7.5.19

Filme da Vez #95 Vingadores: Ultimato

FICHA TÉCNICA
Título Original: Avengers: Endgame
Ano de Produção: 2019
Lançamento no Brasil: 25 de abril de 2019
Duração: 183 minutos
Gênero: Ação
País de Origem: Estados Unidos
Classificação Etária: 12 anos
Direção: Anthony Russo e Joe Russo
Elenco: Bradley Cooper, Brie Larson, Chris Evans, Chris Hemsworth, Danai Gurira, Don Cheadle,  Jeremy Renner, Josh Brolin, Karen Gillan, Mark Ruffalo, Paul Rudd, Robert Downey Jr., Scarlett Johansson, Angela Bassett, Anthony Mackie, Benedict Cumberbatch, Benedict Wong, Callan Mulvey, Chadwick Boseman, Chris Pratt, Cobie Smulders, Dave Bautista, Elizabeth Olsen, Emma Fuhrmann, Evangeline Lilly, Frank Grillo, Gwyneth Paltrow, Hayley Atwell, Hiroyuki Sanada,  Jacob Batalon, James D'Arcy, Jim Starlin, Joe Russo, John Slattery, Jon Favreau, Ken Jeong, Kerry Condon, Letitia Wright, Linda Cardellini, Marisa Tomei, Maximiliano Hernández, Michael Douglas, Michelle Pfeiffer, Natalie Portman, Pom Klementieff, Rene Russo, Robert Redford, Ross Marquand, Samuel L. Jackson, Sean Gunn, Sebastian Stan, Stan Lee, Taika Waititi, Tessa Thompson, Tilda Swinton,  Tom Hiddleston, Tom Holland, Ty Simpkins, Vin Diesel, William Hurt, Winston Duke, Yvette Nicole Brown, Zoe Saldana
Sinopse: Após os eventos devastadores de Vingadores: Guerra Infinita, o Universo entrou em destruição por causa do Estalar de Dedos do Thanos, o Titã Louco. Com a ajuda dos heróis sobreviventes, os Vingadores devem se reunir mais uma vez para desfazer as ações de Thanos e restaurar a ordem do universo de uma vez por todas, não importa quais serão as consequências que os aguardam.
Oi gente que ama livros, hoje venho comentar com vocês sobre o que eu achei do filme Vingadores: Ultimato, filme que eu estava ansiosíssima para conferir e já adianto que superou todas as minhas expectativas.

O filme encerra um universo desenvolvido ao longo de 11 anos em que somou muitos sucessos, embora nem todos os filmes tenham a mesma qualidade. Porém, mais do que qualquer filme precedente deste universo, Vingadores: Ultimato serve para refletirmos sobre a maneira como as fantasias de super-heróis representam o nosso medo de lidar com a morte. Os personagens possuem poderes excepcionais, que a princípio garantiriam uma chance de sobrevivência superior àquela dos seres humanos comuns. No entanto, os protagonistas são ameaçados o tempo inteiro, enfrentando adversários igualmente poderosos.


Estas produções lidam ao mesmo tempo com a vida eterna e a necessidade de estar pronto para a morte a qualquer instante. O superpoder dos personagens funciona como bênção e maldição: é o que os torna atraentes, ídolos, mas também alvos privilegiados. 
  
O último filme da saga Vingadores começa e termina sob o tema da morte. Por retomar a trama vinte e dois dias após o ataque de Thanos que exterminou a metade da população mundial, os protagonistas se encontram de luto, sem perspectivas de futuro. Eles ainda combatem, porém, não conseguem aceitar a perda de seus colegas. Rumo ao final desta longa aventura, outras vidas serão sacrificadas em nome de um bem maior, como se esperaria de um enfrentamento com o vilão. Por estarmos dentro de uma trama com personagens que manipulam o tempo, navegam em reinos quânticos e detêm joias do infinito previstas para alterar realidades, espera-se que pessoas possam alterar o passado. De certa maneira, dribla-se a mortalidade.


As exigências são enormes, o que limita a possibilidade de tomar riscos. Os diretores e o produtor têm ampla noção das exigências, fornecendo um produto muito bem-sucedido em suas distintas necessidades. Não há estripulias narrativas ou grandes transformações na estética já consagrada.

Mais do que trazer referências, o filme constitui um fan service em si. Ele é concebido de modo a garantir que os produtores não se esqueceram de nenhum personagem, não abandonaram nenhum filme e nem deixaram pontas soltas na última fase deste universo. Num contorcionismo notável de montagem, cada herói tem seu momento para brilhar e toda cena permite um equilíbrio de tom: piadas aparecem no meio de um funeral, revelações tristes ocorrem em plena batalha, um momento de ação irrompe durante uma tirada cômica. Embora Ultimato não surpreenda pela proposta de cinema, trazendo música nos lugares esperados e reservando o grande confronto para o clímax, surpreende pelo refinamento do produto que oferece.


O resultado é extremamente competente dentro das regras que a Marvel criou para si mesma, trazendo imagens polidas, atuações marcantes, efeitos visuais e sonoros impecáveis. Este é o produto de uma indústria que precisa ao mesmo tempo honrar fórmulas de sucesso e trazer ao espectador algo que pareça novo, genuíno. Vingadores: Ultimato honra o patriotismo americano, mas também se abre à noção de fraternidade internacional; coloca os heróis masculinos no centro da trama, mas inclui um pequeno aceno à liderança feminina; fomenta histórias de amor entre heróis e suas amadas, mas cita com naturalidade um romance gay; privilegia os personagens brancos, porém não esquece de destacar a importância de Don Cheadle, Anthony Mackie e o elenco de Pantera Negra.

Por fim, o resultado deve ser menos lembrado por suas reviravoltas e suas lutas – que vistas separadamente não diferem tanto de cenas equivalentes dos filmes anteriores – do que pelo culto criado em torno das marcas Vingadores e Marvel. Ultimato coleciona recordes de bilheteria antes mesmo de estrear, assim como A Era de Ultron (2015) e Guerra Infinita (2012) colecionaram recordes em seus anos de estreia. A mídia está saturada de notícias sobre sessões esgotadas, críticas excepcionalmente positivas e produtos derivados das imagens dos heróis. Especulações de todos os tipos são lançadas em toda parte sobre possíveis acontecimentos da trama, enquanto pequenos comerciais de televisão divulgados na Internet atraem milhões de curiosos.


A Disney conseguiu criar um fenômeno cultural, uma produção “inevitável”, como Thanos gosta de descrever a si mesmo. Com certa regularidade, a empresa apresenta filmes “incontornáveis”, experiências que precisam ser vistas dentro do cinema, assim que estiverem disponíveis – algo importante para o faturamento recorde -, porque depois todos os colegas já terão visto, os spoilers estragarão o prazer e qualquer pessoa que ainda não tiver descoberto os rumos dos super-heróis se sentirá ultrapassada. Os estúdios criaram moda, um produto de consumo, além de prazer cinematográfico. Vingadores: Ultimato não é apenas a conclusão de dezenas de filmes, mas também o veículo de sustentação de uma marca poderosa, que desperta um senso de necessidade no espectador que raramente ocorre com outros filmes.

Talvez esta seja a grande diferença deste tipo de filme e das produções comuns no cinema: o blockbuster cria a demanda para suprir a oferta, despertando o desejo e sua saciedade, o problema e a solução. Ele traz aquilo que se espera dele – o confronto dos heróis com Thanos, a inclusão da Capitã Marvel no confronto, a recuperação das joias do infinito, o retorno de alguns personagens. Já as produções, digamos “alternativas” ou “de arte” propõem algo que não se espera, até porque nunca se prometeu nada. Elas constituem universos em si, capazes de desestabilizar, provocar choques no sentido e na compreensão. O blockbuster é feito para reconfortar, já o filme alternativo busca perturbar.

Enquanto proposta de reconforto, nada mais eficaz do que este fenômeno com todos os personagens, cenas, efeitos e reviravoltas que se esperaria dele. “Você vai rir e chorar”, diziam os reclames dos espetáculos de antigamente e é exatamente isso que se encontrará aqui. Os Vingadores converteram seu público em “seguidores”. 

Eu sou mais uma seguidora e saí do cinema mais que satisfeita.

Confiram o trailer:

8 comentários:

  1. Olá!

    Eu assisti apenas o primeiro filme da franquia. Tenho lido tantos comentários positivos a respeito de como foi o desfecho da série que é impossível não ficar curiosa para assisti-la.
    Apesar de não ter dedicado tanto tempo aos filmes de super-heróis ultimamente, irei me atualizar nessa franquia tão aclamada.
    Fico feliz que o filme tenha lhe agradado tanto!

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Ainda não assisti esse filme mas estou super afim de conferir esse desfecho, ver quais personagens sofrem nessa guerra contra Thanos.
    Acredito que a produção esteja muito bem feita e espero sair satisfeita assim como você.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  3. Oi Ivi! O texto está impecável e concordo em tudo! Exatamente por ser blockbuster, por ter fã service, filmes como este agradam tanto, e superam em muitos quesitos. Eu também como fã, saí mais do que satisfeita do cinema, embora tenha chorado um grande bocado. Adorei sua análise!


    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  4. Ainda não assisti ao filme, mas confesso que estou bem curioso e com vontade de ver, espero conseguir logo, pois a curiosidade está grande, só leio críticas boas sobre ele.

    ResponderExcluir
  5. Oi Ivi, que bom saber que o filme lhe agradou. Também já assisti ele e achei que foi feito um bom trabalho para entregar aquilo que os fãs esperavam.

    petalasdeliberdade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Deu para perceber o quanto este filme te agradou e gostei de saber mais sobre ele através da sua resenha. Confesso que conheço muito pouco desse universo de super-heróis (o que eu mais assistia eram desenhos animados de heróis e nunca me foquei muito em opções de filmes). Eu vi esses dias uma montagem com a ordem cronológica dos filmes e percebi que só assisti O Incrível Hulk até hoje!!! Inacreditável, mas é verdade.rs De tão por fora que estou deste universo.

    Então, decidi que antes de assistir este filme vou assistir os outros todos em ordem para absorver os acontecimentos e fazer as ligações entre cada filme. Espero gostar tanto quanto você, quando finalmente chegar a minha vez de assistir Vingadores: Ultimato.

    ResponderExcluir
  7. Olá Ivi, tudo bom?
    Primeiramente, que review fantástico do filme! Sério, um dos melhores que vi e totalmente livre de spoiler ♥ Quanto ao filme, eu também sou uma seguidora que saí satisfeita. Ri, chorei e fiquei encantada com o final dado após esses muitos anos acompanhando nossos heróis. Sem sombra de dúvidas, este filme mereceu todo o reconhecimento que teve ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá Ivi, eu fui assisti-lo na semana de estreia junto com meu irmão e sem duvida superou minhas expectativas, apesar de ser um filme bem longo ele foi construído de uma forma que em nenhum momento eu senti que estivessem enrolando *-* Adorei sua critica, o texto ficou bem bacana e sem spoilers *-*

    ResponderExcluir