23.7.19

Filme da Vez #101 Pets: a Vida Secreta dos Bichos 2

FICHA TÉCNICA
Título Original: The Secret Life of Pets 2
Ano de Produção: 2019
Lançamento no Brasil: 27 de junho de 2019
Duração: 86 minutos
Gênero: Animação, Ação e Aventura
País de Origem: Estados Unidos
Classificação Etária: Livre
Direção: Chris Renaud
Elenco: Eric Stonestreet, Jenny Slate, Kevin Hart, Patton Oswalt, Tiffany Haddish, Albert Brooks,  Bobby Moynihan, Dana Carvey, Ellie Kemper, Garth Jennings, Hannibal Buress, Harrison Ford, Lake Bell, Meredith Salenger, Nick Kroll, Pete Holmes, Tara Strong.
Sinopse: Na sequência, Max está lidando não tão bem com algumas mudanças da vida. Agora com Liam na casa, ele passa boa parte do tempo preocupado e desenvolve um tique nervoso. Ao viajar para uma fazenda, sua ansiedade fica ainda maior em contato com animais que ele não conhecia. Enquanto isso, Gigi assume papel de mãe e tenta resgatar o brinquedo favorito de Max em uma casa repleta de gatos pouco amistosos. E o fofo Bola de Neve lida com seus delírios de grandeza na pele de um super-herói. Será que Max, Bola de Neve, Gigi e o resto da turma terão coragem suficiente para encarar seus maiores temores?
Oi gente que ama livros, hoje venho comentar com vocês as minhas impressões sobre a produção Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2.

Se o primeiro filme preocupava-se em apresentar o cachorrinho Max e sua experiência ao lidar com a chegada de um novo canino (Duke) na casa de sua dona Katie, nesta sequência e após alguns anos, o animal vê a garota chegando à vida adulta, conhecendo seu marido e num piscar de olhos,  tornando-se mãe de um pequeno garoto, Liam. Max sente-se ansioso com a chegada do bebê e não sabe o porquê. O cão sente estar ofuscado pela presença do garoto e em igual medida um instinto protetor por ele, em especial quando a família viaja para uma fazenda.


Pode-se dizer que Pets 2 é uma sequência episódica, ao menos durante a maior parte do tempo. Aqui, a oferta é a de passar mais tempo casual com as personagens em seu dia-a-dia, sem grandes eventos transformadores e estruturada como um capítulo, colocando seu elenco em situações que podem ser facilmente resumidas: Gigi deve cuidar do brinquedo favorito de Max enquanto viaja e Bola de Neve tornou-se um vigilante, que deve salvar um tigre raro de um circo itinerante.

Novamente, a graça do longa não está no enredo e no que de fato ocorre, mas em como todos os eventos se dão, inclusive ao encontrar soluções simples no momento de cruzar todas as tramas em uma só. Enquanto as linhas não culminam em uma sequência de ação final, tudo transcorre com leveza enquanto Max aprende sobre a vida na fazenda com Galo, Gigi deve invadir um covil de gatos e aprender a se comportar como um gato para resgatar o brinquedo que perdeu e ao lado de Daisy, Bola de Neve deve encontrar um lar para o tigre deslocado na cidade grande.


A leveza no tom é almejada até mesmo quando os bichos correm perigos possivelmente fatais e isto leva a um dos aspectos mais irregulares, se não problemáticos, da produção. Desde o início, o longa compromete-se com a premissa de encontrar humor no cotidiano dos animais, mantendo uma certa verossimilhança dentro do que o conceito propõe. Porém, justamente na trama de Bola de Neve como no longa anterior, sente-se que a abordagem é completamente outra, com ideias exageradas que mais parecem pertencer a um filme da franquia Madagascar, com animais que conduzem carros e que são capazes de realizar outras ações humanas ou até super-heróicas.

A trama com o tigre também se mostra pouquíssimo inspirada e até desfalcada para uma animação contemporânea, principalmente na concepção do vilão, um artista circense cigano que se veste como um mago e cujo comparsa é um macaquinho atirador de facas. Apesar da caricatura, é ele que também introduz elementos perigosos à adequação do filme ao público mais jovem e chega a ameaçar os animais com armas de fogo, sem mais nem menos. Não digo isso para delimitar o que é aceitável ou não em um longa como esse, mas para apontar o quão inconsistente o projeto se torna com a própria proposta inicial.


Na minha opinião Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2 é extremamente inferior ao primeiro filme e alguns dos arcos que tenta desenvolver não são concluídos de forma relevante. É visualmente lindo e com cenas engraçadas, mas fraco e sinceramente, desnecessário.

Trailer Oficial

Nenhum comentário:

Postar um comentário