O Chá do Amor (Jennifer Donnelly)

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

FICHA TÉCNICA
Nome original: The Tea Rose
Autora: Jennifer Donnelly
Tradução: 
País de origem: Inglaterra
Número de páginas: 582
Ano de Lançamento: 2009
ISBN-13: 978-8576654537
Editora: Essência

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 65º livro lido em 2020 e foi O Chá do Amor (Jennifer Donnelly). Peguei a indicação deste livro no canal Entre Livros e Personagens, a forma como o enredo foi descrito me despertou grande curiosidade e o procurei para ler o mais rápido possível.

O livro nos traz a Fiona, uma jovem de 17 anos na Inglaterra de 1888. Ela é a filha mais velha de uma humilde família. O pai trabalha nas docas, é um membro ativo de trabalhadores que pedem a sindicalização para que o trabalhador não seja explorado pelas grandes fábricas e exista o mínimo de segurança na execução das tarefas. Fiona trabalha em uma fábrica de chá e sonha ter a própria loja de chá com o namorado Joe e conseguir alguma mobilidade social naquela realidade. Joe e Fiona são apaixonados, sonham uma vida melhor para o futuro e trabalham duramente para que estes sonhos se realizem.

Contemporânea a realidade de Fiona e Joe, a região em que eles moram sofre com um assassino em série que tem como alvo mulheres em situação de prostituição. Em poucas páginas entendemos que este assassino é o popular Jack Estripador, um assassino da vida real que assombrou esta região e nunca foi identificado. A inserção deste detalhe parece a princípio querer apenas nos ambientar no recorte histórico em que a trama acontece, mas no final do livro entendemos que algo mais importante está ligado ao fato.

O livro seria um romance de época comum se não fossem algumas decisões narrativas tomadas pela autora que deram ao livro um brilho maior, destacando-o dentro do gênero. Temos todos os elementos de um romance de época comum como a sensualidade bem marcada, mas além disso, temos um enredo forte que desenvolve a história de vida de dois jovens obrigados a batalhar muito para vencer as adversidades da vida.

Fiona é uma protagonista maravilhosa! Forte e sensível, assume responsabilidades muito sérias e não se arrepende de nenhuma delas. Joe também é um personagem maravilhoso, que comete erros graves, mas não foge da consequência de nenhum deles, o que torna o romance algo forte e gostoso de acompanhar.

Por volta de 25 por cento do livro, um novo personagem aparece na trama, Nicholas e traz consigo uma série de coisas maravilhosas para a história, como alívio cômico e representatividade. Forma uma amizade maravilhosa com Fiona, que exige muito dos dois e ao mesmo tempo, torna a vida deles mais leve.

O livro é intenso e em momento algum, decepciona o leitor, ao contrário, o surpreende a todo tempo. Durante a leitura me envolvi muito com os personagens e torcia por cada um deles. Em alguns momentos, tive medo de me decepcionar com o final e das crescentes emoções construídas ao longo da leitura serem concluídas de forma leviana, mas isso definitivamente não acontece e o livro é encerrado belamente.

Eu adorei a leitura e quero ler mais obras da autora. A facilidade como ela fez o recorte histórico de uma época de luta entre os trabalhadores, bem como a ascensão de uma sociedade oriunda do comércio foi impressionante. A maneira fluida que ela aborda temas importantes que raramente vemos dentro de livros do gênero como a homofobia. A autora consegue desenvolver personagens muito envolventes e não esquece da função social da literatura que é destruir preconceitos e nos fazer refletir sobre temas importantes.

Eu espero que vocês considerem com muito carinho essa indicação porque foi um romance que entregou o que prometeu e foi muito além disso, me fez ter medo de um final dramático, bem como tornou essa história inesquecível para mim.

Eu amei!


Um pouco sobre a autora: Jennifer Donnelly é autora best-seller do The New York Times. Ao longo de sua carreira, recebeu diversos prêmios e menções honrosas em reconhecimento de suas obras, tendo alcançado também excelentes avaliações em importantes nomes do meio literário, como Kirkus Reviews, School Library Journal e Chicago Public Library. Seus livros publicados no Brasil são:
    • O Chá do Amor
    • Uma Luz ao Norte
Comentários
7 Comentários

7 comentários :

  1. Oi, Ivi!
    Adorei a indicação de hoje. No começo da sua resenha, achava que seria apenas mais um romance histórico e blábláblá, mas me surpreendi quando comentou sobre assassinatos e tudo mais, ainda mais porque é relacionado ao mistério real de Jack, O Estripador. Eu tenho uma quedinha por livros de romance policial, então sempre gosta quando tem algum mistério na trama, acho que faz toda diferença num livro. Um dos aspectos que também me chamou atenção foi a protagonista ser uma mulher forte, principalmente porque nessa época ainda existia aquela ideia de mulher frágil e etc. Então se tive a oportunidade, quero mesmo ler o livro.

    ResponderExcluir
  2. Olá Ivi!
    Eu como boa fã de romance de época já adorei a história, principalmente pela representação da luta dos trabalhadores por melhores condições de trabalho, personagens homossexuais, ambientação histórica, enfim, tudo rsrs. Até esse assassino em série que com certeza deve ser importante para a trama, além de tornar o enredo original. Já estou ansiosa para conhecer Fiona, adoro protagonistas destemidas e fortes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ivi!
    Não conhecia O Chá do Amor, e apesar de amar romances de época confesso que a trama não me chamou a atenção, os elementos que você citou do livro, como um assassino em série a solta, a luta entre os trabalhadores da época, e a ascensão de uma sociedade oriunda do comércio, são assuntos que não despertam o meu interesse, acho que é por isso que não me interessei em conhecer a história de Fiona e Joe... por isso dificilmente eu leria esse livro.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Olá Ivi!
    Nossa estou impressionado com o quão diferente esse romance de época soa em relação ao padrão do gênero. E isso é ótimo porque quem lê muitos livros de época começa achar tudo muito pré-fabricado e repetitivo. Mas aqui a autora vai além e trabalha elementos que tornam a leitura fluida e muito prazerosa.
    Além de todo o aspecto histórico que permeia a trama (e nos faz refletir sobre as mudanças entre a realidade trabalhista do passado e do presente), a introdução de temas como homofobia eleva O Chá do Amor a um outro patamar. Tenho certeza que o Nick deve ser um personagem que a gente gosta logo de cara.
    Adorei a indicação, beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olha, não sei se já citei aqui, dificilmente eu me vejo interessado por livros no estilo de romance de época. Apesar disso, esse livro me deixou muito interessado por conta dos temas que a autora aborda durante a história. Além disso, a escrita da autora parece ser maravilhosa.

    ResponderExcluir
  6. Fico com medo de ler livros de época porque, no final das contas, a gente sempre acaba comparando com a Julia Quinn. Não conheço a autora mas é bom saber que a escrita dela é bem fluida e fácil de ler. Gostei desse aspecto histórico que você disse que a autora colocou na trama. Quero muito conhecer.

    ResponderExcluir
  7. Que indicação boa, não conhecia o livro e para esse primeiro contato, eu gostei bastante. A princípio ate pensei que seria apenas um livro de romance, mas pelo jeito vai além.

    ResponderExcluir

Ivi Campos

45 anos. De todas as coisas que ela é, ser a mãe do André é a que mais a faz feliz. Funcionária Pública e Escritora. Apaixonada por música latina e obcecada por Ricky Martin, Tommy Torres, Pablo Alboran e Maluma! Bookaholic sem esperanças de cura, blogueira por opção e gremista porque nasceu para ser IMORTAL! Alguém que procura concretizar nas palavras o abstrato do coração.




.

Colunistas

sq-sample3
Kesy
sq-sample3
Kelly
sq-sample3
Laís

Facebook

Instagram

Resenhas

Meus Livros

Músicas

Youtube


Arquivos

Filmes

Twitter

Filmes

Mais lidos

Link-me

Meu amor pelos livros
Todas as postagens e fotos são feitas para uso do Meu amor por livros. Quando for postado alguma informação ou foto que não é de autoria do blog, será sinalizado com os devidos créditos. Não faça nenhuma cópia, porque isso é crime federal.
Tecnologia do Blogger.