13.9.19

Quando Tudo Ruir (Lola Salgado)

Ficha Técnica:
Autora: Lola Salgado
País de Origem: Brasil
Editora: Kindle 
Número de Páginas: 568
Ano de Publicação: 2018
ISBN: B07RKGTJBY

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 67º livro lido em 2019 e foi Quando Tudo Ruir (Lola Salgado). Decidi ler este livro por dois motivos: primeiro porque é uma indicação da Kelly que leu a obra enquanto a autora ainda estava postando no Wattpad e pelos elogios dela o livro merecia muito ser lido. O segundo motivo é que eu já li dois livros da autora, um que amei e outro que problematizei, por isso, necessitava ler algo que me fizesse amar a autora ou entender que não sou o público-alvo dela.

O livro nos traz dois personagens, a Alana, uma adolescente que começa a história vivendo o que ela considera ser o melhor momento de sua vida: trabalha como modelo desde muito cedo e em função das campanhas que fez nos últimos anos, foi escolhida por sua agência para passar uma temporada no Japão e isso é a realização profissional que ela sempre quis. Porém antes deste sonho se realizar, Alana é atropelada e seus ferimentos são tão graves que ela tem a perna amputada, o que coloca os seus sonhos em uma gaveta.

O outro personagem é o Martin, adolescente também e que já nas primeiras páginas do livro entendemos que ele esteve em uma clínica psiquiátrica após uma tentativa de suicídio. Martin sofre de uma depressão intensa e tudo indica que seu estado é fruto da relação conflituosa que vive dentro de casa com seu padrasto que além de ser violento, abusa sexualmente dele.

Alana e Martin se encontram quando a mãe dele decide pagar para que ele termine o ensino médio em uma escola particular. Os dois estão na mesma classe e como são os excluídos da turma, acabam se aproximando e se envolvendo.

Quando comecei a ler o livro eu não esperava me deparar com algo tão intenso e tão sensível. O drama que os personagens vivem separadamente são fortes e legítimos, mas isso ganha força com a maneira que a autora nos decidiu contar essa história. Conseguimos entrar na mente e no coração dos dois personagens e sofremos com cada dificuldade que aparece no caminho deles.

A perda, a frustração e a depressão são tratados no enredo com seriedade e de forma tão crível que é assustador imaginar que as pessoas realmente se sintam da forma como os personagens se sentem e em várias partes da leitura, me senti extremamente comovida com as questões que eles precisavam lidar para sobreviverem. Martin em especial ocupou todo meu coração porque minha vontade era entrar no livro e poder abraçá-lo, arrancando-o da realidade em que ele vivia.

É uma história forte, pertinente e muito bem contada que me emocionou e me fez pensar no enredo por muito tempo. A minha sensação foi que eu realmente conhecia aquelas pessoas e me senti extremamente impotente em não poder interromper o ciclo de sofrimentos que se desenvolvia nas páginas. Esse tipo de sensação é muito importante para nós leitores porque nos faz olhar para os lados e imaginar que as pessoas que nos cercam podem precisar da nossa atenção e da nossa ajuda. Estar atento a isso é fundamental para que sejamos mais úteis no mundo em que vivemos, principalmente em tempos como os nossos em que a empatia tem se transformado em algo tão raro.

Minha expectativa com a leitura estava sob controle e foi extrapolada com sucesso porque embora tenha me feito sofrer, foi uma leitura sensacional.

A autora repete alguns termos e palavras, mas de uma forma geral a história é tão boa e tão bem contada que isso não deve incomodar os leitores. Eu adorei a experiência e Quando Tudo Ruir serviu para eu entender que embora a última leitura de um livro da autora não tenha me agradado, esse aqui me provou que devo continuar acompanhando seu trabalho, que é relevante e de extrema qualidade.

Recomendo sem medo de errar, alertando sobretudo que o livro traz temas fortes que abordam abusos físicos e ainda que as cenas não sejam gráficas e detalhadas, o emocional do leitor deve estar em equilíbrio para absorver o enredo.

Eu adorei.


Um pouco sobre a autora: Lola Salgado acredita fervorosamente que o sushi foi a melhor invenção da humanidade. Paranaense, ela gosta dos dias mais frescos, de café amargo e de histórias que mexem com seus sentimentos. Está em um relacionamento sério com os livros desde que se entende por gente e escreve porque alguém certa vez lhe disse que é assim que se faz magia. Escorpiana nascida em novembro de 1993, Lola publicou seus primeiros livros na plataforma Wattpad, onde ganhou o prêmio internacional Wattys com uma de suas obras. Na Amazon, seus livros ultrapassam 10 milhões de leituras. Alguns de seus livros publicados são:
    • Sol em Júpiter
    • As Pequenas Coisas
    • O Advogado
    • A Linguagem do Amor
    • O Acusado
    • Tentador
    • Quando Tudo Ruir
    • Minha vida (não) é uma comédia romântica

9 comentários:

  1. Uau, que diferença de uma leitura para a outra, né?
    Às vezes temos que dar uma segunda chance para os autores...
    Essa carga emocional, dramática super chamou minha atenção. Amo leituras sensíveis, que tocam o coração.
    Acho que já sei por qual livro eu devo conhecer a escrita da Lola.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Essa não conhecia e nossa, pesada heim. Os personagens tem histórias bem difíceis, essa do menino já me deixou com o coração na mão e com raiva. O encontro desses dois parece um alivio, alguém que entende o outro, que passa por coisas ruins também...isso chama atenção na história porque eles parecem fazer a diferença um pro outro. Isso é bem bonito. Uma trama sensível e com temas difíceis, mas que parece entregar algo bem legal ao leitor.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Sem sombra de dúvidas o ponto alto da obra é a forma cuidadosa com a qual Salgado introduz temas como abuso e depressão, os quais são trabalhados devidamente para despertar a empatia do leitor para com os protagonistas.
    Inevitavelmente, quem está lendo passa a desejar fortemente um final feliz para esses personagens, sem contar que com o final da leitura muito se tem para refletir.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Ahhh, fico tão feliz que você tenha dado uma segunda chance pro meu trabalho!!! A Linguagem do Amor foi um dos meus primeiros livros e de lá pra cá já evolui como escritora e como pessoa, e fico feliz quando vocês notam a diferença entre os livros.

    Amei a resenha! QTR foi um livro que exigiu tanto, mas me orgulho pelo Martin e pela Alana, ainda mais quando leio palavras tão doces como essas. Muito obrigada mesmo ��

    ResponderExcluir
  5. Que livro intenso. Adoro essas histórias fortes que causam impacto na gente, e percebo que esse livro carrega justamente isso. O peso que ambos personagens carregam, principalmente o Martin me deixou triste e reflexiva. Realmente precisamos olhar com cuidado a nossa volta.
    Esse é um livro da autora que com certeza lerei, que bom que a leitura fez você decidir contuar acompanhamdo o trabalho da autora, que parece ser de qualidade mesmo.

    ResponderExcluir
  6. Olá! ♡ Eu não tenho nem palavras para descrever o quanto amei esse livro! Foi uma leitura dolorosa, mas que me marcou demais, até agora foi a melhor leitura que fiz esse ano ♡
    Eu comecei a ler a obra quando a mesma ainda estava sendo postada no Wattpad, foi de longe a melhor leitura que eu fiz na plataforma.
    Doeu demais ver os personagens sofrendo tanto, eles eram tão jovens e já tinham de lidar com tanta coisa ruim, tanto sofrimento. Chorei fazendo essa leitura, principalmente nos capítulos narrados pelo Martin, ver tudo o que ele passava em casa acabou comigo, a dor do personagem era tão palpável, tão dilacerante, desesperadora. Eu só queria poder entrar dentro do livro e tirá-lo daquela realidade horrorosa em que ele vivia.
    É uma leitura bem intensa e sensível mesmo, fiquei impressionada em como a autora trabalhou de forma tão real temas tão delicados.
    Terminei essa leitura no começo do ano, e ainda hoje a história se mantém fresca na minha memória, nunca vou conseguir esquecer dessa história, do quanto ela me marcou e dos sentimentos que tomaram conta de mim enquanto eu fazia essa leitura.
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    A trama desse livro é bem intensa e traz põe em xeque várias questões importantes. É impossível não se emocionar com a história de vida dos personagens e como você disse querer comforta-los com muito carinho. É uma história bem diferente da resenha anterior e que me fez querer conhecer a escrita da autora.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oiii ❤ Esse livro me destruiu. Ele é maravilhoso, a Lola Salgado conseguiu trabalhar tão bem a depressão, o abuso físico e psicológico entre outros temas tão bem.
    Tiveram algumas partes que me chocaram tanto e partiram meu coração que eu precisei parar um pouco a leitura para respirar.
    Esse livro é um soco no estômago. Eu só queria poder pegar a Alana e o Martin no colo em alguns momentos, pois eu ficava tão triste com tudo o que eles tinham que suportar.
    Essa leitura me tocou muito, tiveram partes que eu só queria chorar por a vida ser tão injusta com os personagens.
    Eu fiquei tão impactada com esse livro que ele é o único que eu dei cinco estrelas esse ano até agora.
    Estou apaixonada pela escrita da Lola Salgado e quero muito ler seus outros livros.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  9. Caramba, realmente um livro fortee que com certeza marca o leitor. Fiquei curiosa em conheçer a Alana, acho que todo sentimento e tristeza da para ser expressado no livro. Com certeza é um livro que gostaria muito de ler.

    ResponderExcluir