5.12.17

Azul da Cor do Mar (Marina Carvalho)

Ficha Técnica:
Autora: Marina Carvalho
País de Origem: Brasil
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 334
Ano de Publicação: 2014
ISBN-13: 9788581633732

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 78º livro lido em 2017 e foi Azul da Cor do Mar (Marina Carvalho). Este livro está na minha estante desde 2014 e nunca encontrei um tempo ou interesse suficiente para ler. Mas de uns tempos pra cá, querendo conhecer mais autores nacionais e sabendo que esta autora aqui é bem popular dentro da blogosfera literária, me arrisquei na leitura.

O livro nos traz a Rafaela que aos onze anos de idade, passando férias no litoral do Espírito Santo, observa um menino poucos anos mais velho que ela, caminhar em direção ao mar com uma mochila xadrez nas costas, deixar um papel ser levado pela água e ir embora. Rafaela nunca esqueceu aquela cena e a partir dali, passou a escrever em um caderno, várias possibilidades sobre o menino, como se ele fizesse parte de sua vida.



O livro começa com a protagonista aos 21 anos, no último ano da faculdade de jornalismo, conseguindo um importante estágio com a ajuda de uma professora querida, em um renomado Jornal de Minas Gerais. O estágio, porém, não é exatamente o que ela imaginava porque na verdade ela terá que seguir todos os passos de um jornalista mais experiente, Bernardo e ele não facilita a vida da estagiária nem por um minuto. Assim se estabelece uma relação de gato e rato entre os dois, o que já nos dá uma ideia interessante de como o romance irá se desdobrar. A princípio ela odeia Bernardo, mas isso começa a mudar quando Gisele, uma de suas amigas, passa a se interessar por ele, o que desestabiliza a relação das duas e faz Rafaela repensar esses estranhos sentimentos, enquanto ela se aproxima de Marcelo, um bonitão que trabalha para a mesma empresa e ao contrário de Bernardo, tem sido agradável com ela desde o dia em que ela começou a trabalhar.

Eu fiquei um pouco decepcionada com o livro porque algumas coisas me incomodaram bastante no enredo. Pra começar, o livro é narrado em primeira pessoa e temos a perspectiva de Rafaela sobre si mesma e sobre tudo ao seu redor, e ela tece elogios generosos para consigo mesma. Realmente isso é algo que me irrita um pouco em livros deste gênero porque me dá a impressão que a personagem precisa se reafirmar a cada parágrafo e na verdade, as suas atitudes dentro da trama, não comprovam isso.



Outra coisa que me deixou desgostosa com o desenvolvimento da história, foi a rusga que nasceu entre Rafaela e Gisele por conta de Bernardo. Acho que esse plote de duas mulheres brigando por um homem ou se desentendo por causa de um paquera, é completamente desnecessário. Como se trata de um romance contemporâneo, acredito que a sororidade é que deve permear este tipo de leitura e não o contrário.

A ambientação do jornal e a vida maluca dos repórteres investigativos é bem interessante, e a cada novo capítulo, a abertura se dava com algum conselho ou dica sobre a profissão e isso deixou o texto um pouco charmoso. O cenário brasileiro também é sempre recebido por mim com muito amor, porque adoro ler histórias que se passam no Brasil em lugares que eu conheço, ou em lugares que eu tenho possibilidade de conhecer brevemente. Por exemplo, eu conheço Iriri, litoral do Espírito Santo e vê-lo como um cenário importante na trama, me deixou super feliz. De igual modo, Rafaela trabalhando em Belo Horizonte, me deixou com vontade de conhecer a capital mineira.


A escrita da autora é leve e fluida e a leitura se deu sem grandes dificuldades, mas eu esperava um pouco mais do livro. Talvez eu tenha iniciado a leitura com uma expectativa grande e a narrativa não conseguiu alcançá-la da forma como eu imaginava. De qualquer forma, quero ler outra coisa da Marina porque acredito em muitos elogios que li e talvez este livro em especial, que não tenha funcionado para mim.

Eu esperava gostar mais, mesmo percebendo que se tratava de um clichê. Contém muitos elementos deste universo de chicklit, mas não traz muita originalidade. Concluindo, foi uma leitura rasa, em que não me envolvi com os personagens como eu gostaria de me envolver.



Um pouco sobre a autora: Marina Carvalho nasceu em Ponte Nova, Minas Gerais, conhecida como a terra da goiabada. Adora queijo, rock progressivo, pudim de leite condensado, café com pouco açúcar e filmes com finais felizes. Ama ler, seja um bom livro policial, um chick-lit despretensioso ou o jornal do dia. Quando criança lia as revistinhas da Turma da Mônica, incentivada pela mãe, e ficava esperando ansiosamente pela chegada delas todos os meses. Formou-se em Jornalismo pela PUC-Minas e exerceu o cargo de assessora de comunicação de uma empresa por sete anos. Hoje é professora de língua portuguesa e literatura na Escola Nossa Senhora Auxiliadora. Mora em sua cidade natal com o marido e os dois filhos. Seus livros publicados são:
  • A História de Malikah
  • Ao Gosto do Chef
  • A Menina dos Olhos Molhados
  • O Amor nos Tempos do Ouro
  • Elena – Filha da Princesa
  • Azul da Cor do Mar
  • Crisálida
  • Contos de Carnaval
  • Simplesmente Ana
  • De Repente Ana
  • Ela é Uma Fera

13 comentários:

  1. Acredita que não conheço a autora?!
    Uma pena a protagonista ter sido tão pretensiosa rsrs, o fato de ser uma leitura leve e fluida sempre funcionam comigo e clichês... bem, é o que mais vemos por aí.
    Deixo a dica anotada, quem sabe eu curta.


    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Opaaaa! Livro com BH, livro com Minas e eu aqui! Adorei saber disso.
    Mas que pena que o livro tem esses defeitos e não te deixou 100% satisfeita. Eu não sei se leria, sabe? Não faz meu tipo. Mas passo a dica adiante.
    E que Gisele e Rafaela se entendam haha
    Bj

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ivi, tudo bem?

    É uma pena que você não tenha se envolvido com a história, e que ela não tenha suprido sus expectativas, é frustrante quando isso acontece. Eu gosto muito da escrita da Marina Carvalho, mas só li dois de seus trabalhos. Este livro em questão, não me chama a tenção, a premissa não me atrai, e agora lendo as suas considerações, creio que eu não curtiria a leitura.

    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  4. Sou fã da Marina mas Azul da cor do.mar não é um dos meus favoritos. Inclusive, achei o desfecho forçado. Amo clichês mas não foi o caso desse romance.
    Já não posso dizer o mesmo sobre "D Repente Ana", já leu?? É o meu favorito!

    Beijos!
    www.citacaonunclick.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ivi! Tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas sempre vejo muitos elogios para a escrita da autora. Achei uma pena você ter se decepcionado com a leitura, e acredito que algumas coisas que te incomodaram também iriam me irritar. Em especial, não gostei dessa situação de duas mulheres brigando por um homem. Acredito que o livro deveria reforçar a sororidade e não esse tipo de de disputa.
    De qualquer forma, ainda leria para uma leitura despretensiosa, principalmente porque parte da trama se passa em BH, cidade que eu amo.
    Adorei sua resenha e sua sinceridade, e espero que os próximos livros da autora que você ler sejam leituras melhores.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oiee Ivi ^^
    Eu sempre fui fã de livros narrados em primeira pessoa, mas realmente, quando o personagem começa a tecer elogios e a fazer com que o leitor veja quão incrível ela é (affs), aí fica difícil. Eu ainda não li esse livro, e acho que nem o farei depois de ver que as meninas ficam "brigando" por causa do cara. Não tenho paciência não...haha' falta de sororidade já basta na vida real.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Ivi.
    Assim como você, dei chance a uma autora nacional do gênero recentemente por conta de comentários positivos, e, apesar de ter gostado da narrativa dela, alguns elementos impediram que eu gostasse totalmente da história.
    Eu também gosto dessa ambientação no Brasil, principalmente quando narra o dia a dia dos personagens.
    Não sei se é um livro que eu leria agora, mas também leio muitos elogios sobre a autora e ainda pretendo conferir algum obra dela.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Eu não conhecia o livro, mas pela sua resenha já sei que não foge muito dos romances clichês que vemos pelas livrarias a fora. Assim como você, gosto de livros em que o cenario é o Brasil, mas me desestimula quando vejo que é uma história clichê, não muito diferente de qualquer outro livro. Infelizmente, eu deixo passar essa leitura...

    http://www.porredelivros.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Ivi,
    li a menina dos olhos molhados que é a versão do Bernardo da história e te garanto que não é muito melhor que esta, só que ao invés de mulheres brigando por macho, temos declarações machistas e coisas do tipo, esta história não me convenceu nenhum pouco e apesar de ter gostado das cenas que descrevem o dia a dia de um jornalista, achei algumas coisas fora de nexo, como a negociação do sequestro, me soou ridícula a interferência do Bernardo, entre outras coisas.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  10. Oiiii,

    Eu já li tantas resenhas deste livro e acho que todos tem a mesma reclamação "esperavam mais", eu não sou uma grande fã da autora, mas acho que como ela escreveu boas histórias antes as pessoas foram para Azul da Cor do Mar com expectativas altas que não foram correspondidas. É uma pena quando isso acontece, mas preciso dizer que se antes de ler as resenhas sobre este livro já era uma história que eu não leria, agora tenho menos vontade ainda rs.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bem?

    Tenho muita vontade de ler algum livro dessa autora. Até comprei um livro dela que pretendo ler no começo do ano. Esse eu já conhecia, mas nunca li. Também conheço a outra série dela e tenho muita curiosidade em ler. Vou tentar ler os livros dela que mais tenho interessem no próximo ano.

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Da Marina eu só li aquele romance história que ela publicou pela Globo Alt e gostei muito.
    Mas é uma pena que esse livro tenha tido tantos pontos que te incomodaram durante a leitura, é horrível quando isso acontece =/

    ResponderExcluir
  13. Ola lindona uma pena que alguns pontos na história não te agradaram, é preciso muita coerência para criar essas implicações entre personagens sem irritar o leitor, já li livros da Marina e gostei muito, esse ainda não consegui ler. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir