Última Parada (Casey McQuiston)

quarta-feira, 29 de junho de 2022

FICHA TÉCNICA

Nome original: One Last Stop
Autora: Casey McQuiston
Tradução: Guilherme Miranda
País de origem: Estados Unidos
Número de páginas: 479
Ano de Lançamento: 2022
ISBN-13: 9788555341885
Editora: Seguinte
SKOOB | GOODREADS | Compre na Amazon

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 41º livro lido em 2022 e foi Última Parada (Casey McQuiston). Recebi este livro da Companhia das Letras quando eu ainda fazia parte do Time de leitores dela, mas só agora consegui fazer a leitura e já adianto que me arrependi de não ter lido antes porque adorei o enredo.

O livro nos traz a August que nunca teve uma vida normal. Quando sua mãe era apenas uma criança, o irmão dela que tinha o mesmo nome da nossa protagonista foi embora de casa e anos depois simplesmente desapareceu. A mãe de August nunca esqueceu do irmão e nem deixou de procurar por ele, se tornando uma espécie de detetive particular, fazendo com que a infância de August fosse bem diferente da maioria das pessoas.


August aprendeu tudo sobre como solucionar mistérios e crimes, como achar provas e evidências, e os lugares onde deveria procura-los durante os anos que se passaram. Quando terminou o Ensino Médio, ela decidiu que já bastava para ela e quis ir embora para encontrar uma faculdade em outro lugar, em que ela pudesse viver longe dessa aparente loucura que era procurar uma pessoa sem nenhuma ideia de que a encontraria.

Então ela decide ir para Nova York, completamente cética a respeito das pessoas, pois nunca teve muita proximidade real com ninguém e como aprendeu sempre a desconfiar de todo mundo, ela não sente que se encaixa nem no apartamento que encontrou para dividir com outros três colegas: Myla, Niko e Wes. August começa a estudar, até que um dia entra no metrô e lá conhece a Jane.

Jane chama atenção de August desde o primeiro minuto em que se encontram e ela começa a tentar pegar o metrô sempre no mesmo horário para encontrá-la novamente e assim, as duas se aproximam e descobrem que têm algumas coisas em comum: uma delas é que Jane já trabalhou na lanchonete no Brooklyn em que August trabalha. Muito levada pela emoção de achar que têm uma ligação, August a convida para ir até lá, mas Jane não aparece. Quando August dá uma segunda chance e a convida para sair outra vez, Jane também não aparece.


No meio de uma bolha de vergonha por achar que Jane não está tão interessada assim, August começa a evitar aquele horário no metrô. Num belo dia, sem sequer imaginar, ela percebe por uma foto da lanchonete que Jane estava lá no dia da abertura do lugar. Nos anos 70. Como isso é possível? August não faz a menor ideia e Jane, que nem ao menos lembra muito sobre a própria vida, sabe menos ainda. Assim, August resolve ajudar Jane no que ela faz de melhor: resolver um mistério.

O livro me envolveu desde o começo e embora August fosse um pouco ingrata e mal-humorada no começo, pude entender suas motivações no decorrer da leitura. Jane está presa nos anos 70 dentro de um metrô e August está decidida a ajudá-la sair de lá, ainda que isso resulte em nunca mais vê-la, uma vez que elas não existem na mesma época. Esse foi um ponto forte para entender a August e torcer por ela.

O livro me surpreendeu muito positivamente quando além do romance entre as garotas e a solução de toda a problemática da Jane, trouxe outras histórias bem amarradas ao redor delas, conectando tudo. Os personagens secundários são formidáveis: os colegas de apartamento de August, Isaiah, vizinho de apartamento deles e drag queen, e os colegas de trabalho de August: todos são maravilhosos. Cada um do seu jeito, fazem a história acontecer e se desenrolar. A autora transformou até mesmo a lanchonete e o metrô em personagens tão importantes quanto todos os outros.


“Última Parada” não é apenas um romance, também é uma história importante sobre achar seu lugar no mundo e encontrar uma família para chamar de sua. É uma história sobre se abrir para o mundo, mesmo que às vezes possa se machucar. É um enredo de pertencimento, de encontrar seu lugar no mundo e encontrar respostas para perguntas que incomodam todo e qualquer ser humano.

Eu adorei!!!


Um pouco sobre a autora:
Casey McQuiston cresceu nos pântanos do sul de Louisiana, onde desenvolveu um grande amor por biscoitos amanteigados e histórias apaixonantes. Ela estudou Jornalismo e trabalhou em revistas por anos até retornar ao seu primeiro amor: comédias românticas alegres, excêntricas e escapistas. Hoje vive nas montanhas de Fort Collins, Colorado, com uma coleção de caftãs e sua poodle, Pepper. 

Seus livros publicados no Brasil são: 

    • Vermelho, Branco e Sangue Azul
    • Última Parada
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ivi Campos

46 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Resenhas

Filmes

Meus Livros

Músicas

Youtube


Arquivos

Twitter

Filmes

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.