31.5.21

Cartada Final (John Grishan)

Ficha Técnica:

Nome Original: The Guardians
Autor: John Grishan
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: Roberta Clapp e Bruno Fiuza
Número de Páginas: 445
Ano de Lançamento: 2020
ISBN13: 9780385544184
Editora: Tag Inéditos
SKOOB | GOODREADS | Compre na AMAZON

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 36º livro lido em 2021 e foi Cartada Final (John Grishan). Este livro foi o envio de setembro de 2020 da Tag Inéditos e estava esquecido na estante. Quando li a sinopse e descobri que se tratava de um drama de tribunal, tratei de começar a leitura imediatamente.

O livro nos traz Cullen Post, um advogado dedicado a defender homens e mulheres que cumprem pena injustamente. Numa pequena cidade da Flórida, Keith Russo é morto a tiros em seu escritório. O assassino não deixa pistas e não há testemunhas, mas a polícia logo suspeita de Quincy Miller, um jovem negro que já foi cliente de Keith. Quincy é julgado, condenado e sentenciado à prisão perpétua. Ele jura inocência por 22 anos, mas ninguém ouve. Desesperado, Quincy escreve uma carta aos Guardiões da Inocência, uma pequena organização liderada por Cullen, que luta contra condenações injustas e defende pessoas esquecidas pelo sistema. O apelo de Quincy convence o advogado Cullen e ele inicia a própria investigação, mas o caso logo se mostra muito mais difícil e perigoso do que ele esperava. As pessoas poderosas e cruéis que assassinaram Keith Russo não querem que Quincy Miller seja absolvido. 


O enredo é uma grande crítica ao sistema jurídico norte-americano formado por grandes escritórios de direito com lucros milionários e inúmeras formas de corromper e burlar as regras. O livro é uma ficção bem assentada em uma história real e ainda sem solução da justiça norte-americana. O autor se debruça sobre dois temas que andam juntos: a condenação de pessoas inocentes e o trabalho de pequenos escritórios de advocacia para provar a inocência dessas pessoas. Ambos casos retratados no livro vieram de histórias reais.

O livro se desenvolve em acompanharmos Cullen. Normalmente seus casos envolvem grandes penas, prisão perpétua ou o temido corredor da morte. Todos e difícil resolução, pois dependem de muita investigação, remexer na poeira de velhas histórias e encontrar testemunhas que nem sempre estão dispostas a colaborar, isso se ainda estiverem vivas. O livro traz várias sub-histórias para dar consistência a trajetória de Cullen, mas o caso de Quincy Miller é o principal. Seu julgamento foi uma sucessão de erros e equívocos grotescos e mesmo assim a força de um sistema corrupto e preconceituoso o mandou para trás das grades. 


Com todos esses elementos, o autor brinca ao montar um quebra-cabeças investigativo. Quincy é negro e foi julgado por um grupo predominantemente branco. A investigação inicial que o incriminou contou com o peso da corrupção, que não mediu esforços para que tudo saísse como planejado e qualquer vestígio fosse bem eliminado. A crítica mais evidente da obra é o funcionamento de uma justiça a favor de condenações que lotam os presídios de forma doentia e que, em muitos casos, manda inocentes para penas intermináveis ou os executa impiedosamente. 

O enredo segue um ritmo frenético de investigação em que cada capítulo deixa um gancho para a sequência. É um daqueles livros que nos consomem até chegarmos a última página. Tudo muito bem fundamentado, explicado e com bases sólidas na realidade.


Esta foi a minha primeira experiência com o autor e, com certeza, quero ler mais livros dele porque a leitura me envolveu no início ao fim.

Gostei muito!!!


Um pouco sobre o autor:
John Grisham é ex-político e advogado aposentado. Incentivado por sua mãe, desenvolveu cedo o hábito da leitura e se tornou um admirador das obras de John Steinbeck, prêmio Nobel de literatura em 1966. Escolheu o Direito como área de atuação, tornando-se advogado especializado em defesa criminal e processos por danos físicos. Escrevia nas horas em que o seu trabalho lhe permitia, e logo publicou seu primeiro livro, Tempo de Matar, em 1989. Seus livros giram sempre em torno de questões de advocacia e geralmente criticam nuances do sistema judiciário americano e das grandes firmas de direito. Desde maio de 1998 a Universidade do Estado do Mississippi possui uma sala de leitura com o seu nome. Em 2006 figurou na Top 100 Celebrities da revista Forbes. Vive com sua esposa, Renée e suas duas crianças Ty e Shea. É o sexto escritor com mais livros vendidos na década de 2000, segundo a Nielsen BookScan, e também o sexto escritor mais lido nos Estados Unidos da América, segundo a Publishers Weekly. Alguns de seus livros publicados no Brasil são:
Tempo de matar 
A Firma 
O Dossiê pelicano
O Cliente 
A Camâra de Gás
O Homem que Fazia Chover 
O Júri 
O Sócio 
O Advogado 
O Testamento 
A Confraria 
A Casa Pintada 
Esquecer o Natal 
A Intimação 
O Rei das Fraudes 
Nas Arquibancadas 
O Último Jurado 
O Corretor 
Jogando por Pizza 
O Recurso 
O Negociador 
Caminhos da Lei 
Os Litigantes 
Calico Joe 
O Manipulador 
A Herança 
O Dilema
O Advogado Rebelde 
A Delação 
Justiça a Qualquer Preço 
Acerto de Contas 
Cartada Final

4 comentários:

  1. Oi Ivi, sua linda, tudo bem?
    Eu adoro tramas de tribunal. Já tinha ouvido falar desse autor, mas em filmes. Já vi algumas adaptações excelentes de suas obras, que até hoje considero um dos melhores filmes que já vi: O Juri,A Firma, Tempo de Matar, O Cliente, e outros que não lembro mais. Recomendo muito que você veja esses filmes. Esse livro é outro que daria um ótimo filme, vou até pesquisar para ver se já existe. O que mais me doeu, foi saber que é baseado em história verídica. Imagine, ser condenado sendo inocente? Dica anotada. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Adorei a dica de leitura. Eu já tinha ouvido falar muito do autor e vejo que ele tem MUITOS livros lançados, mas acho que esse em específico chamou minha atenção justamente pela temática. Nunca li nada do estilo. Mas quero tentar. Acho que será uma leitura muito boa pelo jeito! Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Ivi!

    Adorei conhecer a história deste livro através da sua resenha. Eu tenho aqui em casa para ler Acerto de Contas, eu ganhei de cortesia e estou com muita expectativa para lê-lo. Anotei deste também na lista de desejados.

    Bjos
    https://consumidoradehistorias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Não conhecia o livro, mas fiquei muito curiosa com esse caso e como a justiça é para alguns e não para todos, o gênero investigativo me prende me aguça e atiça, adoro. Parabéns pela resenha, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir