17.5.21

Nona Casa (Leigh Bardugo)

Ficha Técnica:

Nome Original: Ninth House
Autora: Leigh Bardugo
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: Marina Della Valle
Número de Páginas: 432
Ano de Lançamento: 2020
ISBN13: 9781250313072
Editora: Planeta
SKOOB | GOODREADS | Compre na AMAZON

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 32º livro lido e foi Nona Casa (Leigh Bardugo). É um livro de fantasia, fora da minha zona de conforto e o primeiro volume de uma série de narrativa adulta, algo inédito na carreira da autora, famosa por livros de fantasia voltados para jovens.

O livro nos traz Alex Stern, que tem um passado nebuloso e incomum, fugindo totalmente do padrão de mocinha dos livros do gênero. Ela é uma garota normal, com uma história de vida barra pesada e que em um momento de desespero recebeu um favor da vida: sem ao menos ter concluído o ensino médio e após ter sido diagnosticada com sérias dificuldades de aprendizado, é convidada para ser aluna da conceituada universidade Yale. Ela vê isso como uma oportunidade de fugir da sua realidade tumultuada, porém, descobre que foi convidada porque mais pessoas sabem de sua peculiaridade: ela vê fantasmas, o que na narrativa chamamos por cinzentos. Aqui começa o sobrenatural, a magia oculta, os assassinatos, os rituais místicos e o livro se desenvolverá em Alex conhecer todo o submundo existente nas sociedades secretas que envolvem a universidade.


Yale é um cenário fascinante dentro da trama porque a universidade é dissecada. Conforme conhecemos essas sociedades secretas nomeadas de casas, nos perguntamos quanto de ficção e realidade há no enredo, uma vez que a autora foi aluna da instituição e cita sem parcimônia nomes da política e das artes, também ex-alunos de Yale, sempre relacionados a essas sociedades secretas.

Apesar de todas as coisas sobrenaturais que existem no enredo, a autora construiu uma história bem verossímil e cativante, tanto do ponto de vista do thriller sobrenatural quanto da composição humana de seus personagens. Em Nona Casa, há uma ambientação extremamente detalhada tanto da cidade de New Haven, local da universidade, quanto das histórias que a envolvem e serviram de base para a fundação de cada uma das Casas do Véu – oito no total. O mistério e os segredos que envolvem esse lugar são profundos e não terminam em um único volume. Apesar da trama deste livro ser concluída, existem alguns ganchos para continuações.


Mesmo sendo a minha primeira experiência com a autora, fui seduzida pelas suas características narrativas. Ela possui elegância e originalidade para construir analogias. A preocupação em construir bem os personagens me chamou a atenção e serve para dar um tom humano e real para a história. Em sua obra, as pessoas são reais, imperfeitas e não estão acima do bem e do mal. Essa talvez seja a maior qualidade de Nona Casa que apesar do início mais lento, conseguiu me manter entretida na narrativa do início ao fim.

O livro traz descrições gráficas de violência, bem como de abuso sexual que não agregaram muito a trama, funcionando mais como artifício narrativo para deixar claro que o público da obra deve ser adulto. O uso de palavrões também é desmedido, deixando a linguagem vulgar. Apesar destes dois pontos que me incomodaram, eu achei a trama muito interessante e fiquei curiosa para saber qual seria o papel da Alex em toda essa engrenagem. Quando a história se concluiu, fiquei bem satisfeita com o rumo que a narrativa tomou.


Gostei muito!


Um pouco sobre a autora:
Leigh Bardugo nasceu em Jerusalém, foi criada em Los Angeles e graduou-se na Universidade de Yale. Agora vive em Hollywood e se entrega ao seu gosto por glamour em sua outra identidade profissional, L.B. Benson, como maquiadora artística. De vez em quando, ela também canta com sua banda, a Capitain Automatic. Alguns de seus livros publicados no Brasil são:
  • Sombra e Ossos
  • Sol e Tormenta
  • Ruína e Ascensão
  • Six of Crows
  • Crooked Kingdom
  • Nona Casa

9 comentários:

  1. Oi Ivi!

    Nossa eu comprei o e-book desse livro numa promoção mas ainda não li pois toda vez que ele aparece no meu feed é sempre os extremos: ou falam muito bem ou muito mal! Por conta disso acabei não tomando coragem pra ler ainda, mas quero muito pois parece exatamente o tipo de livro que eu gosto de ler.
    Adorei saber sua opinião sobre a história!!

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro, mas me interessei muito pela historia, gostei da capa, antes de dizer vou ler, vou pesquisar mais sobre ele, amei sua resenha, super sincera.
    https://quemevcbrubs.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Ivi!

    Eu tenho este livro em digital no kindle para ler para conhecer a escrita da autora e também porque a sinopse do livro despertou minha curiosidade. Acabei adiando a leitura e nem sei por qual motivo. Gostei demais da sua opinião que mostrou os pontos que te incomodou e vou adicionar na minha meta de leitura.

    Bjos
    https://consumidoradehistorias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Ivi!
    Quem olhar a capa não percebe o grandeza do enredo, gostei disso. Sua resenha me deixou curiosa sobre a trama, pois adoro esse gênero que envolve o sobrenatural. Quero saber mais sobre a Alex e do porque ela ser assim diferente. Obrigado pela dica, parabéns pela resenha, bjs!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Eu sou suspeita para falar do livro pois sou fã da Leigh Bardugo e do universo que ela construiu com o universo de Alex Stern. Sobre o uso de vários palavrões e cena de abuso sexual, acho que é algo até "padrão" dentro do ambiente universitário e esse início da vida adulta em qualquer gênero que já li e fala acerca, dentro da faixa etária. Enfim, uma pena essas ressalvas. Nona Casa é um livro que tem dois extremos bem definidos, e eu daquelas que adorei hehehe Excelente resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Ivi, tudo bem? Faz pouco tempo que conheci a autora, inclusive meu primeiro contato foi por esse livro. O que me chamou atenção num primeiro momento foi a trama ser ambientada numa universidade. Me fez lembrar alguns livros que li recentemente. Ainda não terminei mas achei interessante a proposta da autora. Não imaginava que as cenas de violência eram descritas dessa forma. Estou ansiosa para ler Sombra e Ossos também. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  7. Olá Ivi,
    acompanhei a ansiedade de diversos leitores brasileiros enquanto esperavam pelo lançamento de "Nona Casa" e confesso que tal empolgação quase me fez querer ler essa história, mesmo assim preciso admitir que nunca havia parado para de fato saber do que essa obra tratava, sendo assim, sua resenha é a primeira que leio e apesar dos pontos instigantes descritos aqui, não creio que essa seja uma leitura que me envolveria. Talvez um dia, meu interesse se volte para este livro, até lá guardarei suas impressões comigo.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  8. Oi Ivy, tudo bem?
    Já li uma resenha antes da tua sobre esse livro e confesso que a proposta dele me intrigou de forma considerável, já que eu não exatamente teria imaginado uma autora situando uma história assim dentro de uma faculdade e transformando fraternidades em "escritórios" do sobrenatural e afins.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://wwww.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ivi! Tudo bem?
    Eu sou apaixonada pelos livros universo grisha e adoro a escrita da Leigh Bardugo, mas ainda não tive a oportunidade de ler esse. Confesso que o fato de ter cenas muito gráficas de violência me deixa com o pé atrás, porque normalmente tenho dificuldade com cenas assim, costumo ficar mal. Mas quero ler algum dia. Amei ler sua resenha e fico feliz que, apesar de algumas ressalvas, foi uma boa leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir