4

STEVE JOBS BIOGRAFIA (Walter Isaacson)

"A morte é a melhor invenção da vida. É o agente de mudança e abre espaço para as novidades. O tempo de vocês é limitado, então não o desperdicem vivendo a vida de outra pessoa." (discurso de Steve Jobs em uma formatura na Universidade de Stanford em 2005, 6 anos antes de falecer).

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 53º livro lido em 2014 e foi STEVE JOBS (Walter Isaacson). Já fazia um bom tempo que eu não lia uma biografia e sempre gostei do gênero, então, enquanto arrumava minha estante, deparei com este livro, ainda na embalagem e decidi que eu precisava ler e conhecer a história do homem que ainda vivo, já era uma mito.

Não lembro exatamente se este livro foi lançado antes ou depois da morte de Steve Jobs, mas sei que a morte de determinadas celebridades acabam por aquecer, às vezes queimar, o comércio que envolve tal personalidade. Tenho a impressão que a pessoa vira moda, músicas encabeçam as listas de mais ouvidas, seus respectivos downloads pagos alcançam os primeiros lugares e seus produtos, sejam eles o que for, discos ou livros, aparecem como os mais desejados, porém no caso de Steve Jobs eu achei um pouco diferente, talvez porque ele não era um músico ou um ator, ele foi um empresário que criou uma série de produtos que a grande maioria da população mundial desejava ter e quando ele morreu, sua morte foi considerada como se fosse de um ídolo. E para muitos, ele era.

Quando comecei a ler o livro, tudo o que eu queria era conhecer a história do homem que usava drogas, não tinha ensino superior e ainda assim, fundou uma das empresas mais prósperas do mundo.

Muito perfeccionista, Steve tinha
dificuldade em escolher os móveis para
a própria casa.
O livro nos conta a sua história de vida desde o seu nascimento até alguns poucos meses antes do seu falecimento. O próprio Steve Jobs entrou em contato com o escritor Walter Isaacson e o convidou a escrever sua biografia o que em um primeiro momento me causou uma certa incredulidade quanto ao conteúdo do livro. Quando uma biografia é autorizada, a primeira coisa que me vem a mente é que o escritor falou sobre a imagem do biografado que melhor o favoreça, porém conforme fui lendo, fui amadurecendo minha crença nas palavras do autor porque ele descreveu Steve Jobs não apenas ressaltando a inteligência grandiosa pela qual ficou conhecido no mundo, mas também falou dos seus defeitos, e nem sempre, foi simpático ao expor as situações que Steve não deveria ser exemplo para ninguém.

Conhecemos então o menino que foi colocado para a adoção antes de nascer e que foi adotado por um casal simples, mas que o amou profundamente. Fala do quanto ele se dava bem na escola, mas o quanto era pouco habilidoso socialmente. Nos fala do período de drogas e do anseio em ser cada mais mais e melhor. Nos conta sobre ter abandonado a faculdade porque sentia que estava perdendo tempo e nos fala também que mesmo sabendo ter sido abandonado pelos pais biológicos, também abandonou sua filha mais velha. E então, atrelada à vida dele, temos a história da Apple e de tudo o que Jobs fez no mundo da tecnologia.

Concluindo a leitura, penso que Jobs queria simplesmente ser o pior e ele se esforçou para o ser: Pior filho, aluno, pai, marido, sócio, presidente e mesmo se esforçando tanto, ele não conseguia ser porque afinal, o cara foi um gênio e em muitos aspectos, injustiçado. Acredito que é de domínio público o fato de que Steve Jobs era um homem difícil e intragável e isso é colocado no livro de forma chocante em algumas situações. Vemos então o mito ser desnudado e nos deparamos com um grande babaca, mas ainda assim, um babaca genial que revolucionou o seu tempo e de certa forma, contribuiu muito para criar o mundo que temos hoje. 

Eu adorei a leitura e enquanto estava domesticada pelas quase 607 páginas do livro, me vi paralelamente procurando fotos, dados, depoimentos sobre Jobs na internet. Eu sou assim, quando leio uma biografia, depois saio caçando mais e mais informações sobre o biografado.

Mas ainda que eu tenha gostado demais do livro, não é uma leitura pra qualquer leitor. Até para aqueles que gostam de ler biografias, o livro nos conta com detalhes sobre os avanços tecnológicos que Jobs fez e isso pode ser bastante massante, mas ainda assim, foi uma leitura muito proveitosa para mim. O livro cumpriu com o seu papel e conseguiu me apresentar o homem atrás da lenda, me fez amá-lo e odiá-lo e a sensação ao terminar a leitura foi de saudade, como se eu o tivesse conhecido, como se ele pertencesse ao meu círculo de amigos.

Indico para quem gosta de informática e sobretudo, para quem é consumidor dos produtos Apple. Também indico dois filmes ótimos sobre a vida de Jobs. O primeiro é o PIRATAS DO VALE DO SILÍCIO, obra em que vemos o Noah Wyle fazendo o papel de Jobs e também o filme JOBS, em que Ashton Kutcher é o protagonista. Diga-se de passagem, atuação magnífica. 

Enfim, eu adorei a leitura!!!
"Isto é para os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os criadores de caso. Os que são peças redondas nos buracos quadrados. Os que vêem as coisas de forma diferente. Eles não gostam de regras. E eles não têm nenhum respeito pelo status quo. Você pode citá-los, discorda-los, glorificá-los ou difamá-los. A única coisa que você não pode fazer é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas. Eles inventam. Eles imaginam. Eles curam. Eles exploram. Eles criam. Eles inspiram. Eles empurram a raça humana para frente. Talvez eles tenham que ser loucos. Como você pode olhar para uma tela em branco e ver uma obra de arte? Ou sentar em silêncio e ouvir uma música jamais composta? Ou olhar para um planeta vermelho e ver um laboratório sobre rodas? Enquanto alguns os vêem como loucos, nós vemos gênios. Porque as pessoas que são loucas o suficiente para achar que podem mudar o mundo, são as que de fato, mudam." Texto criado pela Agencia Publicitária contratada pela Apple
Vídeos interessantes sobre Steve Jobs:



Um pouco sobre o autor: Walter Isaacson, CEO do Instituo Aspen, foi presidente da CNN e editor da revista Time. Autor de diversos livros, entre eles a biografia de  Benjamin Franklin, ainda sem versão em português, e as biografias "Einstein: Sua vida, seu universo" e "Steve Jobs".
Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Oiee.
    Eu amei sua resenha, não conhecia esse livro mas agora já quero.
    Também sou fã de biografias, quero muito ler alguma de Hitler, mas ainda não tive a chance, se tiver a oportunidade quero ler essa também e conhecer um pouco mais dessa lenda que é e acho que sempre será o Steve.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Iêda, também tenho curiosidade de ler uma biografia do Hitler... Se tiver oportunidade, leia a do Steve Jobs, pelo menos pra mim foi uma aventura maravilhosa!!! bj

      Excluir
  2. Diferente de você eu não sou muito fã de biografias, são poucas as que tive vontade de ler, essa não era uma das que eu queria, mas agora fiquei com vontade, parece ser bem interessante,
    Ele querer ser o pior é o pior kkkkk.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Também não sou fã de biografias, apesar de achar interessante a ideia de conhecer todo o contexto de algum famoso... Achei muito bonitas essas palavras dele que voce citou, principalmente essa parte do discurso para a Universidade de Stanford. E acredito que eu realmente gostaria de ler essa biografia, eu nao sabia dessa parte sobre ele ter sido usuário de drogas, entao fiquei meio surpresa. Acho que isso é o legal das biografias pois afinal a maioria das pessoas só vê-lo como o gênio que afinal ele era, porém antes disso é interessante resaltar a vida comum que ele tinha. Bastante interessante!!!

    ResponderExcluir

 
♥ Meu Amor Pelos Livros ♥ - Todos os direitos reservados © 2014