Os Garotos do Cemitério (Aiden Thomas)

sexta-feira, 19 de agosto de 2022

Ficha Técnica:

Nome Original: Cemetery Boys
Autora: Aiden Thomas
País de Origem: Estados Unidos 
Número de Páginas: 350
Ano de Lançamento: 2020
ISBN13: 9781250250469
Editora: Galera Record
SKOOB | GOODREADS | Compre na AMAZON

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 51º livro lido em 2022 e foi Os Garotos do Cemitério (Aiden Thomas). Meu interesse pelo livro surgiu quando meu filho estava lendo o livro e empolgadíssimo com a leitura. Não sou de ler fantasia, mas quando ele concluiu a leitura e insistiu para que eu lesse também, atendi sua indicação.

O livro nos traz Yadriel, que só quer passar pela aquelarre - um rito realizado com brujos para torná-los capazes de expurgar fantasmas presos ao mundo terreno. A comunidade bruja, no entanto, é muito conservadora e tradicional, Yadriel é um garoto trans e não querem que ele passe pelo ritual com a desculpa de que a Deusa da Morte não vai aceitá-lo.

Yadriel decide que ele mesmo vai fazer o rito e, com a ajuda da prima Maritza - que também quer fugir das tradições como bruja - se torna um brujo; o problema é que, com o rito, Yadriel invoca um fantasma. Um garoto, Julian, que não faz ideia do motivo de sua morte, que parece estar ligado a estranhos acontecimentos que cercam a comunidade, todos relacionados a mortes misteriosas.

Os Garotos do Cemitério é um livro que me surpreendeu do começo ao fim. Primeiro por ter um núcleo de personagens latinos que não são caricatos e sim orgânicos, bem desenvolvidos e ainda que alguns tenham preconceitos ligados às suas raízes, isso é tratado dentro da narrativa como oportunidade de reflexão e não porque todos os latinos são iguais. O livro entrega uma história bem-humorada, com toques de drama e de discussões super atuais, num pano de fundo mágico fascinante.

A narrativa de Aiden Thomas te fisga desde o começo. Você quer saber mais sobre Yadriel, Maritza, sobre a comunidade bruja, sobre as muitas famílias e sua ligação com a Morte. Como a tratam como uma passagem importante, não uma despedida melancólica e como suas festividades no Dia de Los Muertos abre espaço para rever os entes queridos que se foram. Quer entender o que aconteceu com Julian - se apaixona por ele desde a primeira cena! - e os mistérios que rondam o cemitério e os brujos.

A solução do mistério em si eu já tinha percebido, mas isso não tira o brilho da história e não enfraquece a experiência de leitura. Enfim, fora o mistério que não é grande, a história é muito cativante! Você lê e quer mais e mais daqueles personagens, principalmente do Yadriel e do Julian.

O protagonista é todo nervoso, tímido e introvertido e tão identificável por isso. Por outro lado, Julian é uma tempestade desde o instante que aparece. Todo debochado e sarcástico, dá o contraponto ideal para o casal.

Apesar de ter esse romance de pano de fundo na narrativa, só ocupa o espaço necessário enquanto a trama se desenvolve em primeiro plano.

O relacionamento deles começa aos trancos e barrancos porque Julian é um fantasma e não sabia disso e Yadriel precisa lidar com esse problemão que invocou sem contar para ninguém, principalmente seu pai – um figurão importante entre os brujos, que vetou sua participação no rito de formação.

Maritza é uma personagem coadjuvante muito poderosa, que merecia um livro só dela. Ela é a amiga forte que todo adolescente precisa ter e ao mesmo tempo, tem seus próprios dilemas. Que garota fantástica! Todas as interações são muito reais. Esses personagens poderiam existir na vida real, se provocando e discutindo, rindo juntos, e essa é a beleza do livro. O livro também abre um espaço maravilhoso para falar sobre protagonismo trans e sobre a força da voz de um garoto trans vivendo sua história. Todas as questões com o Yadriel são sensíveis e importantes e eu gostei de como o autor as costurou à magia.

Os Garotos do Cemitério é intenso, sensível e muito apaixonante. Do começo ao fim, você se perderá no universo mágico, nas questões com as divindades latinas, com a morte e os fantasmas, e na jornada de um garoto brujo lidando com o caos para mostrar seu poder.

Eu adorei!!!


Um pouco sobre o autor:
Aiden Thomas nasceu na Califórnia e durante sua juventude, costumava ir com frequência ao cemitério de Mountain View, como se fosse sua segunda casa. Como uma pessoa queer e trans de origem latino-americana, Aiden defende fortemente a representação diversificada em todas as mídias. Quando não está escrevendo, Aiden gosta de explorar o ar livre com seu cachorro, Ronan. Seu gato, Figaro, prefere apoiar seus hobbies em casa, como ler e beber muito café. Os Garotos do Cemitério é o seu único livro publicado no Brasil até o momento de publicação desta resenha.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ivi Campos

46 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Resenhas

Filmes

Meus Livros

Músicas

Youtube


Arquivos

Twitter

Filmes

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.