24.9.20

Exposed Book Tag


Oi gente que ama livros, hoje venho com a Exposed Book Tag que tem como objetivo expor as estranhezas literárias. 
Vamos conferir?
1) Um lançamento que você não tem vontade de ler.
A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes (Suzanne Collins). Eu amo a trilogia original de Jogos Vorazes, mas meu interesse por esse livro é zero por ser a história de um dos personagens que mais detesto dentro do universo e não quero nem por um segundo correr o risco de ter empatia por ele.
Sinopse: Uma história da série Jogos Vorazes. Ambição o alimentará. Competição o conduzirá, mas o poder tem o seu preço. É a manhã do dia da colheita que iniciará a décima edição dos Jogos Vorazes. Na Capital, o jovem de dezoito anos Coriolanus Snow se prepara para sua oportunidade de glória como um mentor dos Jogos. A outrora importante casa Snow passa por tempos difíceis e o destino dela depende da pequena chance de Coriolanus ser capaz de encantar, enganar e manipular seus colegas estudantes para conseguir mentorar o tributo vencedor. A sorte não está a favor dele. A ele foi dada a humilhante tarefa de mentorar a garota tributo do Distrito 12, o pior dos piores. Os destinos dos dois estão agora interligados – toda escolha que Coriolanus fizer pode significar sucesso ou fracasso, triunfo ou ruína. Na arena, a batalha será mortal. Fora da arena, Coriolanus começa a se apegar a já condenada garota tributo…. e deverá pesar a necessidade de seguir as regras e o desejo de sobreviver custe o que custar.

2) Um Livro que você comprou pela capa e se arrependeu de ter lido.
O Pulo da Gata (Fernanda França). Talvez essa seja uma das capas mais lindas da minha estante, mas a experiência de leitura foi bem fraca. O livro nos traz a Maggie May, uma moça de vinte e quatro anos, formada em medicina veterinária, dona de sua própria clínica e cercada de muito amor da família e das amigas. Apesar dos pais terem se separado, ela admira muito o pai que lhe deu irmãs maravilhosas através de outros casamentos. Mesmo Maggie tendo muitos elementos que podem fazê-la feliz, tudo o que ela quer na vida é se casar, sonha com este evento como se fosse o mais importante de sua vida e o único capaz de lhe trazer felicidade. Ela já teve alguns relacionamentos e encarou todos como se fosse se casar, mas nenhum se confirmou. O livro começa com Maggie indo encontrar Felipe, rapaz que conheceu na internet e está bem animada. Um contratempo acontece e ela conhece Eric, um ator que ganha a vida entretendo públicos em stand ups. Ela gosta dele e percebe uma reciprocidade, mas decide deixá-lo de lado e conhecer o Felipe, objetivo inicial daquele encontro. Tudo era óbvio demais e em nenhum momento me senti surpreendida pelos rumos que a trama tomou. Isso foi negativo para mim, porque ainda que o enredo seja clichê, espero alguma coisa que me cause surpresa, o que não aconteceu.

3) Um Livro que não valeu toda a hype.
Boa Noite (Pam Gonçalves). Este foi o livro de estreia de uma das minhas booktubers favoritas, todo mundo estava falando dele a hype estava lá no sol e nessa onda, eu comprei e li o livro. O livro nos traz a Alina, uma jovem de 18 anos que está deixando a cidade onde morou a vida inteira com a família para se mudar para Pedra Azul, uma cidade universitária onde fará o curso de Engenharia da Computação. Alina sempre foi excelente aluna e boa filha, sua vida sempre foi um tanto previsível e ela enxerga também uma oportunidade para mudar de vida nesta mudança de cidade. Chegando à nova cidade, ela vai morar em uma república e conhece alguns amigos bacanas como Manu, Bernardo e Talita e logo de cara, começa a frequentar as festas que os alunos de outros cursos promovem. Essas festas são cheias de música, bebida e paqueras, o que é bastante novidade para Alina, uma vez que ela não tinha nada disso onde vivia com os pais e os irmãos. Ela fica bem empolgada com as novas descobertas e se vê diante de muitos desafios, como o curso escolhido por ela, formado por turmas com muito mais rapazes que moças. Infelizmente, ela tem que lidar com o machismo dos seus colegas de classe e inclusive de alguns professores, mas nada no livro realmente me convenceu. A Alina é uma protagonista fraca e de motivação duvidosa. Ela queria ser outra pessoa na faculdade e não consegui entender os seus motivos. Ser inteligente e amada pela família é algum motivo de vergonha? Até aonde eu sei, não. Os personagens ao redor de Alina também são pouco marcantes. Uma colega de república bissexual que merecia mais espaço e argumentação na trama e um casal inter-racial que poderia gerar mais discussão sobre o tema. O romance da Alina é previsível e até um pouco bobo. Estes aspectos me deixaram incomodada porque tive a impressão que a autora queria inserir todos os temas interessantes da atualidade na história e infelizmente não deu atenção de verdade a nenhum deles. 

4) Um Livro que você leu logo que saiu…. Mas o bonito flopou.
O Milagre (Emma Donoghue). Depois do sucesso da autora com Quarto, eu esperava que este livro seria outro estrondo, mas não foi. O livro traz Lib, uma enfermeira inglesa contratada para ir até a Irlanda durante 15 dias e vigiar uma garota de 11 anos que está há 4 meses sem se alimentar. A garota, Anna, está absolutamente normal como qualquer outra criança de sua idade apesar da falta de comida e Lib automaticamente acredita que aquilo é uma fraude porque nenhum ser humano sobreviveria sem alimentação por tanto tempo. Porém, a família de Lib é extremamente católica, acredita que se trata de um milagre e insiste que a criança está realmente sem comer nada. Com a chegada de Lib, a situação começa a mudar. Anna começa a definhar, os sintomas de desnutrição aparecem e a menina caminha para a morte por inanição porque realmente se recusa a comer e acredita que Deus tem um propósito naquilo. A história ambientada em 1850 traz nas entrelinhas a antipatia que irlandeses e ingleses sentiam um pelo outro e vemos alguns sinais de preconceito inseridos na narrativa. Além disso, percebemos algumas características da escrita da autora nesta história que estão presentes no seu outro sucesso, ainda que esta história se estruture e se desenvolva de outra maneira. A forma como ela nos ganha em uma linguagem sensível e fácil é muito envolvente e o jeito como nos afeiçoamos aos personagens é um caminho sem volta.

5) Um autor que você não aguenta mais ler
Nenhum, porque se eu não aguento mais ler, simplesmente não leio.

6) Um Livro que todo mundo amou e você…. Não.
Dias Perfeitos (Raphael Montes). Esse livro é considerado um dos favoritos do autor entre os leitores e definitivamente, eu não gostei. O livro nos traz o Theo, um jovem de vinte anos, aluno do curso de medicina e muito introspectivo. Não tem vida social, acredita que é muito mais inteligente que qualquer pessoa e não é capaz de desenvolver compaixão nem pela mãe, uma senhora cadeirante. Sua única amiga é Gertrudes, uma senhora de idade avançada com quem tem diálogos interessantes, porém essa mulher nada mais é que um cadáver usado para as aulas de anatomia da faculdade. Já no início do livro podemos diagnosticar Theo como um jovem com sérios problemas mentais e isso se confirma quando depois que ele conhece Clarice em um churrasco, fica obcecado por ela e decide sequestrá-la até provar para ela que ambos só podem ser felizes juntos. O livro se desenvolve neste sequestro e em como Theo terá que construir uma teia de mentiras para manter o seu delito em segredo, e ao mesmo tempo, tentar conquistar Clarice. Confesso que fiquei desapontada com o livro. Embora a narrativa seja original e o protagonista seja construído de maneira a despertar o ódio no leitor, eu esperava mais. Algumas situações no enredo me pareceram muito inconsistentes, como as justificativas que Theo usava para suas atitudes estranhas e a locomoção de Clarice de um lugar para o outro eram totalmente sem noção. O final da história foi o que mais conseguiu me decepcionar, a conclusão que o autor deu para a trama foi descabida e isso me deixou irritadíssima.

7) Um Livro que você já queria ter tirado da estante e que só não fez por preguiça.
A Assinatura de Todas as Coisas (Elizabeth Gilbert). Este livro é escrito por uma das minhas autoras favoritas, mas confesso que ando bem preguiçosa para enfrentar suas histórias, que via de regra são bem filosóficas.
Sinopse: Escritora que atraiu milhões de leitores no mundo inteiro, Elizabeth Gilbert mergulha na ficção, em A assinatura de todas as coisas, para narrar a surpreendente história de uma mulher à frente de seu tempo, determinada a desvendar não só os mais íntimos segredos da natureza, mas também do amor. Alma Whittaker nasceu na virada dos anos 1800, nos Estados Unidos, filha de um ambicioso botânico que construiu por conta própria uma das maiores fortunas da Filadélfia. Curiosa desde criança e instruída com rigor pela mãe holandesa, ela abraça aos poucos a mesma devoção do pai e se dedica sozinha ao estudo das ciências naturais, mas algo falta em sua vida. Desiludida no amor, reservada e solitária, Alma conhece um jovem sonhador, exímio desenhista de orquídeas que, assim como ela, é fascinado pelo mundo ao seu redor. Esse é o início de uma intricada e trágica relação que a levará até os confins da Terra para descobrir não apenas algo sobre ele, mas sobre sua própria natureza. A partir de uma pesquisa minuciosa, com uma escrita fluente e cativante, Elizabeth Gilbert desfila personagens inesquecíveis: missionários, abolicionistas e aventureiros; gênios e loucos, sonhadores e excêntricos. Ao transportar o leitor para outra época e outras culturas, ela o faz descobrir, assim como Alma, os segredos que a aguardam nos confins desse mundo inexplorado.

8) Uma série de livros que você queria não ter começado a ler.
Batidas Perdidas (Bianca Briones). Li o primeiro livro em 2014 extremamente empolgada, o primeiro livro entregou tudo o que prometeu e por causa disso, comecei o segundo livro muito animada, mas a partir daí foi ladeira abaixo. As histórias começaram a ficar repetitivas e a paciência com os personagens foi embora para nunca mais voltar. Com coragem e ódio, cheguei ao quarto livro, mas não sei dizer qual eu odeio mais! Só salvo o primeiro, pois ainda gosto bastante, mas não me arriscaria a reler.










9) Uma leitura que você gostaria de CANCELAR!
Fuck Love – Louco Amor (Tarryn Fisher). O livro nos traz a Helena, uma mulher de vinte e poucos anos vivendo um grande conflito: ela está apaixonada pelo namorado da melhor amiga, o Kit Isley. Helena também tem um namorado, mas essa paixão descabida começou quando teve um sonho em que ela era casada com Kit e tinham formado uma linda família. A partir deste sonho, se viu totalmente envolvida pela figura do namorado da amiga e o livro se desenvolve em Helena fugir do sentimento ou tentar conquistar Kit. Kit é um homem espontâneo, interessante, muito trabalhador e claro, extremamente atraente. Tudo nele chama a atenção de Helena e o sentimento consome suas energias em se manter fiel ao namorado e a amizade de quase uma vida toda. Comecei a leitura sem saber muito do enredo, apenas curiosa em ler uma história escrita pela autora e infelizmente o livro não funcionou para mim. Fiquei bem incomodada com a maneira que a autora desenvolveu a amiga da Helena e em poucas páginas era bem óbvio que qualquer leitor a odiaria. Mas Helena também não é uma personagem admirável: ela basicamente persegue Kit, vai ao trabalho dele, troca e-mails escondidos da amiga e alimenta a ilusão que em algum momento Kit descobrirá que é ela a mulher da vida dele.

10) Exponha um guilty pleasure: aquele livro que você gosta, mas que se sente culpado.
Priest (Sierra Simona). Este é um daqueles livros que se tornou febre quando foi descoberto pelos grupos literários e ao ler sobre ele, fui infectada. Os comentários deixaram claro que se tratava de um livro com duas abordagens que pouco me interessam: é erótico e traz a polêmica da religião na premissa, mas, ainda assim, eu quis ler e gostei. Temos Tyler, conhecido por sua comunidade como Padre Bell. Tyler é o padre da igreja St. Margaret, localizada em uma cidade pequena no interior dos Estados Unidos. Ele é jovem e saudável, além de muito bonito. Cuida da igreja com devoção, criatividade e fidelidade com as escrituras sagradas até que uma jovem, a Poppy, aparece na sua paróquia para se confessar, uma atração incontrolável entre os dois se estabelece e temos uma paixão proibida. O livro é repleto de cenas eróticas entre o padre e Poppy, muitas delas dentro da igreja e acredito que os mais fervorosos católicos censurariam este livro sem medo de errar.



Enfim, essas são as minhas respostas para a tag e eu gostaria de saber quais seriam as suas. Deixe nos comentários porque vou adorar conferir.

Beijos

7 comentários:

  1. Oi, oi!

    Já disse, mas vou dizer de novo: amo tags. Hahaha sempre descubro coisas novas. Hoje, por exemplo, descobri que a Pam tem um livro. Hahaha sempre vejo as resenhas dela e realmente a adoro. Porém fiquei MUITO decepcionada com o que disse do livro. Acho uma menina tão inteligente, acho que poderia sair um livro com um enredo melhor, né? Só de ler a sinopse, achei bem fraquinho e nada de muito diferente do que a gente costuma ler.

    Esse livro do Priest eu já vi por aqui e olha... Ainda vou ler por pura curiosidade. HAHAHA

    ResponderExcluir
  2. Ivi!
    Quando a gente lê muito livro se depara com as mais variadas experiências e situações, né? Infelizmente muitas delas não são positivas, mas faz parte.
    A capa de O Milagre é muito bonita, porém pela descrição da história sinto que é o tipo de livro no qual não acontece muita coisa, embora haja um bom ritmo de leitura.
    E confesso que estou louco para ler A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, pois amo muito a trilogia e voltar nesse universo vai me deixar muito feliz. Tudo bem que Snow é um vilão detestável, mas a autora parece ter caprichado nos conceitos que expandem a tradição dos Jogos, nos permitindo uma nova perspectiva.
    Fuck Love eu já bati o olho e pensei "coisa boa não deve ser com essa sinopse". O livro é problemático demais, e aparentemente queremos bater nos personagens.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Ivi!
    Adorei conhecer um pouco mais do seus arrependimentos literários. Aqui vão minhas respostas:
    1 Sol da meia-noite. Li a saga Crepúsculo e gostei, mas não simpatizo muito com o Edward e as resenhas negativas me desanimaram
    2 Sinceramente não tenho resposta para essa, pois raramente compro livros só pela capa e até agora nenhum me decepcionou
    3 Mentirosos. Na época que eu li estava no auge de lançamento e todos comentavam, mas eu não curti não, e nem é tudo isso rsrs
    4 Asiáticos podres de ricos, gostei bastante da história, o livro foi até adaptado pras telonas mas não vi muita repercussão dele na blogsfera
    5 Eu também sou como você, se não gosto do autor não fico me torturando
    6 A padaria do finais felizes, vi que muita gente gostou mas eu não
    7 A hospedeira, sem motivação nenhuma pra ler e ele esta há anos acumulando pó na estante rsrs
    8 Magistérium, da Cassandra Clare e Holly Black. Adoro as duas autoras mas a série é muito infantil pro meu gosto
    9 1984 de George Orwell, foi uma experiência de leitura péssima
    10 não me sinto culpada de nenhuma leitura, mas os livros hot entram aqui também, embora nenhum se compare a Priest kkk
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ivi!
    Também não pretendo ler o lançamento A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, não li a trilogia original de Jogos Vorazes e confesso que também não tenho vontade de ler.
    Até hoje nunca comprei um livro pela capa, mas realmente a capa de O Pulo da Gata é linda!
    Sou igual a você, se eu não aguento mais ler um determinado autor não leio
    Bjos, amei a TAG e suas respostas!

    ResponderExcluir
  5. Já falei amo TAGs, né?! haha Dentre os livros que você citou, eu já li A Cantinga dos Pássaros e das Serpentes (que, por incrível que pareça, é o livro que você não tem vontade de ler hehe). Não sei se vou mudar seu pensamento, mas esse spin off vale muito a pena ser lido. Além do sentimento de nostalgia, possui personagens maravilhosos e você acompanha como o Snow sempre foi um lixo.

    ResponderExcluir
  6. Adoro essas tags hahaha
    Eu li As batidas perdidas do coração e não segui com os outros livros porque achei que já estava de bom tamanho. É muito ruim quando um livro é super falado e a gente cria aquela expectativa e ele não contribui.
    O da capa mais bonita realmente achei linda a capa. Se comprasse um livro pela capa seria esse também kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. Confesso que A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes também não me interessa, e o pior é que o filme também não. Até assisti ao filme uma vez, mas não rolou.

    ResponderExcluir