15.3.21

Querido Edward (Ann Napolitano)

Ficha Técnica:

Nome Original: Dear Edward
Autora:  Ann Napolitano
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: Ligia Azevedo
Número de Páginas: 302
Ano de Lançamento: 2020
ISBN-13: 9788584391714
Editora: Tag Inéditos
SKOOB | GOODREADS | Compre na AMAZON

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 15º livro lido em 2021 e foi Querido Edward (Ann Napolitano). Este livro chegou para mim através da Tag Inéditos em agosto de 2020.
O livro nos traz o Edward, um menino de 12 anos que está de mudança para o outro lado do país com os pais Jane e Bruce e o irmão mais velho Jordan no voo 2977 de Nova York para Los Angeles. Muitos outros passageiros os acompanham no que seria um voo comum, porém infelizmente o avião cai e Edward é o único sobrevivente deste terrível acidente. Edward acorda em um hospital, com ferimentos graves nas pernas e dentro de uma nova e dolorosa realidade, pois terá que passar pela dor da perda, pelo luto e no meio de toda essa tristeza ainda terá que lidar com a mídia sensacionalista. Ele está em todos os noticiários, todos querem saber como ele sobreviveu, como se sente e como se recuperará. O menino é acolhido pelo casal de tios, Lacey e Jonh, que surpreendidos pela tragédia, tentam a todo custo cuidar de Edward, ainda que tenham questões particulares para resolverem. 


O livro se desenvolve sobre Edward superar a dor da perda e começar a visualizar um futuro para si sem a presença da família que tanto amava. Em determinado momento, a narrativa volta no tempo e nos mostra como era a família antes do acidente. A mãe muito cuidadosa, o pai sempre presente e o irmão, que era como um ídolo para Edward.

O livro nos surpreende ao trazer arcos de outros passageiros que estavam no voo além de Edward e sua família e nos mostra como e quais eram suas aspirações para o futuro, interrompidas pelo acidente. Ainda que sejam recortes sucintos destas vidas, o livro se torna muito dinâmico ao mostrar a pluralidade de histórias intensas abreviadas pela morte. Ao inserir estes personagens dentro da história de Edward, a leitura se tornou ainda mais intensa porque a todo momento sabemos que esses sonhos não serão realizados, o que me angustiou, porém ao mesmo tempo, aliviou meu coração ao me distanciar um pouco do sofrimento de Edward. 


Edward é um garoto sensível e muito esperto, mas precisa ter muita força de vontade para superar o luto e isso se dará ao ter ao seu redor uma rede de apoio forte e muito crível, principalmente quando se aproxima de Shay, a vizinha dos tios da mesma idade dele e estarão juntos na escola. Shay é sincera e ao mesmo tempo, extremamente carinhosa, sendo a pessoa com quem Edward se sentirá mais seguro por grande parte da narrativa.

O livro traz o tema da morte de forma muito real, respeitosa e esmiúça essa dor de forma objetiva. Traz nuances interessantes de como as pessoas reagem de formas distintas com suas perdas e como não existe um padrão para esse caminho de superação.


A narrativa intercala os dias e meses da nova vida de Edward e os momentos dentro do avião. A parte da queda é descritiva e extremamente sofrida, o que me rendeu batidas cardíacas aceleradas e um rosto molhado de lágrimas. A narrativa é simples e sensível, o que desperta uma série de emoções no leitor, porém quem tem medo de avião ou altura, é recomendado repensar a leitura pois pode despertar desconforto emocional.

Eu adorei a leitura por todas as sensações trazidas pela experiência, mas sobretudo, por falar de algo tão dolorido como a perda da família sob o ponto de vista de uma criança, que perdeu todo seu mundo de um momento para o outro e terá que ressignificar uma série de situações que ele nem imaginava que pudessem ter fim.

Eu adorei!


Um pouco sobre a autora:
Ann Napolitano é editora da revista literária One Story e autora dos romances. Ela já deu aulas de escrita criativa em programas da Universidade de Nova York, da Brooklyn College e na escola Gotham Writers Workshop. Atualmente, Ann vive no Brooklyn, em Nova York, com o marido e dois filhos. Querido Edward é o seu único livro publicado no Brasil.

8 comentários:

  1. Oi!!

    Eu vi algumas pessoas falando desse livro. Eu com toda certeza choraria rios com essa história, essas coisas de acidente e superação sempre mexem comigo ahahahahha
    Eu já tava curiosa com esse livro, agora tô mais ainda. Adorei tua resenha, ficou incrivel!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Realmente parece ser uma história sofrida, e vou falar que não sei se teria estômago suficiente. Tragédias misturada com crianças sempre aperta demais meu coração. Mas como tenho ouvido elogio, assim como você trouxe, talvez eu ainda tente. Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem ? Ainda não conhecia esse livro. E como passei pelo luto recentemente, eu não teria emocional para conseguir ler esse livro, ainda mais por se tratar de crianças.
    Acho que é importante trazermos esses aspectos de força e superação.
    Principalmente pelo olhar de uma criança, se para mim que sou adulta, já é díficil ter perdido meu pai e meu irmão, fico me colocando no lugar, me dói até a alma.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Lendo sua resenha fiquei curiosa de saber mais sobre os fatos e sobre a vida do Edward, o luto deve ser muito sofrido para ele e ser o único sobrevivente...a mídia quer a história deve ter dado um nó em sua cabeça. Adorei a história e muito ansiosa para ler, uma amizade com quem podemos contar é muito importante. Parabéns pela resenha, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  5. Já tinha visto a capa desse livro por aí, o título me lembrou na hora de Querido John, mesmo sem eu saber do que o livro tratava. Gosto de enredos que trazem coisas do cotidiano, algo que é possível de acontecer com qualquer pessoa. Confesso que nunca li nenhum livro que fale sobre acidente aéreo, mas esse me deixou curiosa. Embora eu ame fantasia ando meio sem paciência pra elas e nos últimos dias ando a procura de enredos mais reais, mais paupáveis,menos mágicos. Vou considerar ler esse livro em breve : )

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ivi! Tudo bem?
    Eu tenho muita vontade de ler esse livro, mas ao mesmo tempo morro de medo. Acho sempre muito doloroso ler livros que falem sobre o luto e no caso desse ainda tem a questão do acidente do avião. Eu tenho pavor de viagens de avião, então, acho que seria muito difícil para ler essa parte. Mas sua resenha me deixou com vontade de arriscar, porque parece ser uma leitura muito tocante e que traz reflexões interessantes. Amei sua resenha e espero um dia me sentir pronta para ler esse livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ivi!
    Eu acho que já li a respeito desse livro, o nome não me é estranho. Gostei da premissa, parece um livro que vai mesmo me levar às lágrimas facilmente. Mesmo assim, me atraiu muito toda a trama, a sua resenha mostra o que devo esperar da leitura e estou muito tentada a arriscar.
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia a obra,mas fiquei curioso para ler,pois parece ser uma história intensa e muito emotiva. Anote a dica para ler em breve.

    ResponderExcluir