19.3.21

Apenas Uma Garota (Meredith Russo)

Ficha Técnica:
Nome Original: If I Was Your Girl
Autora: Meredith Russo
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: Joana faro
Número de Páginas: 240
Ano de Lançamento: 2017
ISBN13: 9781250078407
Editora: Intrínseca

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 16º livro lido em 2021 e foi Apenas Uma Garota (Meredith Russo). Meu interesse pelo livro surgiu ao vê-lo na lista das melhores leituras do Devaneios de Papel, um dos meus canais literários queridinhos do momento. A forma como a premissa foi descrita me deixou curiosa e procurei pela leitura.

O livro nos traz a Amanda Hardy, uma adolescente que está de mudança para a casa do pai, com quem não convive desde o divórcio dos pais, que ela acredita ter uma grande parcela de culpa, mas essa mudança pode representar também a oportunidade para que ela seja definitivamente quem é. Amanda nasceu em um corpo de menino e a partir do momento que decidiu fazer a transição em plena adolescência, sofreu com o bullying e a perseguição na escola, o que a levou a uma severa depressão. Após muitas consequências, a família decidiu que estava no momento dela viver em um novo lugar, então Amanda parte para a cidade em que o pai mora, apreensiva, mas ansiosa pela nova vida.

Ao chegar na pequena cidade de Lambertiville, interior do estado da Georgia, Amanda se adapta com certa facilidade. Faz amizades na escola, arruma um namorado gentil e bonito e toda a insegurança das pessoas questionarem sua sexualidade se perde no dia a dia comum de uma jovem de 18 anos. Até a relação com o pai, muito tumultuada no passado, encontra uma normalidade saudável para os dois e o livro se desenvolve nessa nova vida de Amanda, nos dando também flashes do passado em vários momentos de sua vida. Temos lembranças de quando ela era muito nova até o motivo pelo qual a mãe decidiu pela ida dela para a casa do pai. Como sempre foi seu suporte e apoio, a mãe sabe que a mudança pode preservar a vida de Amanda e isso é mais importante que tê-la ao seu lado.

O livro tem uma linguagem fluida e leve, ainda que a personagem principal seja complexa e que tenhamos um milhão de curiosidades por quem ela é. Essas dúvidas se diluem ao longo da leitura conforme a conhecemos melhor e desejamos apenas que ela seja feliz e aceita. 

O livro nos reserva para as páginas finais um conflito muito tenso e violento e nosso coração fica apertado por imaginar que a vida normal que Amanda merece pode não ser possível. Essa parte do livro é extremamente bem escrita, nos faz ter empatia pela protagonista, bem como pelas pessoas que a querem bem.

Existe uma parte do livro em que Amanda conversa com uma amiga na escola e relata uma série de coisas incômodas por ser uma mulher trans. A autora desenvolveu esse diálogo tão bem que parece uma aula cheia de didática de como devemos nos comportar diante de alguém diferente de nós. Muitas vezes nosso interesse é apenas curiosidade e saciá-la não deve ser motivo para deixar alguém em uma posição de desconforto emocional, por isso é importante entender que a vida do outro não lhe diz respeito.
“— O que posso perguntar?
— Não pergunte sobre meus órgãos sexuais — falei, amassando a saia e erguendo os olhos para as nuvens. — Simplesmente não faça isso.
— Não é algo que me interessaria — disse ela, dando de ombros.
— Obrigada. — Mordi o lábio. — Não pergunte sobre cirurgias. Não pergunte qual era o meu nome. É basicamente isso.” página 126
O livro narrado em primeira pessoa nos coloca dentro da mente de Amanda e entendemos seus medos, seus sonhos e nos afeiçoamos por ela de modo que desejar o tradicional final feliz é imperativo em todo momento da leitura.

Adorei a escrita da autora que traz uma nota final muito esclarecedora e pertinente.

Gostei muito!!!


Um pouco sobre a autora:
Meredith Russo nasceu e cresceu no Tennesse, sul dos Estados Unidos, onde mora até hoje. Começou a viver de acordo com sua verdadeira identidade em 2013 e nunca voltou atrás. Apenas Uma Garota é seu primeiro romance e foi parcialmente inspirado em suas experiências como uma mulher trans. É o seu único livro publicado no Brasil.

Um comentário:

  1. Olá!
    Sempre vejo esse livro por aí e, apesar de não ter tido a chance de pegá-lo, tenho muita curiosidade. Parece ser tão importante para a temática que discute, de um jeito acessível e que faz nossa empatia aflorar completamente. Amei sua resenha!
    Beijos, Fantasma Literário

    ResponderExcluir