23.6.21

LGTBQ – um livro para cada letra – 2021


Oi gente que ama livros, hoje venho indicar livros com muita representatividade, usando a sigla LGBTQA para trazer livros com universos diferenciados dentro do movimento. Esta é a terceira vez que trago indicações assim e já virou tradição no blog.

Vamos conferir?

L – Livro com personagem lésbica: 
O Mau Exemplo de Cameron Post (Emily M. Danforth). O livro nos traz a Cameron, uma garota no início da adolescência vivendo suas férias de verão na cidade pequena em que mora com os pais. Cameron tem uma boa vida e em uma noite das férias em que ela vai dormir na casa da sua melhor amiga Irene, elas se beijam e isso desperta muitos sentimentos nela. Nesta mesma noite, seus pais morrem em um acidente de carro e Cameron acredita que foi Deus que a puniu pelo beijo trocado com a amiga. A partir disso, sua vida muda. Ela passa a morar com sua avó e a tia Ruth e essa tia tem uma postura religiosa muito rígida e além do luto, Cameron tem que lidar também com a constante vigilância da tia. Aquela primeira experiência com a melhor amiga se confirma e com o passar dos dias, Kate sabe que não sente atração por meninos, mas ao mesmo tempo, ela fica confusa por todo o conteúdo cristão que lhe é passado e se sente constantemente culpada por desejar mulheres e ter que esconder isso a todo custo. O desenvolvimento da história acontece como se fosse uma biografia. Acompanhamos o amadurecimento de Cameron, suas lutas internas, seus anseios para o futuro e seu completo desconforto com o presente. Ela se apaixona algumas vezes e outras apenas se empolga, mas sempre guarda como um segredo valioso até se envolver com uma garota da igreja e essa garota conta para outras pessoas. A tia de Cameron fica histérica e a manda para um acampamento religioso com o objetivo dela se afastar do pecado e se aproximar de Deus. A princípio é apenas para passar uma temporada, mas é claro que a intenção da tia é que ela fique por ela até ser “consertada”.

G – Livro com personagem gay: 
Verão em San Juan (E. N. Andrade). O livro nos traz Ricchie Moss, um escritor americano renomado que enfrenta um severo bloqueio criativo. Com o prazo para a entrega do seu novo original se esgotando e com a editora o colocando contra a parede, ele decide sair da badalada Nova York e se refugiar na quente San Juan para ter inspiração e concluir seu trabalho. Lá conhece Esteban, seu guia de turismo na temporada que pretende passar ali. Ricchie e Esteban se envolvem, o que gera uma série de crises existenciais em Ricchie. Ele sempre foi consciente de sua sexualidade, porém desde que assinou o seu primeiro contrato com a editora que publica seus livros, ficou decidido que não deveria expor sua vida íntima e assim, Ricchie sempre foi intimidado a não assumir sua orientação sexual diante do mundo. Com o tempo isso se tornou cada vez mais complexo porque a sua fama cresceu e uma legião de fãs passaram a acompanhar sua vida pelas redes sociais e a grande maioria nem sequer imagina que ele é homossexual. Sendo assim, Ricchie sempre escondeu seus romances do público, evitando se apaixonar ou investir em qualquer relacionamento que pudesse aparecer em sua vida, pelo menos até Esteban surgir e o fazer questionar essas posturas. O romance entre os dois homens é delicioso de acompanhar, apesar das crises de consciência que Ricchie enfrenta. Ao contrário dele, Esteban é um homem que se permite viver intensamente sua natureza e apesar de traumas intensos na família, está feliz com a sua história de vida e quer viver suas paixões e aventuras sem dever nada a ninguém. Já Ricchie se policia o tempo inteiro, preocupado com seu contrato milionário e com tudo o que as pessoas podem pensar dele.

B – Livro com personagem bissexual: 
Conversas Entre Amigos (Sally Rooney). O livro nos traz Frances, uma jovem universitária de 21 anos que com sua ex-namorada e melhor amiga Bobbi, escreve poemas e os apresenta na noite cultural de Dublin. Em uma destas noites, as duas conhecem Melissa, uma fotógrafa renomada e escritora que fica interessada no trabalho das duas jovens, pretende escrever uma matéria sobre elas para a revista que trabalha e nasce uma amizade, complementada com Nick, marido de Melissa. Bobbi se interessa por Melissa e gera sentimento de ciúme em Frances, mas antes que ela possa fazer algo sobre isso, Frances também se descobre atraída por Nick e o livro se desenvolve sobre essa trama de relacionamentos. Frances é uma jovem com algumas questões de autoimagem. Ela não se acha bonita nem inteligente se comparada a Bobbi, mais ousada. Como o relacionamento entre as duas (namoro ou amizade) sempre a colocou na sobra, ela acredita que essa relação com Nick pode amadurecê-la de alguma forma e os dois se envolvem através de encontros fortuitos. Nick é ator de pouca relevância e embora seja um homem extremamente atraente e bonito, fez poucos papéis. Alguns segredos sobre seu passado deixam Frances curiosa e isso a estimula a não desistir dele, ainda que o relacionamento a machuque constantemente porque ele não esconde que é apaixonado por Melissa e que o tem com Frances é apesar sexual.

T – Livro com personagem trans: 
Apenas Uma Garota (Meredith Russo). O livro nos traz a Amanda Hardy, uma adolescente que está de mudança para a casa do pai, com quem não convive desde o divórcio dos pais, que ela acredita ter uma grande parcela de culpa, mas essa mudança pode representar também a oportunidade para que ela seja definitivamente quem é. Amanda nasceu em um corpo de menino e a partir do momento que decidiu fazer a transição em plena adolescência, sofreu com o bullying e a perseguição na escola, o que a levou a uma severa depressão. Após muitas consequências, a família decidiu que estava no momento dela viver em um novo lugar, então Amanda parte para a cidade em que o pai mora, apreensiva, mas ansiosa pela nova vida. Ao chegar na pequena cidade de Lambertiville, interior do estado da Georgia, Amanda se adapta com certa facilidade. Faz amizades na escola, arruma um namorado gentil e bonito e toda a insegurança das pessoas questionarem sua sexualidade se perde no dia a dia comum de uma jovem de 18 anos. Até a relação com o pai, muito tumultuada no passado, encontra uma normalidade saudável para os dois e o livro se desenvolve nessa nova vida de Amanda, nos dando também flashes do passado em vários momentos de sua vida. Temos lembranças de quando ela era muito nova até o motivo pelo qual a mãe decidiu pela ida dela para a casa do pai. Como sempre foi seu suporte e apoio, a mãe sabe que a mudança pode preservar a vida de Amanda e isso é mais importante que tê-la ao seu lado. O livro tem uma linguagem fluida e leve, ainda que a personagem principal seja complexa e que tenhamos um milhão de curiosidades por quem ela é. Essas dúvidas se diluem ao longo da leitura conforme a conhecemos melhor e desejamos apenas que ela seja feliz e aceita. 

Q – Livro com personagem Queer*: 
Menino de Ouro (Abigail Tarttelin). Temos um menino que é exemplo para toda a comunidade: bom filho, excelente irmão e aluno exemplar. Além de ter um comportamento nota 10, ele também é muito bonito e várias garotas da escola suspiram por ele, mas o que ninguém sabe é que Max nasceu com os dois sexos e é uma pessoa interssexual. Este é um livro que pode assustar o leitor já nas primeiras páginas por uma cena de violência sexual fortíssima que ocupa algumas páginas, mas se você puder passar por isso e seguir com a leitura, encontrará um personagem forte mesmo em meio à confusão de sua vida e uma família cheia de amor que as vezes toma decisões equivocadas para protegê-lo. Eu li em 2013, quando foi lançado no Brasil e nunca mais esqueci a sua história, porque além de ter sido bem escrito e com uma dose de drama eficiente em arrancar lágrimas, o livro também traz um conflito que muitas pessoas acham que não existe. É uma história forte e sensível, que merece ser lida e divulgada.


A – Livro com personagem Assexual: Rádio Silêncio (Alice Oseman)
. O livro nos traz Frances Janvier, uma adolescente focada inteiramente nos estudos que tem como única válvula de escape desenhar fanarts para o seu podcast favorito, Universe City. Sua vida vira de cabeça para baixo quando ela descobre que o criador anônimo do podcast de sucesso na internet, é, na verdade, seu vizinho, o tímido e excêntrico Aled Last. O livro se desenvolverá em Frances conhecer e desenvolver com Aled uma linda história de amizade, em que duas vidas extremamente diferentes encontrarão um no outro apoio e acolhimento para suas inseguranças. No início do livro, shippamos Frances e Aled, mas com o tempo percebemos que Aled é assexual, não se sente atraído sexualmente por ninguém, nem meninos e nem meninas e o livro é sobre a amizade, independente de qualquer coisa. A escrita da autora é maravilhosa, do tipo que começamos a ler e quando percebemos já lemos mais de 50 páginas e não queremos mais parar. Ela consegue passar todas as emoções sentidas pelos personagens sem passar do limite do dramático. Constrói cada um deles de forma verossímil, pois eles têm defeitos e falhas e ainda assim, queremos que os dois façam parte da nossa vida. O livro aborda temas como saúde mental de forma responsável, mas leve. Ter personagens que lidam com a ansiedade e depressão e dialogam abertamente sobre isso é muito importante, principalmente nos dias de hoje. O estigma da saúde mental ainda é muito presente e é importante ter histórias que possam dar a devida importância para esses temas.

Essas foram as minhas escolhas para responder este post e gostaria de saber quais seus livros favoritos abordando estes temas. Deixem nos comentários porque vou adorar conferir.

Beijos

*Queer é uma palavra inglesa, que em português significa excêntrico. É uma palavra usada para designar pessoas que não seguem o modelo de heterossexualidade ou binaridade de gênero.

Um comentário:

  1. Oi Ivi!

    Você apresentou dicas ótimas e livros que tenho muita vontade de ler por causa que contém temas importantes sobre não só para LGBTQA, mas todos os leitores que desejam ampliar suas leituras e ter a mente aberta para qualquer assunto. Valeu demais as dicas. Adorei!

    Bjos

    ResponderExcluir