21.12.20

A Dama Mais Apaixonada (Julia Quinn, Eloisa James e Connie Brockway)

Ficha Técnica:

Nome Original: The Lady Most Willing
Autoras: Julia Quinn, Eloisa James, Connie Brockway
País de Origem: Inglaterra
Tradução: Ana Rodrigues
Número de Páginas: 288
Ano de Lançamento: 2019
ISBN-13: 9788530600211
Editora: Arqueiro
SKOOB | GOODREADS | Compre na AMAZON

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 105º livro lido em 2020 e foi A Dama Mais Apaixonada (Julia Quinn, Eloisa James e Connie Brockway). Esse livro é o segundo volume de uma duologia escrita por três autoras mais que consagradas no gênero de romance de época. 

O livro nos traz Rocheforte e Oakley que ao irem visitar seu velho tio no distante e isolado castelo que ele vive na Escócia, se deparam com uma inusitada situação: o tio invadiu a festa de um Lorde e sequestrou, além do anfitrião, 4 adoráveis senhoritas para que seus sobrinhos escolham finalmente sua futura esposa. Sem terem o que fazer, pois uma nevasca impede a saída do castelo, os rapazes e donzelas são obrigados a viverem alguns dias juntos e o resultado pode ser clima de romance para todos os lados.



Temos então três histórias apaixonantes que encantam e aquecem nossos corações! O romance paira sobre cada cena do livro e de modo divertido e leve, as autoras desenvolveram uma obra linda que, na minha opinião, supera o primeiro livro da duologia. 

No primeiro livro eu não esperava que o enredo fosse dividido em três histórias, então foi uma surpresa pra mim quando o primeiro acabou e o outro iniciou sem aviso. Nesse segundo volume realizei a leitura preparada, então tive uma experiência mais agradável e achei as narrativas bem mais bonitas e trabalhadas que na obra anterior. 

O primeiro é escrito pela Júlia Quinn. Catriona é uma personagem bem forte e decidida que ao se apaixonar, mesmo que sejam de posições sociais opostas, vai fundo para defender seu sentimento e isso me cativou. Gostei bastante de ver a disposição do casal de superar as questões financeiras para viverem o amor, além disso nesse início já temos cenas hilárias escritas daquele jeito que só a Quinn sabe fazer. 


A história seguinte é de Fiona, escrita por Eloisa James que me ganhou e encheu-me de ternura, pois trouxe uma reflexão bem interessante sobre como às vezes a sociedade molda uma imagem sobre nós que não existe. Fiona carrega uma mancha em seu passado e mesmo sabendo que é inocente o fato das pessoas acreditarem que ela não é a fez se conformar com aquilo e aceitar que ninguém casaria com ela devido à sua má reputação. Mas ao se deparar com alguém que também teve um passado problemático eles dão outra chance para o amor e veem esse sentimento tomar conta deles, fazendo-os transbordar de felicidade e mostrando a importância de enxergar e amar o outro apesar do que falam sobre ele. 

A história de Cecily é última, escrita por Connie Brockway e traz aquele amor à primeira vista de um libertino que a gente sempre encontra em histórias desse gênero. A narrativa é bastante fluida e nos faz ver como amar transgride todas as barreiras se estivermos dispostos a enfrentá-las. 

Não poderia deixar de citar a personagem Marilla como uma das mais engraçadas e cativantes personagens secundárias da vida! Impossível não adorar o modo como dá vida ao ambiente em toda cena que aparece, pois sempre age com muita naturalidade e não está nem aí para o que pensam a seu respeito. No finalzinho temos uma surpresa em relação ao seu amado, simplesmente adorei que ela também tenha encontrado alguém para amar. 



Com uma escrita descontraída as autoras nos fazem suspirar, torcer, se apaixonar por cada casal. Essas três belas histórias sobre a imprevisibilidade do amor mostram como esse sentimento surge de maneira espontânea e quando menos esperamos, e mesmo que eu esteja um tanto cético em relação a isso deixou meu coração com um fiozinho de esperança de que isso pode mesmo acontecer. 

Gostei!


Um pouco sobre as autoras: 


Julia Quinn começou a trabalhar em seu primeiro romance um mês depois de terminar a faculdade e nunca mais parou de escrever. Seus livros já atingiram a marca de 10 milhões de exemplares vendidos, sendo mais de 3,5 milhões da série Os Bridgertons, publicada pela Arqueiro. Seus romances já foram traduzidos para 29 países.

Eloisa James escreveu seu primeiro romance depois de se formar em Harvard, mas o manuscrito foi rejeitado por todas as editoras. Depois de obter mais alguns diplomas e arranjar emprego como professora especializada em Shakespeare, ela tentou novamente, dessa vez com mais sucesso. Mais de 20 best-sellers depois, ela dá cursos sobre Shakespeare na Fordham University, em Nova York, é mãe de dois filhos e, numa ironia particularmente deliciosa para uma autora de romances, é casada com um legítimo cavalheiro italiano.

Connie Brockway é autora best-seller do New York Times e do USA Today. Escreveu romances históricos e ficção feminina com grande aclamação, incluindo duas avaliações com estrelas cobiçadas da Publishers Weekly. Ela ganhou duas vezes o prestigioso prêmio Rita Romance Writers of America e atualmente tem mais de 1,5 milhão de livros impressos. Uma ávida viajante, jardineira e cozinheira, Connie mora em Minnesota com o marido e vários cães mimados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário