20.11.20

Protagonistas Negras Favoritas


Oi gente que ama livros, hoje venho compartilhar com vocês os livros com as minhas protagonistas negras favoritas.
 
Vamos conferir?

Americanah (Chimamanda Ngozi Adichie)
- O livro nos traz a uma mulher chamada Ifemelu, que deixa a cidade de Lagos, na Nigéria, para estudar e viver nos Estados Unidos. Seu país está passando por problemas sérios e isso reflete em professores universitários fazendo greves intermináveis, desemprego e um regime militar complicado. Chegando à América ao mesmo tempo em que se torna uma aluna exemplar, ela começa a perceber como a vida para uma imigrante pode ser difícil e tem que lidar com muitas questões para conseguir viver com dignidade. Uma destas questões é a social: Ifemelu chega aos Estados Unidos com o visto de estudante e isso a impede de trabalhar em tempo integral, o que limita muito a forma de obter recursos para se manter. Ela passa por muitas dificuldades com alimentação e locomoção por falta de dinheiro. Temos ainda a questão de gênero por ela ser mulher e ter que ir na contramão de muitas coisas, mas o foco do livro, sem dúvida, se mantém na questão racial e em como Ifemelu vai lidar por ser negra em um país que mantêm o racismo estrutural em muitas esferas.

Contratempo (Ivi Campos)
– Não poderia deixar de falar do meu próprio livro, não é mesmo? Temos um romance inter-racial que gera Letícia, uma menina negra que se torna uma das modelos mais populares e bem pagas do mundo. Antes do seu nascimento, seus pais foram separados por circunstâncias muito sérias e ela nunca conheceu o pai. Ao chegar aos 20 anos, ela decide deixar a carreira de modelo de lado, procurar pelo pai e esse será um caminho complexo. O dia deste encontro será marcado por muita tensão, uma vez que ela passa o fim de semana em Santa Maria – RS e irá em uma festa na Boate Kiss, na noite de uma das maiores tragédias ocorridas no Brasil. O livro aborda o racismo, preconceito social e a determinação necessária para passar por cima disso para ser quem é. Romance, reflexão e uma crítica social em uma história que vai te emocionar do começo ao fim.




Na Hora da Virada (Anggie Thomas)
– O livro nos traz a Bri, uma adolescente negra que mora em um bairro bem desfavorecido e após compor uma música e vê-la viralizar, tem que lidar com as consequências disso porque as pessoas não interpretaram o que ela queria dizer na canção da maneira certa. Sua família, seus amigos e até seu crush, Malik, entenderam errado o objetivo de Bri e agora ela tem que lidar com muitas situações conflitantes. Só que este nem é o maior de seus problemas. Sua família está passando por uma situação financeira muito complicada: se a mãe paga o aquecimento, não sobra para pagar a conta de luz, se paga a luz, não sobra para comprar comida e tudo piora quando ela perde o emprego logo no início do livro. Seu pai morreu em uma situação de violência, infelizmente típica em sua região e após essa perda, a mãe teve problemas sérios com drogas. Já livre do vício, a mãe luta para poder provar que é capaz de cuidar da própria família e trava uma batalha diária com os avós paternos de Bri, que insistem que ela não tem capacidade de fazer isso da forma certa. Como se fosse pouco, a tia de Bri, uma das pessoas que ela mais gosta no mundo se envolve com o tráfico de drogas e além disso ser perigoso, Bri sabe que pode ter um fim catastrófico.

O Ódio Que Você Semeia (Anggie Thomas)
– O livro nos traz a Starr, uma adolescente negra que mora na periferia com sua família. Seu pai já foi preso por ter assumido o crime de outra pessoa e apesar de todos ao seu redor serem honestos e muito legais, moram em um bairro que está infestado de gangues envolvidas no tráfico e violência, o que reafirma o estereótipo que negros e bandidos é algo comum. Apesar dessa realidade do dia a dia da Starr e da sua consciência de quem é, ela estuda em uma escola particular fora do seu bairro em que a maioria dos alunos é branca e lá pode ser uma outra pessoa, sem as preocupações e responsabilidades que tem em casa e no bairro. Em uma festa, reencontra um amigo de infância, Kalil, e pega  carona com ele para casa. No caminho, o carro é parado em uma fiscalização de trânsito e o policial é bem hostil com Kalil. Quando ele é retirado do carro e se volta para saber se Starr está bem, é baleado pelo policial e morre nos braços dela. Além da perda e do trauma que toda a situação causou nela, Starr ainda tem que repensar se deve ou não testemunhar contra o policial, tendo a consciência que sua versão pode ser desqualificada pelo simples fato de ser negra.

Estas são algumas das protagonistas negras que mais amo e quero saber quais são as suas. Deixe nos comentários as suas indicações com livros que sejam protagonizados por mulheres negras porque vou amar conferir.

Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário