28.7.21

FRIENDS BOOK TAG – versão 2021


Oi gente que ama livros, Aproveitando que essa semana foi o Dia do Amigo, hoje venho com a tag FRIENDS BOOK TAG, que tem como objetivo relacionar livro aos personagens e frases icônicas da série Friends.

Vamos conferir?

1) Mônica, aquele com tema de comida.
Delícia, Delícia (Donna Kauffman): O livro nos traz Leilani, que tem a sua própria confeitaria de cupcakes, o lugar que ela mais ama na vida! Após trabalhar por anos para um grande e famoso chef em Nova York, ela decidiu largar tudo para abrir seu próprio negócio. Na pacata e pacífica ilha de Sugarberry encontrou paz, calmaria e um aconchego que não se compra nem se mede, com a vantagem de ficar perto do pai. Porém, toda essa tranquilidade vai por água abaixo quando recebe a notícia de que o famoso chef para quem trabalhava, Baxter, irá a ilha para filmar uma das temporadas de seu programa de TV. Não teria problema nenhum se Leilani não fosse perdidamente apaixonada por ele e essa paixão ter sido um dos motivos que a fizeram largar tudo. Ao chegar na ilha, Baxter, procura Leilani imediatamente para usar sua confeitaria como cenário para o programa, o que faz com que eles se aproximem novamente e talvez dessa vez seja recíproco. O romance do livro é previsível porque o casal é muito carismático e envolvente, o que nos instiga na leitura é descobrir como lidarão com um possível relacionamento à distância. Tem muitas cenas sensuais, mas o que sem dúvida nos ganha é o bom humor da narrativa, com referências excelentes e grande desenvolvimento dos personagens, que nos faz desejar viver em Sugarberry e ser cliente da protagonista.

2) Chandler, aquele em que o personagem principal evoluiu mais.
Apenas Um Dia (Gayle Forman): O livro vai nos trazer a Allyson, uma jovem que acabou de terminar o Ensino Médio e ganhou dos pais uma viagem pela Europa. Ela, sua melhor amiga Mellanie e mais um grupo de adolescentes partem em uma viagem que passará pelos pontos principais do velho continente. Allyson é uma garota extremamente certinha. Sempre foi uma ótima aluna, muito obediente aos seus pais e nunca ousou ir além daquilo que todos esperavam dela. Organizada, sistemática e previsível. Porém já no fim da viagem, quando o grupo está na Inglaterra, Allyson conhece Willem. Ele é holandês e ator de teatro de um grupo itinerante que se apresentava de forma alternativa. Ele convida  Allyson para passar um dia em Paris com ele e ao contrário do que todos esperavam, os dois seguem para a França. No começo, a protagonista é chata, mas sua evolução é nítida. Eu gostei dela porque apesar da chatice inicial, é convincente, tem motivos para ser como é, o que deu muita consistência ao personagem. O Willem é completamente apaixonante e a partir disso entendemos a Allyson porque é impossível esquecer alguém como ele e qualquer mocinha após passar um dia com um Willem iria querer mais e mais. Também temos Mellanie, a amiga que as vezes é egoísta e malvada, mas é uma personagem tão bem desenvolvida que é complicado não adorar também.

3) Phoebe, aquele com o personagem ou história mais good vibes.
Quase uma Rockstar (Matthew Quick): O livro nos traz a Amber Appleton, uma menina de 17 anos, que está vive na linha abaixo da miséria em função das escolhas erradas da sua mãe. Ela e a mãe foram abandonadas pelo pai quando ela era ainda bebezinha e depois disto, sua mãe começou a gastar o pouco que conseguia com seus empregos, bebendo e fumando. O livro começa com Amber morando dentro de um ônibus escolar com a mãe, com menos que o básico para viver. Mas Amber é muito determinada e apesar de toda a situação complicada em que vive, possui uma alma apaixonada pela vida. Ela tem um cãozinho de estimação, o BBB que é maravilhoso. Amber é voluntaria em vários projetos sociais que em um primeiro momento, tem como objetivo ajudá-la a garantir uma bolsa de estudos para a universidade, mas conforme a narrativa se desenvolve, descobrimos que mesmo que Amber não precisasse da bolsa de estudos, ainda assim ajudaria todas aquelas pessoas, porque ela é o que podemos definir de "alma boa". Atrelado a isso, seus amigos no colégio são os impopulares, mas ela não se incomoda, porque os ama e eles também a adoram.

4) Joey, aquele com o livro que você lutou para ler, mas acabou se apaixonando.
A Guerra dos Tronos (George R. R. Martin): Lembro da primeira vez que ouvi falar o nome do autor e meses depois, uma grande amiga começou a ler os livros, porém eu nunca me senti atraída pela trama. Até que comecei a desejar ler coisas que me tirassem da minha zona de conforto e diante dos milhões de fãs que esta série possui, decidi que talvez pudesse gostar da narrativa. O livro nos traz o continente de Westeros dividido em sete reinos e a trama começa com a morte de Jon Arryn, que fora por muitos anos a “Mão do Rei”, ou seja, o conselheiro do Rei Robert e fiel coordenador dos Sete Reinos. Ele morre subitamente e deixa sua esposa, Lysa Arryn, e um único herdeiro, pequeno e fraco. Lysa levanta suspeita sobre a estranha morte do marido e culpa os Lannisters, uma família forte e abastada, enviando uma carta repleta de acusações para sua irmã, Catelyn Stark, que morava distante de Porto Real, em Winterfell, com seu marido, Lorde Eddard, e seus filhos. O rei Robert Baratheon, casado com Cercei Lannister precisa providenciar outra “Mão” que lhe seja confiável. Sua escolha é um pouco óbvia, porque ninguém melhor que seu “irmão” de criação, Eddard Stark para este papel. Então o rei parte com toda sua corte para Winterfell, a fim de chamar Eddard Stark para governar ao seu lado. Catelyn, já alertada pelos avisos de sua irmã, confidencia tal suspeita ao seu marido, que não encontra outra opção a não ser tornar-se a “Mão do Rei” e ficar ao lado de Robert, para que nada de ruim pudesse lhe acontecer.

5) Ross, aquele que não é de ficção.
Todo Dia a Mesma Noite (Daniel Arbex): O livro traz uma reportagem sobre a tragédia de Santa Maria que aconteceu na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013, na qual 242 jovens morreram após o incêndio da boate em que estavam. A boate Kiss, uma das favoritas da juventude da cidade, pegou fogo após um membro da banda que se apresentava acender um sinalizador no palco, que atingiu a espuma que revestia o teto do local para abafar o som. Em função do local não ter saídas de emergência e da dificuldade da multidão encontrar a saída, uma vez que as luzes se apagaram, a grande maioria das mortes ocorreu devido a fumaça tóxica gerada pela queima da espuma. Cinco anos depois daquela noite triste e dolorosa, a jornalista Daniela Arbex resolveu publicar o livro, recontando aquela noite sob a perspectiva de quem sobreviveu e das famílias cujos filhos, pais e mães morreram ali. A narrativa do livro não é linear e isso causa uma sensação de confusão muito grande no leitor, tenho a impressão que foi de propósito para deixá-lo desorientado ao ler os depoimentos, como se estivesse vivendo aquela noite também. Foi a impressão que tive e compartilho com vocês que o livro, extremamente bem escrito e muito emocionalmente narrado, nos faz ter sensações muito intensas: dor, calor, sede, tristeza, revolta e também esperança. Eu senti tudo isso enquanto lia e foram poucas as páginas em que eu não chorei desoladamente ao conhecer um pouco da intimidade daqueles jovens. Quando somos impactados por algo grande e doloroso assim, nos atemos algumas vezes somente as estatísticas: quantos morreram? Quantos se salvaram? Quantos culpados? Quantos, quantos e quantos. Números que muitas vezes são usados apenas para nos chocar. Mas quando cada um destes números ganha nome, profissão, curso e sonhos, a estatística perde força e a empatia fica mais fácil e íntima.

6) Rachel, aquele com a capa bonita e o conteúdo interessante.
O Amante da Princesa (Larissa Siriani): O livro nos traz a Maria Amélia de Bragança, princesa brasileira que vive em Lisboa, capital de Portugal. Ela está prometida para o arquiduque da Áustria, Maximiliano Habsburgo e faltando pouco tempo para o casamento, está bem infeliz com esse noivado. Maria Amélia não conhece direito seu noivo e acredita que um casamento deve acontecer impulsionado pelo amor e não questões políticas ou razões convenientes. O noivo chega ao palácio para os preparativos de seu casamento acompanhado de seu melhor amigo, Klaus Brachmann. Porém, o que Amélia não sabe é que Maximiliano também não está apaixonado e esconde um segredo que pode mudar todos os planos. Pouco depois de chegar ao palácio, Maximiliano precisa viajar para Paris deixando sua noiva aos cuidados de Klaus, por quem a princesa teve uma primeira impressão ruim, mas conforme o convívio se estabelece, as coisas começam a mudar. A narrativa do livro se desenvolve nesta aproximação entre Maria Amélia e Klaus, contada em primeira pessoa com capítulos alternados na voz dos dois protagonistas, o que nos faz conhecer intimamente cada um deles, mesmo que a escrita da autora seja objetiva e extremamente fluida. Ela nos apresenta quem é quem e conforme os acontecimentos do enredo se desenvolvem, já temos uma imagem bem esclarecida do que esperar da história. 

7) Mondler, aquele com o seu casal favorito da vida.
Sem Lógica Para o Amor (Tracey Garvis Graves): O livro nos traz a Anikka, uma mulher com algumas peculiaridades. Ela é sistemática, tem pouca habilidade social e grande incapacidade de sentir empatia. Ainda assim, é extremamente inteligente e depois que o pai a ensinou a jogar xadrez, encontrou no jogo uma forma de organizar seus pensamentos e se sentir confortável em um mundo com tantos imprevistos e contratempos. Sempre protegida pela família, um turbilhão de situações a confrontam ao ir para a faculdade, de modo que em poucos dias e passando por muitos constrangimentos, ela decide desistir e pede aos pais para buscá-la. Porém, em uma última tentativa de socializar, ela vai com a amiga Janice ao centro estudantil da universidade, descobre o Clube de Xadrez e na sequência, conhece Jonathan, por quem se apaixona e começam um relacionamento, mas algo acontece e eles se separam. O livro se desenvolve em nos apresentar de forma lenta, mas bem incisiva quem é a personagem e não houve uma única linha em que eu não tenha torcido intensamente para que a vida dela fosse minimamente fácil. Ridicularizada pelos amigos de faculdade e até dentro do ambiente de trabalho, Annika se mantinha inocente, sem saber discernir quem sorria para ela ou dela. Jonathan é um personagem masculino muito perto da perfeição, pois além de amá-la de forma incondicional, era paciente, generoso e extremamente protetor.

8) Central Perk, aquele com o lugar que você quer muito conhecer.
Reggaeton – Ritmo Envolvente (Dani Nascimento): Neste livro temos como cenário o lugar que  morro de vontade de conhecer desde criança. O livro nos traz Santiago e Martina, dois jovens de Porto Rico, muito apaixonados. Santiago tenta arduamente viver da música, Martina o apoia muito e surge a oportunidade dele abrir o show do perfeito e maravilhoso Ricky Martin. A partir daí, surge um contrato milionário para Santiago, mas ele terá que abrir mão de Martina e seguir adiante. Ele deixa tudo para trás e se torna um cantor mega famoso, fazendo shows faraônicos pelo mundo todo. Há um intervalo de onze anos até que Martina e Santiago se reencontram após Santiago sofrer um acidente no palco e Martina, agora fisioterapeuta conceituada, é acionada para ajudá-lo em seu tratamento. Infelizmente, o livro não funcionou para mim porque acontecem muitas coisas e não há aprofundamento ou embasamento para nenhum dos temas inseridos na história. Temos superação de acidente, câncer, divórcio, quadrilha de tráfico de drogas, sequestro, revelações sobre o passado e até uma paixão homoafetiva usada de forma problemática na história e tudo é muito superficial, subestimando a capacidade crítica do leitor em entender e acompanhar o vendaval de acontecimentos que acompanharam os personagens. Mas se passa em Porto Rico e somente por isso, li do começo ao fim.

9) How You Doin, aquele livro que você vive paquerando, mas por algum motivo nunca compra.
Grown Ups (Marian Keyes): Não existe a menor expectativa que o livro seja publicado no Brasil ainda esse ano, e embora eu esteja mega curiosa para ler a história, não tenho coragem de comprar a versão importada em dólar e correr o risco de não conseguir ler fluentemente em inglês. Eu me arrisco no idioma em livros menores, mas em um livro assim, o medo fala mais alto e eu sigo apenas paquerando.
Sinopse: (tradução livre) Os Caseys são uma família glamorosa. Johnny Casey e seus dois irmãos Ed e Liam têm lindas e talentosas esposas e todo o tempo livre é vivido juntos: festas de aniversário, feriados santos e fins de semana prolongados. Eles acreditam que são a família mais feliz do mundo, até que Cara sofre um acidente, perde o seu filtro mental e começa a falar mais do que deve. Um comentário descuidado na festa de aniversário de Johnny, com toda a família presente, faz Cara revelar todos os seus segredos. Então chega o momento em que eles se perguntam se já não está na hora de todos começarem a crescer.

10) Smelly Cat, aquele com uma trilha sonora.
Outra Vez (Ivi Campos): Muita arrogância citar o meu próprio livro na tag? Talvez, mas eu o escrevi pensando em cada música que gostaria que fosse inserida. Como sou muito fã de músicas em espanhol e temos poucos livros com esse gênero musical inserido nas histórias, escrevi um livro e coloquei meu gênero musical favorito para fazer parte do romance e da trajetória dos personagens. O livro nos traz Amanda, uma mulher que após alguns anos da morte do marido, tem a chance de se apaixonar outra vez, porém o homem por quem ela se interessa é mais jovem e professor na escola em que ela é diretora. O livro se desenvolverá em Amanda aceitar ter o amor de volta a sua vida ao mesmo tempo que precisa se manter como a profissional capaz e eficiente que sempre foi. 






Não comentei no começo, mas amo a série Friends, é uma das minhas favoritas do mundo e adorei responder a tag. Agora quero saber de vocês, quais seriam as suas respostas para cada uma destas perguntas. Deixem nos comentários porque vou adorar conferir.

Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário