6.3.20

Quando Éramos Filósofos - A História Dos Alunos De Merlí (Héctor Lozano)

FICHA TÉCNICA
Nome original: Cuando fuimos los peripatéticos - La novela de Merlí
Autores: Héctor Lozano
Tradução: Monique D’Orazio
País de origem: Espanha
Número de páginas: 288
Ano de Lançamento: 2019
ISBN-13: 9788595810716
Editora: Faro Editorial

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 15º livro lido em 2020 e foi Quando Éramos Filósofos - A História Dos Alunos De Merlí (Héctor Lozano). Sou uma verdadeira fanática pela série Merlí e quando vi este livro não tinha a menor dúvida que precisava comprar.

Merlí é uma série disponível na Netflix que em 3 temporadas, nos conta a vida de um professor de filosofia que leva seus alunos a pensarem livremente através de aulas pouco tradicionais. Meu interesse pelo livro foi pela sinopse informar que sete anos depois do término dos estudos, a turma de Merlí se reencontra. Quando li, eu imaginei que o livro seria sobre este período pós ensino médio, porém o livro na verdade não traz isso.
“A filosofia serve para refletir sobre o ser humano e para questionar as coisas. Talvez seja por isso que queiram mandar a filosofia à merda.” página 09
O livro começa com uma carta de Bruno, filho de Merlí, a sua irmã mais nova que está completando 18 anos. Nessa carta, Bruno se dispõe a contar como Merlí foi como professor, além de pai e amigo. O livro contará todo o conteúdo da série sob a perspectiva de Bruno que a princípio, não gostou nem um pouco de ter seu pai como professor, mas que no decorrer do tempo, aceitou e valorizou a oportunidade que isso trazia.


Bruno nunca foi o meu personagem favorito da série. Ele era egoísta, inconsequente e extremamente imaturo. Porém ao longo da série, ele amadureceu e é interessante ver o quanto ele se arrepende das suas infantilidades enquanto aconselha a irmã a tentar não ser igual a ele na narrativa do livro. O personagem não era apenas o filho do professor, mas tinha uma série de conflitos particulares que foram melhor esmiuçados dentro do livro, como a dificuldade em aceitar sua homossexualidade, bem como seu amor platônico por Pol, um colega de turma conhecido pelas inúmeras namoradas. 
“Nas escolas, ninguém sabe o que se passa na casa de cada aluno. Na aula, todo mundo mostra um sorriso, mas arrasta a mochila emocional do que vive em seu lar, quer seja para o bem, quer seja para o mal.” página 19
O livro informa sobre cada um dos personagens importantes na série, como Tânia, a melhor amiga de Bruno que tinha que conviver com seu biotipo fora do padrão. Joan que fora sempre reprimido pelos pais e se torna um rebelde sem causa. Temos ainda a problemática de Ivan, que desenvolveu agorafobia por sofrer bullying na escola e Marc, filho de um bandido. Entretanto, como o livro é em primeira pessoa e o narrador se manteve ausente em uma parte relevante do seriado – Bruno ficou uma temporada inteira longe da escola – a grande parte dos acontecimentos é contada de forma superficial e não existe aprofundamento de personagens como na série.

Quem não assistiu, pode achar o livro extremamente raso e confuso. Situações muito sérias desenvolvidas na série em três ou quatro episódios, ganham apenas um parágrafo dentro do livro. Como o personagem não tinha acesso a todos, muita coisa não é contada, como por exemplo, os inúmeros erros de Merlí. 


Enquanto professor, ele era magnífico, todos o amavam e o defendiam porque ele realmente era inteligente, carismático e verdadeiro. Mas enquanto ser humano, era cheio de defeitos e isso não é tratado no livro como foi na série. É fácil amar e odiar Merlí numa mesma cena, mostrando o quanto o personagem poderia ser tridimensional.
“Por que segundo Maquiavel, é importante salvar um Estado que pode prejudicar os cidadãos? Se os fins justificam os meios, então, o que justifica os fins?” página 28
As páginas finais do livro são emocionantes e eu me comovi com o final assim como me emocionei com a série (chorei 58 minutos após assistir ao episódio final) e foi gostoso revisitar este universo, bem como conhecer a intimidade de um personagem que me despertou raiva na série por muitas vezes. Porém, como disse, o livro é para quem assistiu ao seriado porque não existe um desenvolvimento de problemáticas ou de personagens.


O cenário é delicioso, na cidade de Barcelona, Espanha. O livro faz referências a algumas canções que eram tocadas no seriado e eu achei isso bem bacana, Mas de um modo geral, se você não assistiu ao seriado, esse livro não é pra você. 

Eu gostei e espero que você assista a série para conhecer este livro e gostar também.


Um pouco sobre o autor: Hector Lozzano nasceu em Sabadell, na Espanha. É amante de cinema, estudou teatro e trabalha em TV. Quando criança era viciado em seriados e começou a escrever roteiros após terminar os estudos no Instituto de Teatro de Barcelona. Seus livros publicados no Brasil são:
    • A Filosofia de Merlí
    • Quando Éramos Filósofos

Nenhum comentário:

Postar um comentário