10.5.21

Garota em Pedaços (Kathleen Glasgow)

Ficha Técnica:

Nome Original: Girl in Pieces
Autora: Kathleen Glasgow
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: Regiane Winarski
Número de Páginas: 384
Ano de Lançamento: 2016
ISBN13: 9781101934715
Editora: Planeta
SKOOB | GOODREADS | Compre na AMAZON

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 30º livro lido e foi Garota em Pedaços (Kathleen Glasgow). Esse livro foi mais uma indicação que vi no Devaneios de Papel. Fiquei curiosa com a premissa e fui empolgada para a leitura.

O livro nos traz Charlotte, uma garota que teve muitos problemas na vida. Ainda muito nova, seu pai cometeu suicídio e ela passou a viver apenas com a mãe que a tratava com violência e descaso. Além desta problemática familiar, Charlotte sofre com o bullying na escola. Conforme a situação em casa começa a ficar pior a cada dia, Charlotte se aproxima de Ellis e as duas se tornam muito amigas, até que cansada do relacionamento com a mãe, Charlotte vai morar na casa de Ellis. Os pais de Ellis descobrem drogas na casa (são do namorado dela), mas é Charlotte quem leva a culpa e fica sem um teto sobre a cabeça. Ela passa a viver nas ruas, com péssimas companhias e quando descobre que Ellis foi embora, passa a se cortar e isso chega em um ponto em que Charlotte quase morre em função destes ferimentos. Então é internada em uma casa para cuidados em saúde mental até que o plano de saúde da mãe é interrompido. Ela deixa essa casa e decide atravessar o país para tentar uma nova vida, saindo da fria Mineápolis para a quente Tucson, onde tenta sobreviver a todo custo.

O livro começa com Charlotte na clínica, compartilhando seu dia a dia, suas refeições e seu tratamento, bem como todas as interações com as outras internas, relembrando tudo o que aconteceu com sua vida até aquele ponto. O livro se desenvolve na saída de Charlotte dessa clínica e sua constante tentativa de se manter viva e em segurança, com subempregos e vivendo no limite da miséria, em que muitas vezes precisa pegar comida do lixo para se alimentar.

O livro nos traz a história em primeira pessoa, nos coloca dentro da cabeça da Charlotte e nos faz sentir sua dor. O abandono e a violência da mãe, as constantes perseguições na escola, a perda do pai e a separação da melhor amiga colocam Charlotte em um mundo de sofrimento constante. Charlotte encontra boas pessoas no caminho, mas também se envolve com as que não são assim, o que só atrasa sua vida e em um ponto do livro desacreditamos que ela conseguirá superar toda essa dificuldade.

O livro possui uma sensibilidade impressionante, o que fica claro ao lermos a nota da autora que nos conta que Charlotte é uma personagem inspirada em sua própria trajetória, pois ela também se cortava para aliviar sua dor emocional. Essa nota é extremamente comovente e de certa forma, humaniza ainda mais a protagonista fictícia do enredo.

Eu gostei demais da leitura e me emocionei em diversas partes. Charlotte está em um mundo de diferenças sociais muito incisivas e luta simplesmente para viver. Não quer depender de ninguém e não tem condições financeiras para pagar por ajuda profissional, por isso tenta se convencer a todo instante que se fizer sua parte, conseguirá ficar bem.

A narrativa é intensa, forte, com cenas descritivas de automutilação e violência, por isso é necessário que a leitura seja feita com reflexão para que não cause desconforto emocional. Até para mim que já li outros livros com o tema e não sou sensível a ele – não vivi e nem conheço alguém próxima a mim que tenha vivido – me deixou bastante melancólica.

Indico a leitura para quem gosta de narrativas intensas e quer saber um pouco mais sobre o tema, mas com muitas ressalvas, ainda que a escrita seja linda, intensa e a história seja muito bem contada.

Eu gostei muito!


Um pouco sobre a autora:
Kathleen Glasgow é uma autora nascida na Pennsylvania, Estados Unidos, e que debuta no mercado editorial americano com o romance Garota em Pedaços. Fã de J.D. Salinger, é muito ativa nas redes sociais – principalmente no Twitter –, meio que usa para manter uma forte conexão com seus jovens leitores. Mãe de duas crianças, ela vive em Tucson, no estado americano do Arizona.

Um comentário:

  1. Oi Ivi.
    Quando lançou este livro, eu fiquei interessada na leitura. Porém acabei lendo uma resenha com uma opinião negativa e acabei deixando de lado a leitura, mesmo tendo curiosidade sobre ela. Com a sua opinião a curiosidade voltou. Dessa vez vou dar uma chance, ainda mais sabendo que é uma leitura emocionante.

    Bjos
    https://consumidoradehistorias.blogspot.com/

    ResponderExcluir