15.6.20

Mais Do Que Palavras Podem Dizer (Brigid Kemmerer)

FICHA TÉCNICA
Nome original: More Than We Can Tell
Autora: Brigid Kemmerer
Tradução: Ligia Azevedo
País de origem: Estados Unidos
Número de páginas: 408
Ano de Lançamento: 2019
ISBN-13: 9788592783860
Editora: Plataforma 21

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 41º livro lido em 2020 e foi Mais Do Que Palavras Podem Dizer (Brigid Kemmerer). Conheci a escrita da autora em 2018 através do lindo Aos Perdidos com Amor e um personagem secundário ganhou destaque, merecia um livro próprio e este livro conta sua história.

Estou falando de Rev Fletcher, adolescente que foi tirado do pai biológico por volta dos 7 anos após comprovação dos abusos físicos, mentais e a negligência total com o menino. Rev foi entregue a uma família provisória que se apaixonou por ele, decidiu adotá-lo e fazer dele seu filho. Apesar de Rev ter sido bem tratado ao final de sua adolescência e conhecer realmente o que é uma família de verdade, ainda carrega traumas intensos dos anos vividos com o pai. Já no início do livro vemos o pai biológico entrar em contato com ele, o que deixa Rev muito perturbado.

Conhecemos também Emma Blue que aparentemente é apenas uma adolescente comum, porém uma verdadeira profissional no universo da programação e que criou sozinha um jogo eletrônico que está se tornando muito popular para as pessoas que gostam de videogame. Desde criança, ela aprendeu várias linguagens de programação com o pai e sabe que é isso que quer fazer da sua vida, mas não encontra muito apoio da mãe, que é médica e deseja que Emma siga uma carreira profissional mais tradicional. Um dia, Emma se indispõe com um jogador na sua plataforma e ele começa a ameaçá-la. Sem poder contar com o apoio dos pais, ela guarda aquilo para si mesma.

Emma e Rev se aproximam porque ambos vivem problemáticas e acreditam que ninguém pode ajudá-los. Após se esbarrarem atrás de uma igreja, a confiança é mútua e compartilham seus problemas.

No livro Aos Perdidos com Amor temos algumas pistas do quanto Rev poderia ser intenso e complexo, mas neste livro nada nos é escondido e entendemos suas motivações, seus medos e tudo o que ele mais deseja da vida. O personagem é profundo, mas não dramático. Sabe que agora tem privilégios, mas nada faz com que ele esqueça o passado abusivo vivido nas mãos de quem mais deveria protegê-lo.

A autora conseguiu fazer um contraponto perfeito na criação de Emma, ainda que suas características sejam de alguma forma parecidas com as de Rev. Em vários momentos, eu a julguei como mimada e imatura, porém, conforme a sua problemática se intensifica com a perseguição virtual, consegui ter empatia por ela e desejar que ela procurasse um adulto para ajudá-la.

As páginas finais do livro são cheias de ação e emoção. O livro caminha para um clímax cheio de energia com direito a perseguição de carro, brigas e violência e nos entrega um final forte, bem desenvolvido e comovente.

Mais uma vez, a autora me prendeu da primeira à última página. Temos um enredo que envolve adolescentes, com temáticas muito sérias e que podem promover uma boa reflexão entre os jovens. Temos a desconstrução da família tradicional e a autora ressignificou o que é ser pai e mãe, assim como a questão do assédio virtual e o quanto é preciso que os jovens se sintam seguros na internet e que tenham alguém no mundo real com quem possam dividir seus medos.

O livro é bem escrito, consistente e muito bem desenvolvido e com certeza, já virei fã da autora porque ela entrega o que promete e deixa no leitor a sensação de ter lido um dos melhores livros do gênero, com temas relevantes e atuais.

Amei!!!


Um pouco sobre a autora: Brigid Kemmerer nasceu em Nebraska, nos Estados Unidos. Enquanto crescia, mudou-se com os pais diversas vezes e assim conheceu muitos lugares diferentes dos Estados Unidos – do deserto de Albuquerque, no Novo México, ao lago que permeia Cleveland, em Ohio. Sua obra, dedicada aos jovens, é elogiada pela crítica estrangeira. Brigid Kemmerer vive em Maryland, nos Estados Unidos, com o marido e os filhos. Seus livros publicados no Brasil são:
    • Aos Perdidos com Amor
    • Mais do que Palavras Podem Dizer
    • Sombria e Solitária Maldição

6 comentários:

  1. Oii!

    Faz muito tempo que eu não leio uma obra assim, tao cheia de conflitos e cargas emocionais grandes. Não conhecia a obra, mas fiquei animada para ler, acho que estou precisando de uma obra assim para sair da ressaca de romances melosos.
    Gostei da forma como vc descreveu os personagens, já sei exatamente o que vou encontrar nessa obra!

    Beijinhos,
    Ani
    www.entrechocolatesmusicas.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nada da autora, mas me interessei por essa obra. Costumo gostar de enredos que trazem problemáticas reais e merecíveis de discussão. Depois vou dar uma olhada no kindle pra ver se tem essa obra em e-book, tô fugindo de livros físicos porque simplesmente não tenho mais onde guardá-los na minha casa, estou com falta de espaço. Valeu pela dica : )

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Eu li um livro da autora, mas de fantasia, e fiquei apaixonada. Por isso, quero MUITO ler esses livros de romance/drama dela, e que só vejo resenhas super positivas sobre. Sua resenha me deixou ainda mais animada em conhecer, por isso dica mais que anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Ivi!
    Não conhecia o livro, mas o enredo me parece daqueles que prende por ter uma trama bem desenvolvida e dramas de vidas que podem ser bem reais. Não conhecia a autora, mas pelo jeito tem mais livros dela circulando por aí, vou procurar saber mais. Parabéns pela resenha fiquei curiosa como esses personagens vão resolver seus problemas e como vai terminar essa história, obrigado pela dica, bjs!

    ResponderExcluir
  5. Li recentemente "aos perdidos, com amor" e confesso que fiquei ainda mais encantada com a escrita da autora. Rev é um personagem que, sem dúvidas, tem uma enorme história para contar e vendo sua resenha, vamos conhecer tudo com mais intensidade. Esse livro está na meta para mês que vem! Fiquei com mais vontade de ler.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ivi! Tudo bem?
    Eu acho que sou a única pessoa que não curtiu "Aos perdidos, com amor". Eu tentei ler ano passado e não funcionou pra mim, por isso nem me interessei tanto em ler esse livro, apesar de ter simpatizado com o Rev. Mas acredito que pode ter sido uma questão de momento e pretendo dar uma segunda chance. Se eu gostar, com certeza vou querer ler "Mais do que palavras podem dizer" também. Amei saber que você gostou da leitura e que esse livro traz temas tão sérios. Adorei a resenha e fiquei com mais vontade de dar uma nova chance para os livros da autora.
    Beijos!

    ResponderExcluir