6.10.21

TBR Especial de Outubro: Mês do Horror e Terror



Oi gente que ama livros, finalmente encararei uma maratona de livros de Horror e Terror para ambientar o mês de outubro como ele merece. É um gênero que eu não costumo ler, mas quero sair da zona de conforto e me desafiar durante um mês inteiro e espero que seja bem proveitoso.

Vamos conferir o que pretendo ler em outubro?
Gótico Mexicano (Silvia Moreno-Garcia)

Sinopse: Noemí Taboada é uma jovem independente e chique que mora na fervilhante Cidade do México. Entre as manhãs de estudo na faculdade e as noites glamourosas de festas e bailes, ela gosta de passear em seu carro conversível, ouvir música e sonhar com um futuro onde as mulheres possam fazer suas próprias escolhas — e viver grandes aventuras. A rotina de Noemí muda drasticamente quando seu pai recebe uma carta de sua prima Catalina, recém-casada com um inglês. A carta é, na verdade, um pedido desesperado de socorro, pois Catalina acredita que corre perigo em High Place, a mansão isolada onde vive confinada com o marido e a família dele. Convocada a investigar o mistério na cidadezinha de El Triunfo, Noemí parte com seu batom vermelho, seus melhores looks e uma dose extra de coragem. Mas nem mesmo nossa intrépida heroína estava preparada para os horrores que a esperavam em uma mansão assombrada por um mal abominável.



Frankenstein (Mary Shelley)
Sinopse:
A princípio, tratava-se de um pequeno conto sobre um jovem estudante suíço que ambicionava criar um ser ideal, injetando vida a um corpo morto. Mais tarde, transformado em romance, tornou-se um marco na literatura do gênero. Frankenstein ou o Moderno Prometeu (Frankenstein; or the Modern Prometheus, no original em inglês), mais conhecido simplesmente por Frankenstein, é um romance de terror gótico com inspirações do movimento romântico, de autoria de Mary Shelley, escritora britânica nascida em Londres. O romance relata a história de Victor Frankenstein, um estudante de ciências naturais que constrói um monstro em seu laboratório. Mary Shelley escreveu a história quando tinha apenas 19 anos, entre 1816 e 1817, e a obra foi primeiramente publicada em 1818, sem crédito para a autora na primeira edição. Atualmente costuma-se considerar a versão revisada da terceira edição do livro, publicada em 1831, como a definitiva. O romance obteve grande sucesso e gerou todo um novo gênero de horror, tendo grande influência na literatura e cultura popular ocidental.

O Médico e o Monstro (Robert Louis Stevenson)
Sinopse:
Poucos clássicos da literatura são tão conhecidos e adorados como O médico e o monstro. Escrito quando o autor tinha trinta e cinco anos de idade, em 1885, o romance foi um sucesso imediato de público e inseriu Robert Louis Stevenson no grupo seleto dos grandes escritores da literatura universal. Ao narrar as experiências de um médico que, numa "noite maldita", tomou uma poção fumegante de coloração avermelhada e descobriu "a dualidade absoluta e primordial do homem", o autor escocês criou uma história de suspense e horror, em que o perigo iminente não está do lado de fora, mas do lado de dentro, na parte obscura da alma. Esta edição, além de uma introdução de Robert Mighall, Ph.D. em ficção gótica e ciência médico-legal vitoriana na Universidade de Wales, conta com um prefácio do escritor Luiz Alfredo Garcia-Roza, que define o romance como "um dos mais perfeitos e provavelmente o mais famoso romance de mistério da literatura de língua inglesa"



Cujo (Stephen King)
Sinopse:
Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial-killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. Você pode me sentir mais perto… cada vez mais perto. Nos limites da cidade, Cujo – um são Bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber – se distrai perseguindo um coelho para dentro de um buraco, onde é mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesado de Tad Trenton e de sua mãe e como destrói a vida de todos a sua volta é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King.




Drácula (Bran Stoker)
Sinopse:
Drácula, um clássico que ainda corre quente na veia de inúmeras gerações de leitores por todo o mundo e a mais celebrada narrativa de vampiros, continua a transcender fronteiras de espaço, história, memória e tempo. Mais de 120 anos após sua primeira publicação, o romance epistolar mobiliza estudiosos e leitores, confirmando o vigor perene de uma árvore cujas sólidas raízes respondem pela vitalidade de suas ramificações. Embora o famoso conde não tenha sido o primeiro vampiro literário, certamente é o mais popular, sugado e adaptado para inúmeros universos: brinquedos, cinemas, quadrinhos, séries e teatros, o semblante é reconhecido até mesmo por aqueles que nunca leram o romance. Ele está em todos os lugares. A obra atemporal de Bram Stoker narra, por meio de fragmentos de cartas, diários e notícias de jornal, a história de humanos lutando para sobreviver às investidas do vampiro Drácula. O grupo formado por doutor Van Helsing, doutor Seward, Jonathan e Mina Harker ,tenta impedir que a vil criatura se alimente de sangue humano na Londres da época vitoriana, no final do século XIX. Um clássico absoluto do terror, Bram Stoker define em Drácula a forma como nós entendemos e pensamos os vampiros atualmente. Mais que isso, ele traz esse monstro para o centro do palco da cultura pop do nosso século e eterniza o vilão de comportamento sanguinário e modos refinados. 

Duma Key (Stephen King)
Sinopse:
Um acidente terrível em um canteiro de obras arranca o braço e a mão direitos de Edgar Freemantle e embaralha sua memória e sua mente. A raiva é praticamente tudo o que lhe resta enquanto inicia sua penosa recuperação. O casamento que gerou duas filhas maravilhosas termina de repente e Edgar começa a desejar não ter sobrevivido às lesões que quase o mataram. Seu psicólogo sugere uma "cura geográfica", uma nova vida longe das cidades gêmeas de Minneapolis-Saint Paul e da empresa que ele construiu do nada e sugere que Edgar também retome o hábito de desenhar. Ele troca Minnesota por uma casa alugada em Duma Key, uma ilhota de beleza extraordinária e estranhamente subdesenvolvida na costa da Flórida. Lá, ouve o chamado do sol se pondo no Golfo do México, da maré chacoalhando as conchas na praia - e desenha. Uma visita de Ilse, sua filha mais querida, o incentiva a abandonar a solidão. Ele encontra um amigo em Wireman - um homem que reluta em revelar suas próprias feridas - e, posteriormente, em Elizabeth Eastlake - uma idosa cujas raízes estão fincadas em Duma Key. Edgar passa a pintar - às vezes de modo febril -, e seu talento em combustão se revela tanto uma dádiva quanto uma arma. Muitos de seus quadros têm um poder que não pode ser controlado. Quando os fantasmas do passado de Elizabeth começam a surgir, descobrimos o perigo que suas pinturas surreais representam. Ao nos revelar a tenacidade do amor, os riscos da criatividade, os mistérios da memória e a natureza do sobrenatural, Stephen King escreve um romance ao mesmo tempo sublime, cativante e assustador.

Amigo Imaginário (Stephen Chbosky)
Sinopse:
Kate Reese está fugindo. Determinada a buscar uma vida melhor para ela e para o filho Christopher, ela abandona um relacionamento abusivo e escapa no meio da noite junto com seu garotinho. Eles se sentem atraídos pela agradável comunidade de Mill Grove, na Pensilvânia, uma cidadezinha distante de tudo e de todos, com apenas uma estrada de acesso. A princípio, Mill Grove parece o lugar perfeito para eles se estabelecerem. Porém, Christopher desaparece por seis longos dias sem deixar nenhum rastro. O desespero toma conta de Kate, e a polícia da cidade faz buscas incansáveis para descobrir o paradeiro do menino. Até que ele surge no meio da noite saindo de um bosque nos limites da cidade. Ileso, mas mudado. Christopher volta com uma voz na cabeça que apenas ele pode ouvir e com uma missão que apenas ele pode cumprir: construir uma casa na árvore no bosque da Mission Street antes do Natal; caso contrário, sua mãe e todos na cidade sofrerão as consequências. Vinte anos depois de As vantagens de ser invisível fazer com que leitores do mundo inteiro se sentissem infinitos, Stephen Chbosky volta com uma obra épica de horror, cujas escala e emoções que carrega redefinem o gênero. Leia com as luzes acesas.

Essas foram as minhas escolhas para ler em outubro e gostaria de saber se vocês também vão ler livros do gênero no mês do Horror. Deixem nos comentários o que vocês escolheram para ler este mês porque vou adorar conferir.

Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário