13

Inocência (Visconde de Taunay)

FICHA TÉCNICA
Nome original: Inocência
Autora: Visconde de Taunay
País de origem: Brasil
Número de páginas: 127
Ano de Lançamento: 1872
ISBN-10: 8575201107
Editora: FTD
SKOOB

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 9º livro lido em 2016 e foi INOCÊNCIA (Visconde de Taunay). Escolhi ler este livro para cumprir com dois itens do desafio Literário 2016. Li este livro pela primeira vez quando estava no segundo ano do ensino médio - em um tempo muito, muito distante - lembro que a primeira vez que li, gostei bastante do livro, tanto que ainda tenho o meu exemplar.

O livro nos traz Pereira, um homem de meia idade, viúvo e morador do interior. Ele é um homem simples e de bom coração e tem uma filha chamada Inocência que ele criou com muita proteção e sem a ajuda da esposa que faleceu quando a menina nasceu. Com pouco estudo, mas muito amor, ele tentou oferecer à filha o melhor que podia e sendo assim, pensando no seu futuro, ele a promete em casamento a um homem chamado Macecão que virá buscar Inocência para casar. Acontece que Inocência fica doente e por coincidência, Pereira conhece Cirino, um médico jovem que está pelas terras onde Pereira mora com a filha e ele pede para que Cirino cuide de Inocência para que ela fique curada. Um pouco óbvio, mas não menos válido, Cirino e Inocência se apaixonam.

O livro então irá se desenvolver no amor proibido do jovem casal e simultaneamente, vamos conhecendo os costumes e a cultura do interior do Brasil no final do século XIX. O romance entre Cirino e Inocência é apenas o fio condutor de uma história que nos apresenta ora descrições rebuscadas do campo e das relações humanas, ora descrições fluidas e leves sobre os mesmos temas. os personagens secundários em muitos momentos, roubam a cena do plot principal da narrativa, como o alemão Meyer, cientista que pesquisa borboletas exóticas e que o pai de Inocência acredita estar cortejando sua filha. O padrinho de Inocência também se torna um personagem bem admirável e um artigo de luxo ao texto.


Eu adorei reler este livro. O primeiro capítulo, o que vem a descrever o cenário e a circunstancia onde a trama irá se desenrolar, é indo de se ler. Com uma escrita lírica e repleta de analogias bem construídas, o autor nos faz visualizar os campos, as estradas, os cavalos e as casas da época. mais que isso, ele descreve a personalidade do tropeiro, seus sonhos, suas aspirações e como e quando a vida dele começa a mudar. 

O livro é romântico e com elementos bem regionalistas. O autor constrói diálogos com a forma simples que o sertanejo usa, o que pode incomodar alguns leitores em um primeiro momento, ou seja, com um linguajar simples e frases faladas de forma errada, entendemos a forma ingenua como os personagens viviam naquela época.


O final do livro é melancólico e trágico, mas muito bem desenvolvido, o que deu bastante credibilidade para todo o enredo. os personagens, muito consistentes, carregam o desfecho praticamente sem que você perceba e ao final, é fácil concluir que não poderia ser diferente.

Confesso que quando escolhi este livro para ler, estava com medo da leitura não funcionar. Já tinha muito tempo que eu não lia nenhum clássico da nossa literatura e tão viciada com a literatura contemporânea, estava receosa de que o texto e a história fossem cansativas, mas estava errada. Adorei a leitura, aos poucos, relembrei os detalhes da história e mais uma vez me envolvi com os personagens.


Acho que isso é o que um bom livro nos traz. Após tantos anos da primeira leitura, consegui me conectar mais uma vez com a história e apreciá-la até mais que a primeira vez. 
"E quando o homem medita, torna-se triste. Franca e espontânea é a alegria, como todo o fato repentino da natureza. A tristeza é uma vaga aspiração metafísica, uma relação inquieta e quase dolorosa acima da contingência material." página 103
Recomendo o livro para quem gosta de histórias bem contadas. É uma história de amor, mas o livro é muito mais que isso e com certeza o vocabulário rico que o livro traz, agregará a todo e qualquer leitor.

Eu adorei!!!

O livro já é de domínio mundial e está disponível para download AQUI. Também existe uma adaptação cinematográfica do livro. Eu não assisti, logo, não sei dizer se é bom e do quanto foi fiel à obra original, mas fica a dica. Está completo no Youtube.



Observação: A leitura deste livro cumpre com os itens 3 e 4 do Desafio Literário 2016. O item 3 seria a leitura de um livro que começasse com a letra que inicia o meu nome e o item 4 seria a leitura de um livro que estivesse abandonado na estante. Ele cumpre com outros itens também, mas selecionei apenas estes dois. Se vocês tiverem sugestões para os outros itens, aguardo ansiosamente!!!


Um pouco sobre o autor: Visconde de Taunay (Alfred d’Escragnolle Taunay), foi engenheiro militar, professor, político, historiador, sociólogo, romancista e memorialista, nasceu no Rio de Janeiro, RJ, em 22 de fevereiro de 1843, e faleceu também no Rio de Janeiro em 25 de janeiro de 1899. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, onde criou a Cadeira n. 13, que tem como patrono Francisco Otaviano. Alguns de seus livros publicados são:
  • Mocidade de Trajano, romance (1870)
  • A retirada da laguna, narrativa de campanha (1872)
  • Inocência, romance (1872) 
  • Lágrimas do coração, romance (1873)
  • Histórias brasileiras, contos (1874) 
  • Ouro sobre azul, romance (1875)
  • Narrativas militares, contos (1878)
  • Céus e terras do Brasil, evocações (1882)
  • Estudos críticos, 2 vols. (1881 e 1883)
  • O encilhamento, romance (1894)
  • No declínio (1899)
  • Reminiscências (1908)
  • Trechos de minha vida (1911)
Comentários
13 Comentários

13 comentários:

  1. Como é gostoso ver blogs que se importam um pouco com a literatura brasileira, mas uma literatura clássica.
    Li Inocência a muito tempo atrás e te confesso que nem lembra mais do livro.
    A gente viaja nele é maravilhoso descobrir os costumes de uma época diferente da nossa ♥ É um livro melancólico como tu falou e uma leitura muito boa.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  2. Olá, Ivi.
    Que bacana essa dica literária, gostei da maneira carinhosa que apresentou a resenha - voltando ao momento nostálgico.
    Lembro que esse livro foi um dos milhares da lista para um vestibular e que não deu tempo para ler.
    Parabéns...
    bjs Ju.
    blog Quid pro Quo

    ResponderExcluir
  3. Olá Ivi,
    É tão bom quando lemos novamente aquele livro que guardamos com carinho na memória, e descobrimos que ele ainda nos encanta. Não conhecia o livro, e estou me preparando para ler alguns clássicos ainda esse ano, quem sabe não coloco ele na lista.
    Acho muito legal o linguajar sertanejo, vira e meche adoro exercitar meu 'caipirêz' só para não perde o hábito XD
    Beijos

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi, sempre ouço elogios do livro Inocência, mas nunca tive vontade de ler, o livro não me atrai, mas que bom que depois de tanto tempo sem lê-lo você apreciou a obra tanto quanto na primeira vez que o leu.

    http://mysecretworldbells.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Ivi!
    Menina, eu ainda não li esse livro :O
    Sério, nunca me interessei muito pela literatura clássica. Já tentei ler alguns, mas nunca consigo concluir. Vou anotar esse nome, pois fiquei curiosa para conferir, mesmo com o final um tanto melancolico.
    Bjks!
    http://www.historias-semfim.com/

    ResponderExcluir
  6. Hello :)

    Olha... Coragem hein. Como eu disse em outro blog, prefiro passar a uma esquina de distância desses clássicos brasileiros (na verdade, prefiro passar longe de qualquer livro nacional, salvo alguns que andam me cativando), então com certeza esse livro não me chamou a atenção. Mas que bom que você aproveitou a leitura e pôde reviver uma história da juventude.

    Beijinhos e que a Força esteja com você!
    Cantinho Cult
    Galera Geek

    ResponderExcluir
  7. Muito legal a sua dica. Meu blog também está com um desafio e colocamos um livro clássico eu estava tonta procurando um mas Olha acho que vou seguir a dica aproveitar que está em domínio público e ler ele pra o meu desafio.

    ResponderExcluir
  8. Oie

    Que gostosa sua resenha!
    Realmente um bom livro é assim, depois de anos ainda te prende e encanta.
    Eu estou participando de um desafio de clássicos nacionais e este está incluído. E como eu tb já li há algum tempo, foi bom dar uma relembrada com sua resenha.
    Parabéns.

    bjs
    Fernanda Yano
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Saudações literárias! Se não fosse seu post passaria por mim esse livro, não conhecia essa obra e vou procurar adquirir esse livro. Amo literatura nacional e esse livro pela sua resenha vai me agradar e muito. Muito obrigado pelo post e mostrar os clássicos da literatura brasileira.

    ResponderExcluir
  10. Minha nossa senhora!!! quanto tempo faz que não vejo esse livro!!!
    Caramba me deu saudades agora, também li ele a muito...muito tempo lá no ensino médio (quando ainda era segundo grau)...

    Amei a tua resenha, está super legal, parabéns!!!

    bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá!!

    Esse clássico eu não conhecia. Gostei muito da trama toda. E enquanto lia sua resenha fiquei imaginando, -certeza que tem um final trágico rs, e olha que acertei em! Esse estilo de livro quase sempre é assim né?
    É um livro que posso vir a ler um dia sim!

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  12. Oiiie
    Eu não conhecia o clássico, parece ser uma leitura bem legal mas não leria por agora, boa resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    A história parece ser bem legal. E ainda saber da cultura no Brasil do século passado é maravilhoso.
    Adorei a sua resenha, pois me deixou muito interessada em ler o livro.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.com.br/

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014