29.11.19

A Mulher na Cabine 10 (Ruth Ware)

FICHA TÉCNICA
Nome original: The Woman in Cabin 10
Autora: Ruth Ware
Tradução: Alyda Sauer
País de origem: Inglaterra
Número de páginas: 320
Ano de Lançamento: 2017
ISBN-13: 9788532530912
Editora: Rocco

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 85º livro lido em 2019 e foi A Mulher na Cabine 10 (Ruth Ware). Se você tem acompanhado o blog ao longo de 2019, já deve ter percebido que estou trabalhada na leitura de suspenses e mistérios e esse livro aqui segue este gênero, prometendo a mesma experiência que os leitores de sucessos como A Garota no Trem ou A Paciente Silenciosa tiveram.

O livro nos traz Laura “Lo” Blacklock, jornalista que já sofreu depressões severas no passado, trabalha no segmento de viagens e começa a narrativa com seu apartamento invadido por um assaltante de uma maneira bem tensa. O lugar foi bagunçado, alguns objetos foram roubados e os dias seguintes se tornam estafantes porque traumatizada, ela não consegue dormir e precisa se preparar para uma viagem de trabalho. Laura deverá embarcar no Aurora Borealis, navio muito luxuoso com o objetivo de divulgar o serviço e a experiência oferecida pela embarcação.

O navio, de propriedade de um certo lorde Richard Bullmer e sua esposa norueguesa Anne Bullman, fará sua primeira viagem e a alta classe da sociedade mundial foi convidada. O objetivo principal do navio é fazer com que os presentes se sintam em casa e possam ver a Aurora Boreal. Laura deve estar lá para representar a revista de turismo para a qual trabalha, substituindo sua chefe, que entraria muito em breve em licença-maternidade.

O navio não é gigantesco, tem apenas 10 cabines e Lo fica com a 9. Na noite de um jantar em que ela deve estar com roupa de gala, percebe ter esquecido o rímel ao começar a fazer sua maquiagem e vai até a cabine 10 pedir emprestado. Chegando lá, uma jovem abre a porta e lhe empresta, deixando claro que não precisa devolver. Laura não dá muita atenção ao ocorrido, porém horas mais tarde, ao voltar do jantar alcoolizada e sob os efeitos de remédios, ela ouve um grito e quando vai para a varanda da sua suíte, vê o corpo desta jovem sendo jogado no mar. Imediatamente, Laura corre para pedir ajuda para as autoridades do navio e ao dono do lugar e então descobre que a cabine 10 nunca foi ocupada por ninguém.

Laura fica confusa porque tem certeza do que viu, tanto enquanto se arrumava para o jantar quanto ao ver a jovem nas águas, mas tudo o que ela conta é desacreditado em função do seu histórico depressivo, do trauma recente com o assalto e pelo álcool consumido por ela no evento. O livro se desenvolve em Laura investigar por iniciativa própria quem era aquela jovem que lhe deu o rímel e porque ninguém sabia que ela estava no navio.

Embora seja fluido e rápido, o começo do livro é um pouco enrolado. A autora prepara um caminho para que no momento em que Laura entre no navio, o leitor saiba integralmente quem ela é. Isso me causou um certo incomodo porque demorou cerca de 30 por cento do livro para ela chegar no navio. A partir daí, a história deslancha em um ritmo muito bom, nos envolve totalmente na trama e nos faz desejar que Laura prove a todos que não estava alucinando, bem como descubra porque a jovem foi jogada no mar.

A solução do mistério me deixou de boca aberta porque eu não imaginei em momento algum que era aquilo. Bem argumentado e de forma plausível, temos todo o suspense esclarecido e ainda que isso tenha acontecido antes do final do livro, é impossível largar a história porque precisamos saber como Laura conseguiria se livrar dos inimigos que fez durante a sua investigação.

Eu esperava um mistério envolvente e isso foi entregue com louvor pela autora. Fiquei curiosa, instigada e não conseguia ficar longe desta leitura. Sem dúvida, para quem gosta de mistério e suspense, o livro tem todos os elementos que caracterizam o gênero. A linguagem é fluida e leve e o protagonismo feminino é brilhante dentro da narrativa.

Eu gostei muito!!!


Um pouco sobre a autora: Ruth Ware cresceu em Sussex, na costa sul da Inglaterra. Ela trabalhou como garçonete, livreira, professora de inglês como língua estrangeira e assessora de imprensa. Ela agora mora no norte de Londres com sua família. Alguns de seus livros publicados no Brasil são:
    • A Mulher na Cabine 10
    • Em Um Bosque Muito Escuro
    • O Jogo da Mentira

Nenhum comentário:

Postar um comentário