4.7.19

Bienvenida al club: Cabronas sin fronteras (Megan Maxwell)

Ficha Técnica:
Nome Original:
Autora: Megan Maxwell
País de Origem: Espanha
Número de Páginas: 496
Ano de Lançamento: 2019
ISBN: 978-84-08-21080-1             
Editora: Planeta

Sou fã de Megan Maxwell e fiquei empolgada com o lançamento desse livro, que parecia diferente dos demais até pela capa: quatro amigas se divertindo e cantando. A primeira personagem a ser apresentada é Venecia, que tem um relacionamento há 20 anos e está de casamento marcado com Jesus, mas descobre que ele é apaixonado por outra e só aceitou se casar com ela para agradar ao sogro, que sofre de uma doença mental parecida ao Alzheimer.

Após desistir do casamento, Venecia tem o apoio das amigas Elisa, Silvia e Rosa. Todas estão em relacionamentos sérios e admiram os parceiros, mas com o tempo percebem que eles têm segredos e não são tão perfeitos como elas ou os demais os imaginavam. Em uma balada, Venecia conhece Carlos, que se apresenta como Cancún devido ao nome dela – em espanhol - ser o da cidade italiana.Outro personagem que merece destaque é Alejandro (Alex), casado com Rafael e os dois sonham em ter um filho juntos. Ele é irmão de Venecia, que o apoia em todas as decisões. Estes personagens têm seus momentos de protagonismo dentro da história, o que me pareceu bem interessante e deixou a leitura mais completa e detalhada.

Em determinado momento, Venecia decide criar um blog nomeado como Cabronas sin fronteras, em que escreve textos com temas polêmicos como a relação chefe / funcionário e descreve sua vida amorosa sem se importar em expor os parceiros, principalmente Carlos. Essa atitude me incomodou bastante, me pareceu imatura e egoísta, bem desnecessária mesmo.

As amigas de Venecia demonstraram estar presentes nos momentos bons e ruins e foram sinceras todo o tempo, o que eu valorizei bastante. Carlos também tem um amigo para todas as horas, Alfredo, que ganhou espaço na história e teve destaque pela relação com as filhas gêmeas, com direito a trechos engraçados.

Há outros detalhes interessantes, como a explicação sobre a cor que representa o feminismo, assim como a linguagem médica pela doença do pai de Venecia de forma simples e clara. O livro aborda também a questão do preconceito nos relacionamentos (com exemplos de casamento gay e casais com diferença de idade) e o preconceito nas profissões, destacando a liberdade e o respeito ao outro.

A mensagem do livro demonstra que é possível superar momentos difíceis, decepções e acreditar no amor, de todas as formas e em todos os sentidos. Há uma nota da autora sobre como ser Cabrona sin frontera, definida por ela como a mulher que sabe se cuidar e evita decepções, independentemente de estar solteira ou em um relacionamento. Como nos outros livros dela, há a playlist com cantores como Alejandro Sanz, Pablo Alborán e Carlos Rivera.

Apesar das atitudes de Venecia terem me irritado, a leitura foi válida pelos temas inseridos na história e pela representatividade.


Um pouco sobre a autora: Megan Maxwell nascida na Alemanha e radicada na Espanha, se dedica aos romances femininos e eróticos há mais de uma década, tendo publicado seu primeiro livro, Te lo Dije, em 2009. Vencedora de mais de dez prêmios literários, entre eles o Prêmio Internacional de Seseña — em 2010, 2011 e 2012 —, seus relatos picantes ganharam fãs em todo o mundo, inclusive no Brasil, onde a sua trilogia Peça-me o que quiser se tornou um best-seller. A autora vive em Madri com seus filhos, seu cão Drako e seus gatos Romeu e Julieta. Seus livros publicados no Brasil são:

- Peça-me o que Quiser
- Peça-me o que Quiser, Agora e Sempre
- Peça-me o que Quiser ou Deixe-me
- Peça-me o que Quiser e Eu te Darei
- Eu sou Eric Zimmermann
- Surpreenda-me
- Passe a Noite Comigo
- Adivinhe Quem Sou
- Adivinhe Quem Sou Esta Noite
- Vai Sonhando!
- Os Príncipes Encantados Também Viram Sapos
- Pela Lente do Amor
- Você se Lembra de Mim?
- Quase um Romance     
- Desejo Concedido
- Fúria Domada
- Sempre a Encontrarei

Nenhum comentário:

Postar um comentário