26.2.21

Amigas Para Sempre (Krintin Hannah)

Ficha Técnica:
Nome Original: Firefly Lane
Autora: Krintin Hannah
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: Cassia Zanon
Número de Páginas: 446
Ano de Lançamento: 2014
ISBN13: 9780312364083
Editora: Arqueiro

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 11º livro lido em 2021 e foi Amigas Para Sempre (Krintin Hannah). Meu interesse pelo livro surgiu ao saber sobre a série baseada neste enredo disponível na Netflix. Como prefiro ler antes de assistir, corri para o livro com a expectativa lá no alto, pois além de ter visto várias resenhas positivas, já havia lido um livro da autora e gostado bastante, então acreditei que seria uma experiência válida.

O livro nos traz duas protagonistas, Tully Hart e Kate Mularkey. A primeira é linda, alegre, popular e invejada por todos, mas vive uma realidade angustiante dentro de casa. A mãe viciada em drogas é completamente relapsa, deixando a filha por longos períodos aos cuidados da avó. Já a segunda tinha uma família tradicional, carinhosa e muito bem estruturada. O caminho das duas meninas se unem quando ambas têm 14 anos e se conhecem no ponto do ônibus escolar. Sem amigos e pouco popular, Kate encontra em Tully a oportunidade de ser amiga de alguém interessante e Tully encontra acolhimento em Kate, após ter sido vítima de algo muito violento. A partir dali, as duas seguem amigas e confidentes, Tully é praticamente adotada pela família de Kate e o relacionamento delas passa a ser mais intenso do que se fossem irmãs.

O livro se desenvolve na trajetória de vida destas duas garotas que se tornam mulheres com vivências parecidas, mas com olhares muito distintos sobre a vida. Tully deseja ser jornalista e se dedica a isso com muito afinco. Embora Kate também frequente a faculdade de jornalismo, tem outros anseios, como formar uma família e escrever, já que ama livros e encontra neles um lugar seguro para suas frustrações.
O livro conta a jornada destas duas personagens e nos ambienta muito bem dentro da história mundial com acontecimentos marcantes. Sabemos exatamente em que ponto da história estamos a partir do que acontece no mundo e isso se dá de forma muito natural. As descrições dos cenários, bem como dos bastidores da televisão americana são tão reais que nos sentimos nos lugares, assim como as personagens são tão aprofundadas que também conseguimos sentir suas alegrias e suas frustrações.

Tully se torna uma mulher forte e ao longo do seu caminho alcança todos os objetivos que traçou para si quando ainda era uma menina. Kate também realiza seus sonhos e apesar da vida diferente das duas, elas seguem ligadas mesmo que a amizade passe por altos e baixos com atitudes sérias de uma delas.

Na maior parte das vezes, Tully é muito egoísta e acredita que o caminho que escolheu para si é muito melhor que o de Kate, ainda que muitas vezes inveje a tranquilidade e o amor que Kate vive diariamente. Em várias partes do livro, identifiquei Tully como uma pessoa tóxica, egocêntrica e inconsequente. Apesar de ser diferente de Tully, Kate se mostrou passiva demais para mim ao aceitar e perdoar as atitudes impensadas da amiga e assim engolir seu orgulho e não dar voz a si mesma para reagir diante de situações seríssimas.

O livro tem um final muito melancólico e foi impossível para mim não chorar de soluçar com a conclusão desta história de amizade. Fiquei extremamente comovida com o final que a autora deu para as duas amigas e embora eu desejasse que fosse diferente, não consegui segurar as lágrimas. Essa minha reação me fez questionar muito nossas impressões diante de uma leitura assim. Muitas vezes me sinto compelida a dizer que o livro foi ótimo porque conseguiu me emocionar e me fazer chorar. Neste livro, consegui perceber os artifícios da autora para fazer o leitor se debulhar em lágrimas e apesar de ter chorado, isso me incomodou um pouco porque o livro conta a história de uma amizade que nem sempre foi saudável, em que uma das partes era muitas vezes abusiva e tóxica, enquanto a outra não encontrava forças para fazer valer sua voz e postura.

A experiência com o livro tirou um pouco da minha vontade de conferir a produção da Netflix, mas mesmo assim, dei play no primeiro episódio e percebi muitas adaptações diferentes da história original. Desanimei em terminar a série, não em função das mudanças da produção, mas porque realmente não consegui me conectar com a história das duas mulheres.

Enfim, fiquei um pouco decepcionada com a leitura. O livro tem uma continuação que não pretendo ler, mas também faz sucesso entre os fãs da autora.

Esperava gostar mais.


Um pouco sobre a autora:
Kristin Hannah é autora de 18 livros que já venderam mais de 8 milhões de exemplares no mundo. Ela largou a advocacia para se dedicar à sua grande paixão: escrever. Tem um filho e mora com o marido no noroeste dos Estados Unidos e no Havaí. Alguns dos livros da autora já publicados no Brasil são:
  • Amigas Para Sempre
  • Jardim de Inverno
  • O Caminho Para Casa
  • Por Toda a Eternidade
  • Quando Você Voltar 
  • Tempo Regresso
  • O Rouxinol
  • A Grande Solidão
  • As Coisas que Fazemos Por Amor
  • O Lago Místico

3 comentários:

  1. Olá,
    É tão ruim quando não há essa conexão, acaba atrapalhando toda a experiência da leitura. De toda forma foi bom ler sua resenha. Quero muito ler um livro da autora, mas fui tentar fazer como você, ler antes da adaptação, e pela sinopse já não me agradei tanto. Quanto a série, quero ver, mas não sei quando. Assisti parte do primeiro episódio e, por mais que saiba que não há parâmetro para criar opinião, não gostei das personagens, então parei.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Ivi!
    Não conhecia essa obra, conforme fui lendo sua resenha, percebi sendo uma história bem realista, sua decepção é fácil de compreender pois como seres humanos temos muitas falhas mas tudo tem os dois lados. Sinceramente não é o tipo de leitura que me chama a atenção, mas tenho várias amigas que leria e iam gostar. Obrigado pela dica e sua sinceridade, parabéns pela resenha foi muito bem escrita, bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ivy, tudo bem?
    Ao que tudo indica, esse livro tem uma pegada realista demais e talvez, apenas um muito remoto talvez, isso tenha te feito não sentir aquela conexão com o livro. O que é até normal porque nem sempre vamos concordar com as atitudes dos personagens ou com os rumos que a autora dá ao livro. Eu sou dessas que fica putaça da vida com os autores quando a coisa anda de um jeito ruim que eu não esperava, mas acaba sendo importante na trama.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://wwww.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir