2

Livros para Colorir - Lais Caparroz


Eu me lembro de adorar pintar e arriscar alguns desenhos quando era mais nova, na época da escola, mas com o passar dos anos esse gosto se perdeu. Até que um belo dia eu vejo uma publicação numa rede social, alguém falando sobre uns desenhos para colorir para adultos, como forma de diminuir o estres.

Li a reportagem e fiquei intrigada. Comecei a procurar grupos nas redes sociais (como sempre faço quando um assunto me interessa) para ver o que as pessoas estavam falando sobre isso. Encontrei vários grupos, descobri uma infinidade de livros para adultos colorir e esses livros continuam sendo lançados aos montes; basta ir numa banca de jornal e perguntar sobre eles, será difícil escolher um em meio a grande diversidade.

Eu decidi não comprar o livro de cara, mas sim imprimir alguns desenhos pra ver qual estilo me interessava mais, e descobri que existem milhares de sites que compartilham imagens para colorir, e eles estão atolados de imagens para adultos extraídas dos livros e de autores que disponibilizam suas imagens gratuitamente.

Depois de alguns meses e de colorir alguns desenhos, descobri que me interesso por mandalas (e isso não tem nada a ver com lado espiritual delas), a simetria e a dificuldade de algumas me intriga e me faz pintar até o final quase sem perceber. Então, comprei um livro só delas chamado MANDALAS, do artista Marco A. Innocentes (não há nada sobre ele na rede, é um livro novo, encontrei apenas uma página de pessoas que gostam do livro).

Procurei uma tag sobre o assunto mas resolvi fazer a minha mesma (ou quase), então ai vão algumas perguntas que eu acho interessante sobre o assunto, levando em consideração que não sou profissional de artes:

Qual lápis de cor usar? Quando comecei, procurei os lápis que tinha em casa, que eram uma linha bem antiga aquarelável da Faber Castell e lápis comum da Labra, ambos conjuntos de 12 cores. Como entrei para os grupos da rede social, me conectei com algumas outras pessoas que também estão colorindo e, num encontro que fizemos para trocar experiências e pintar juntas, me indicaram o lápis Maped e alguns outros. Fui numa papelaria no dia seguinte e os preços me encantaram, e quando testei me apaixonei, mesmo os lápis comuns são extremamente macios e super pigmentados. Só é preciso escolher a cor com cuidado, algumas tem a cor de fora do lápis diferente do grafite. Tenho uma caixa de 24 cores de lápis comum (paguei R$12 e veio com duas cores neon) e uma de 12 aquarelável (paguei R$ 9).

Qual melhor papel para imprimir? Essa pergunta só serve pra quem como eu imprime as figuras, mas é bem interessante porque o lápis funciona de maneira bem diferente dependendo do tipo do papel. Algumas imagens eu imprimi no sulfite comum mesmo e outras no papel Canson de 180 gramas (paguei R$ 4 numa embalagem com 10 folhas). É sem comparação, no cansou o lápis desliza e preenche perfeitamente o desenho e as cores ficam muito mais bonitas. Senti essa diferença também agora que comprei o livro das mandalas (não sei qual o tipo do papel do livro, não há informação de composição).

Funciona pra diminuir o estresse como se tem propagado por toda a mídia? Não, não diminui. E não acho que seja bom usar o livro com esse intuito. Colorir ajuda a relaxar, sim, mas o estresse normalmente esta vinculado a um problema que não será resolvido colorindo.

Qual o melhor livro? Isso depende de que tipo de desenho você gosta. Como eu contei antes, eu fui imprimindo até achar algo que me cativasse, hoje são as mandalas. Mas há vários livros ótimos, entre os mais famosos estão os de Johanna Basford JARDIM SECRETO e FLORESTA ENCANTADA, que eu pretendo comprar logo; FANTASIA CELTA, de Michel Solliec; MIL E UMA NOITES e JARDIM ENCANTADO, de Sophie Leblanc; esses são alguns, mas há dezenas.

O que me atraiu nos desenhos? Eu sempre gostei de cores e formas, outras paixões que tenho (e são totalmente relacionadas a colorir) são a maquiagem, os esmaltes e as tatuagens. Pensando bem, acho que entre a fase que eu parei de usar o lápis de colorir e voltar a usá-lo agora, eu mantive essa magia das cores em mim. Tenho um pequeno vício por sobras, pós, bases, pincéis, batons, blushes. Meu armário tem uma prateleira lotada deles, e gosto de usar cores fortes e marcar meus olhos. Assim me relaciono também com os esmaltes. Já tive mais, mas hoje estou com mais ou menos cem frasquinhos, de todas as cores, incluindo alguns gliters e coberturas diferentes.

Falemos sobre as tatuagens, a arte que carrego na pele, e amo alucinadamente; os desenhos, a simetria entre meu corpo e os desenhos, as cores que timidamente tenho descoberto gostar e mim (as primeiras eram apenas traçado e preenchimento preto); a paixão tem crescido e já tenho planos pra unir as tatuagens com os desenhos que estou colorindo (será uma surpresa); algo engraçado que tem acontecido depois que começou a febre dos desenhos é algumas pessoas pedirem para colorir minhas tatuagens com cantinha, e eu adoro isso, a integração dos dois mundos. Acho que sempre fui ligada a desenhos e cores, e em cada fase da vida tive um pouco de cada.

O que mais me incomoda na 'moda' dos desenhos? Eu sei que vivemos uma época em que carregamos esse sentimento de competição, o que é saudável até certo ponto, mas vejo uma galera que se mata pra comprar todos os lápis, todas as cores metálicas e neons, todas as canetinhas, pincéis, livros, e descobrir milhões de técnicas novas pra publicar uma foto do desenho finalizado e mostrar o quanto evoluiu e a quantidade de material usado. Acho muitos desenhos lindos, mas não podemos esquecer que cada um tem um jeito de colorir, uma facilidade. Eu adoro pintar mas não tenho muitas técnicas, gosto de me divertir com as cores, mas muitas pessoas estão ficando mais estressadas do que antes em meio a toda essa competição. Precisamos tomar cuidado com o motivo de tanta dedicação á uma coisa só deixando tudo de lado, colorir é pra relaxar e se divertir.

Pra finalizar, algo super legal que aconteceu depois que comecei a pintar, foram as pessoas que eu conheci, ainda são poucas, mas tem sido bem proveitoso interagir com as meninas que se interessam por isso como eu, sem ser profissional, dando opinião sobre como melhorar e compartilhando novidades. Algumas dos desenhos que eu colori estão neste vídeo abaixo pra vocês verem que o que importa é se divertir, e não ficar perfeito. 


Vídeo dos meus desenhos:




Agora, me contem, vocês gostam dos livros? Das cores? De relaxar pintando? Podem responder minha perguntas se quiserem também! Espero que tenham gostado da minha experiência!!
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Adorei o texto e ver suas pinturas, ficaram ótimas! Logo que essa febre começou (acho que já podemos chamar de febre) eu fiquei maluca para comprar um livro de colorir, principalmente vendo tanta gente colorindo e postando, mas me segurei e não comprei, até que recebi dois de parceria e me rendi aos encantos e ao poder das cores. Estou gostando bastante, quando estou agitada ou até entediada eu pego os livros e dou asas à imaginação. Uso lápis normal mesmo de 12 cores, e apesar de desejar sim aquelas caixas com vários tons diferentes e texturas eu não irei comprar, é caro demais, eu hein.
    Lá no blog fiz um post contando um pouco sobre meus resultados colorindo O Mundo Encantado das Cores. http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/2015/06/colorindo-o-mundo-encantado-das-cores.html

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Gabrielly. Que bom que gostou! Vou la conferir seu blog!

      Excluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014