15

O Primeiro Último Beijo (Ali Harris)

Ficha Técnica:
Nome Original: The First last Kiss
Autora:  Ali Harris
Tradução: Sandra Martha Dolinski
País de Origem: Inglaterra
Número de Páginas: 448
Ano de Lançamento: 2016
ISBN-13: 9788576864479
Editora: Verus

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 36º livro lido em 2016 e foi O Primeiro Último Beijo (Ali Harris). Desde a primeira divulgação que a Verus Editora fez deste livro, eu me interessei por ele. Geralmente, eu deixo passar um pouco o burburinho dos lançamentos, mas este aqui foi realmente um livro que eu queria muito ler e, logo após lançado, me joguei sem medo na sua história.

O livro nos traz a Molly, uma fotógrafa bem sucedida, inglesa, na faixa dos seus trinta e poucos anos. Nosso primeiro contato com a Molly, é quando ela está terminando de empacotar suas coisas para se mudar da casa onde mora e, enquanto embala utensílios pessoais, ela nos conta a sua vida e como exatamente chegou até ali. Na verdade, ela nos conta sobre o grande amor que viveu com Ryan Cooper.
“Quando se passa pelo que eu passei, quando se aposta tudo no amor – e se perde –, nunca se é a mesma de novo, Não de verdade.”
Molly e Ryan se conheceram na adolescência. Ele era um daqueles garotos populares de uma pequena cidade praiana da Inglaterra. De uma família de classe média alta, bonito, inteligente e muito dedicado aos esportes, Molly sempre o enxergou com sorrisos e brincadeiras, acompanhado de seus amigos. Ao contrário dele, Molly era a garota sem graça, com apenas uma amiga, em constante guerra com sua aparência. Mas apesar de negar para si mesma e para qualquer outra pessoa, ela se apaixonou por Ryan desde o primeiro momento que ele falou com ela.


O livro então nos conta das idas e vindas deste amor. Ryan também se apaixonou por Molly e apesar de muito novos, quando Molly concluiu a faculdade, foram morar juntos, contando com o apoio da família dele que supria de certa forma, a carência de Molly, pois ela sempre foi distante de sua própria mãe, mesmo sendo filha única. Sempre com sua câmera fotográfica, assistimos Molly discorrer sobre seu relacionamento apaixonado com um homem perfeito, que também não media esforços para fazê-la feliz.

Com uma narrativa melancólica e intensa, conhecemos intimamente a Molly e em alguns momentos, é impossível não julgá-la por suas escolhas erradas. Porém, Molly é tão sincera ao falar de suas falhas e defeitos, que em vários momentos da narrativa, me senti extremamente ligada a ela. Molly e Ryan, apesar de se amarem muito, são muito diferentes entre si e em função disso, assistimos conflitos, dúvidas, mágoas e perdão, tudo isso costurado com uma escrita viciante e devastadora.
“Ele era a casa que eu passei a vida toda procurando. Um lugar que me abraçou sem expectativas. Ele abriu seu coração para mim e, ao fazê-lo, abriu a porta do meu coração também.”
Até a metade do livro, lendo o que Molly quer nos contar, não fazemos ideia de onde Ryan está no presente. Ele pertence ao passado de Molly e preenche todas as páginas em que ela relata sua vida até o momento em que o livro se inicia e, embora esta dúvida não seja algo realmente acentuado na escrita, em um dado momento do livro, você consegue perceber o que de fato aconteceu com o relacionamento deles e o motivo porque ela só fala do Ryan no passado.


Todas as minhas expectativas em relação ao livro eram muito pequenas perto de toda a grandeza da história e sobretudo, da intensidade na maneira como a autora nos insere na trama, nos apresenta os personagens e nos faz amar uns e odiar outros. A escrita é soberba, forte, bonita e muito envolvente. Se a mesma história fosse contada por um autor mediano, com certeza seria um drama comum, sem originalidade ou que você já viu em um milhão de livros e filmes, mas a forma como ela escreveu, foi sem dúvida, o motivo para que eu não desgrudasse do livro, salvo apenas, para enxugar as lágrimas enquanto lia.

Os personagens que orbitam Molly e Ryan são tão fortes e impressionantemente, tão vivos dentro do enredo, que a dinâmica dos acontecimentos não seria a mesma se eles não existissem. A família de Ryan é daquelas que quer fazer tudo junto, alegres, festeiros e unidos. Particularmente a mãe de Ryan, é digna de atenção por ser doce, feminina, mas muito forte. A mãe de Molly, que a princípio temos uma certa antipatia, ganha um espaço e uma participação pertinente na segunda metade do livro e, assistir Molly se aproximando dela é muito legal. Casey, a melhor amiga de Molly, despertou em mim uma série de sentimentos conflituosos. Ela nos mostrou o lado humano, emocional e fiel da Molly e por isso eu gostava dela, porém, a Casey era também, egoísta, inconsequente e muitas vezes, indigna da amizade.


O livro é fascinante em diversos aspectos e quando a história se encerra e você está soluçando e desidratada de tanto chorar, a única reação é abraçar o livro na esperança de manter Molly e Ryan perto de você, juntos, apaixonados e contagiando tudo e todos com amor.

Eu me identifiquei muito com a Molly. A sua sede de vida, de aventuras, de realizações e de amor, foi algo que me chocou em função de um dia eu ter sido assim e, a forma como Ryan foi acalmando suas inquietações com amor e segurança, me emocionou e me desconcertou diante de mim mesma.
“... agora, que os trato como se fossem as coisas mais preciosas na face da Terra, percebo que cada beijo é como um grão de areia que escorrega por entre os dedos e que não consigo segurar, por mais que eu tente. Como faço para deter as areias do tempo? Como posso fazer com que um beijo dure uma vida inteira?”
O livro fala de um amor verdadeiro, puro, forte e inesquecível. Fala também de família, amizades e fidelidade. As divagações de Molly ao relembrar momentos tão marcantes, me levou muitas vezes a questionar meus próprios posicionamentos na vida e este é o tipo de livro, que estará sempre na minha lembrança como uma leitura que me fez pensar, refletir e sentir.


Recomendo para todos aqueles que gostam de romance com uma boa dose de drama envolvido no enredo. Recomendo também, para quem aprecia uma escrita inteligente, sem furos e bem articulada. O livro é uma aventura inesquecível e uma celebração do sentimento mais poderoso do universo: o amor!

Eu amei!!!

Um pouco sobre a autora: Ali Harris é jornalista e já escreveu para revistas como Red, Elle, Stylist, Cosmopolitan e Company. Foi editora da Glamour antes de sair e se dedicar a escrever livros e formar sua família. Ela vive em Cambridge com o marido e os dois filhos. No Brasil, O Primeiro Último Beijo é o seu único livro publicado.
Comentários
15 Comentários

15 comentários:

  1. Ai gente! :O
    Eu já estava louca para ler esse livro, depois de ler sua resenha então esto surtando!!!

    http://quantomaislivrosmelhor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Ivi, eu gostei bastante desse livro, ainda mais porque sou apaixonada por romances e dramas envolvidos sim. Também acho que a narrativa é bem inteligente e não me incomodei nem um pouco com o modo como o texto foi exposto. Eu também me identifiquei muito com a Molly sabe, ela se sente tão livre com suas decisões que faz a gente pensar que é assim, ou pelo menos que um dia já foi. Ela é uma personagem que faz o leitor refletir bastante. Também senti o mesmo por Ryan que você comentou. Enfim, é mesmo sobre um amor verdadeiro, entre outros elementos emocionantes.
    Beijos, Fer <3

    ResponderExcluir
  3. Oiii Ivi, tudo bem????
    Eu fiquei levemente interessada no livro quando o vi, por causa desta capa linda e tudo o mais. Mas com a sua resenha, com certeza a vontade de conferir a obra ficou enorme :)
    Eu ando dando um tempo nos romances, mas esse terei que adicionar a lista heheh. E é bem isso, as vezes, a trama é meio clichê e tudo o mais, mas o autor escreve de uma forma tão bacana, que o resto é só detalhe. Fico feliz que esse tenha sido o caso ;)
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. AH IVI!!! como eu quero ler esse livro
    Eu ainda não tinha visto nenhuma resenha sobre ele e estava cheia de expectativas, agora lendo a sua resenha completa e maravilhosa eu quero muito mais. O livro parece que vai me agradar muito e estou louca por ele.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ivi! Tudo bem?
    Acho linda a capa desse livro! Já vi algumas outras resenhas positivas sobre ele nos últimos dias, mas a sua acabou sendo a mais detalhada delas. Não tenho muito interesse na leitura, pois não é muito o estilo que eu gosto, mas é bom saber que ainda existem autores capazes de transformar uma história simples em uma coisa maravilhosa devido ao seu tipo de escrita, como você comentou sobre essa autora. Isso é uma coisa que admiro muito em livros. Beijos! ^-^

    ResponderExcluir
  6. Oi Ivi, tudo bem?
    Morro de vontade de ler esse livro, vejo que muita gente está adorando e se emocionando e eu adoro livros assim, que me deixem desidratada de tanto chorar. Estou receosa sobre o porquê de Molly falar de Ryan só no passado, isso me deixa um pouco apreensiva e me faz imaginar um monte de coisas nada boas, mas ainda assim quero muito poder conhecer a história e sua resenha só fez aumentar esse desejo.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  7. Oi Ivi, esse livro está na minha meta de leitura, inclusive acabei de comprar meu exemplar, mas como ele é bem grandinho vou adiar um pouco a leitura, mesmo ele tendo sido tão bom pra você, vou agilizar a leitura de alguns lançamentos que quero muito ler e depois pego ele com calma.

    Abçs
    Sou bibliófila

    ResponderExcluir
  8. Oiii!

    Eu não conhecia a obra e gostei muito desse enredo. Estou em uma fase de ler livros de romance com uma pegada mais de comédia, mas sempre faz bem ler algo com uma carga dramatica. Gostei de conhecer um pouco mais da escrita da autora e como sempre sua resenha foi esclarecedora.
    Dica anotada! Ps: Essa capa é linda <3

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Este livro está fazendo um mega sucesso. Você conseguiu desvendar uma coisa que faltava das outras resenhas que li que é o fato de que ele fica um tempo fora do livro, achei que os capítulos iam se intercalando. Mas este livro está na minha lista de desejados e acho que a fase melancólica é o que sentimos quando amamos muito alguém e depois esta pessoa se distancia.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  10. Oiee Ivi ^^
    Esse livro me pegou de surpresa. Eu imaginei várias coisas que poderiam ter acontecido com o Ryan para ele não estar mais na vida da Molly, mas aquilo nem sequer passou pela minha cabeça. Fiquei boba quando a autora revelou tudo. O livro me emocionou bastante, e se mostrou ser bem mais do que eu imaginei que seria ♥ Gostei muito.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  11. Oi Ivi
    Fiquei muito feliz em ler sua resenha, pois ao contrário de você, minha expectativas são um tanto altas e ver que o livro possui tantos bons elementos e te surpreendeu positivamente me deixou mais empolgada para ler!
    Com certeza precisarei passa ele na frente de alguns outro ;)
    Adorei a resenha e a dica.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  12. Olá Ivi,
    Adorei sua resenha.
    Esse livro parece ser, simplesmente, fascinante e envolvente. Ao passo que ele é tudo isso, também sinto que é uma leitura melancólica e forte.
    Fiquei muito feliz em saber que suas expectativas foram pequenas diante da grandiosidade da obra.
    Dica anotada. Tenho certeza que vou gostar.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  13. Quando eu li INGLATERRA o livro já me interessou kkkkkkkk..
    Enfim a história me parece ser muito boa, sua resenha me deixou bem interessada porque você expõe muito bem sua opinião. Gosto de livros assim, intensos e que muitas das vezes nos prendem ao personagem. A leitura dessa história me lembra dias frios e chuvosos ahhah deve ser pela melancolia que você tanto fala. A única coisa na história que não me impressionou foi o fato de a autora colocar uma menina insegura, insatisfeita com sua aparência e tudo isso que já estamos acostumados nos romances..
    seforasilva.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Oi Ivi *--*

    Já tinha ouvido falar sobre esse livro e a capa me lembra muito os livros da Jojo Moyes. Ao contrario de você tenho muitas expectativas quanto a estória e vendo suas impressões vejo que serão atendidas pois só leio maravilhas sobre a grandiosidade da estoria.

    Bjos
    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Ola Ivi eu acabei de ler esse livro confesso que as atitudes da Molly me irritaram profundamente, se estava tão ávida por aventura desse um basta na relação e não fazer como ela fez. A parte final do livro me emocionou, e os fatos serem apresentados sem ordem cronológica me incomodaram. Me emocionei muito com o final e já vale a pena. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014