chocantes. Em vários momentos eu precisava parar e respirar antes de seguir com a leitura em função das descrições detalhadas.

A construção dos personagens também merece elogios. As protagonistas são bem desenvolvidas, com aprofundamento psicológico e social. As duas irmãs são completamente críveis aos olhos do leitor. Cada uma com suas peculiaridades e nuances, de acordo com a vida que levaram. É nítido para o leitor que determinados comportamentos de cada uma provêm do estilo de vida que vivem ou como cada uma reagiu às tragédias que se abateram sobre a família. Claire e Lydia são como os dois lados de uma mesma moeda e isso fica muito bem evidenciado na narrativa de cada uma. Por vezes elas nos dão raiva, irritam, nos comovem, o que prova que a escritora tem a capacidade de fazer com suas personagens sejam capazes de ganhar a empatia do leitor. 

A conclusão do livro é uma mistura equilibrada de ação e drama e foi muito bem-feita. Ao terminar o livro, fiquei olhando para o nada, satisfeita e impactada com a leitura.

Para quem não se importa com descrições violentas, temos um suspense muito bem escrito.

Gostei muito!!!



Um pouco sobre a autora:
Karin Slaughter é uma autora de livros policiais, que estreou com o seu romance Cega em 2001. Publicado em quase 30 idiomas, tornou-se um sucesso internacional e entrou para o Dagger Award como "Melhor Thriller Debut "de 2001. Slaughter nasceu em uma pequena comunidade ao sul da Geórgia, e agora reside em Atlanta. 

Alguns de seus livros publicados são:

    • Esposa Perfeita
    • A Boa Filha
    • Flores Partidas
    • Garota, Esquecida
    • Falsa Testemunha
    • A Esposa Silenciosa
    • A Última Viúva
    • Ninguém Pode Saber
    • Ouro Sujo
    • Último Suspiro

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ivi Campos

46 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Resenhas

Filmes

Meus Livros

Músicas

Youtube


Arquivos

Twitter

Filmes

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.