23.10.18

O Céu Está em Todo Lugar (Jandy Nelson)

Ficha Técnica:
Nome Original: The Sky Is Everywhere
Autora: Jandy Nelson
Tradução: 
País de Origem: Estados Unidos
Número de Páginas: 424
Ano de Lançamento: 2011
ISBN-13: 978-8581638195
Editora: Novo Conceito

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 60º livro lido em 2018 e foi O Céu Está em Todo Lugar (Jandy Nelson). Este livro estava parado na minha estante há muito tempo. Lembro que o comprei porque achei a capa linda e quando o peguei na livraria, senti que a textura da capa era diferenciada e ao folheá-lo, me deparei com um lindo projeto gráfico. Porém, acabei adiando a sua leitura sem nem lembrar os motivos.

O livro nos traz a Lennie, uma garota que acaba de perder sua irmã mais velha, a Bailey, e se encontra perdida sem sua principal referência de vida. Ela está tão sem rumo quanto Toby, o namorado da irmã morta. Na tentativa de se ajudarem, Lennie e Toby começam a se aproximar, mas acabam confundindo as coisas e um relacionamento estranho surge daí. Paralelo a isso, Lennie conhece o aluno novo Joe Fontaine, que é o novo astro da banda da escola, toca divinamente, está sempre sorrindo não importa o que aconteça e faz Lennie feliz, trazendo os melhores sentimentos possíveis. Temos ainda Sarah, a melhor amiga de Lennie, de quem Lennie se afasta pois acredita que ela não é capaz de entender seu luto.


Lennie e Bailey foram abandonadas pela mãe quando eram muito novas e foram criadas pela avó que apesar da saudade da filha, sempre encheu as duas netas de esperanças que um dia ela retornaria. E assim, o livro se desenvolve em Lennie tentar superar a morte da irmã, entender o que a aproxima tanto de Toby e deixar o sentimento que está nascendo por Joe tomar forças.


O Céu Está em Todo Lugar é um livro sobre superação e autoconhecimento. É sobre encontrar força na sua dor e lidar com o fato de que ela nunca vai desaparecer completamente. A morte de Bailey foi abrupta e Lennie não soube como lidar com o buraco que a ausência da irmã deixou. Se sente culpada o tempo inteiro por trocar beijos quentes com Toby e ao mesmo tempo estar entusiasmada por Joe e querer viver este sentimento. O livro é muito intenso quando trata da dor da perda e quem já perdeu alguém irá se identificar facilmente com a protagonista porque ela se entrega a dor, não negando o fato que sempre sentirá falta da irmã. Porém, o enredo é um pouco superficial quando tentamos entender as atitudes que Lennie começa a tomar. Sabemos que o seu estado de confusão emocional é legítimo, mas, ainda assim, queremos que ela faça outras coisas. A escrita é muito envolvente e o livro é de uma leitura rápida porque existem muitas gravuras e a diagramação é bem confortável. 


Eu gostei bastante da leitura e embora tenha questionado a protagonista em muitas cenas, tentei me colocar no lugar dela. A autora deixa muito claro que a dor de uma morte é sentida de formas diferentes e que cada um tem seu tempo para poder superar esta separação. O livro aborda outros temas pertinentes a adolescência, mas sem dúvida a morte é o tema central e por isso, o drama é mais pesado durante a narrativa.

Gostei bastante de ter lido este livro e outra vez, sinto que eu deveria ter lido antes, talvez logo que o comprei porque apreciei a escrita e a forma como a história se desenvolveu.


Recomendo para quem gosta de livros do estilo jovem adulto com uma veia mais dramática, que não se incomoda com protagonistas que sofrem o tempo todo e que talvez não se irritem com um possível triângulo amoroso.

Eu gostei.


Um pouco sobre a autora: Jandy Nelson nasceu em 1965 e é uma autora americana de ficção para jovens e adultos. Antes de sua carreira como autora, ela trabalhou por 13 anos como agente literário. É bacharel pela Cornell University, bem como MFAs em poesia e literatura infantil pela Brown University e Vermont College of Fine Arts. Mora em São Francisco, na Califórnia e seus livros publicados no Brasil são:

  • Eu Te Darei o Sol
  • O Céu Está em Todo Lugar

Nenhum comentário:

Postar um comentário