27.3.19

Nem Tudo Será Esquecido (Wendy Walker)

FICHA TÉCNICA
Nome original: All Is Not Forgotten
Autora: Clare Vanderpool
Tradução: Maryanne Linz
País de origem: Estados Unidos
Número de páginas: 288
Ano de Lançamento: 2016
ISBN-13: 9788542208337
Editora: Planeta de Livros

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 18º livro lido em 2019 e foi Nem Tudo Será Esquecido (Wendy Walker). Comprei este livro em uma destas feirinhas de livros que acontecem  dentro de shoppings ou estações de metrô de São Paulo. A Aione do Minha Vida Literária havia feito uma resenha elogiosa para este livro e quando eu o vi na feira, não pensei duas vezes em comprá-lo.

O livro começa com um estupro. A violência acontece com a Jenny, uma adolescente comum da pequena cidade de Fairview, no interior dos Estados Unidos. Após ir a uma festa e ter uma decepção com um garoto, ela começa a beber sem critério e quando começa a passar mal, decide ir embora sozinha. No trajeto, é arrastada para um matagal onde é violentada cruelmente. Quando Jenny é localizada, levada para o hospital e as autoridades são acionadas, um método de tratamento é colocado à disposição dos pais: Jenny pode tomar um coquetel de remédios que fará com que  esqueça da violência que sofreu. Sem pensar duas vezes, a mãe decide que ela deve tomar aquela medicação, ainda que o pai seja contra. Enquanto a mãe não quer que a menina carregue traumas, o pai sabe que ela tem que manter as lembranças para que o criminoso seja encontrado. A mãe de Jenny vence esse embate e a medicação é administrada, mas isso não alivia a dor que a violência deixou no emocional da Jenny e ela começa a dar sinais de uma depressão profunda, mesmo não se lembrando do que aconteceu. Um psiquiatra renomado, o dr. Alan, é chamado para tentar reverter aquele tratamento para que Jenny possa se lembrar do que aconteceu e administrar seu trauma.


O livro começa com um narrador desconhecido. Percebemos que ele faz parte da história, que mais cedo ou mais tarde iremos reconhecê-lo dentro do enredo e quando isso acontece, é bem interessante o quanto a experiência de leitura se torna ainda mais intensa. Este narrador tem interesse na recuperação das memórias de Jenny e quando sua identidade é revelada, alguns pontos começam a se interligar.

A recuperação da memória de Jenny se dá com sessões psiquiátricas, com ela sozinha, na presença dos pais e também em uma terapia de grupo com outras pessoas que sentem faltam de determinadas lembranças. A forma como vemos o psiquiatra trabalhar com cada um destes núcleos é insanamente instigante. Além de Jenny aos poucos alcançar o objetivo, sabemos que estamos no caminho para descobrirmos o autor do crime.


Todos os personagens são tridimensionais. A autora nos apresenta cada um deles sem pressa, nos mostrando seus pontos positivos e seus segredos sombrios. Além das pessoas que formam a trama principal, o personagem Alan nos fala de antigos pacientes que também nos ajudam a entender um pouco da mente dos personagens principais.

O livro é muito bom e eu acho que não conseguiria expressar em palavras o quanto gostei desta leitura. Temos um drama forte inserido na narrativa, desenvolvido ao longo da história e que em nenhum momento foi tratado com leviandade. O abuso sexual que a personagem sofre é forte e sério e isso faz com que tenhamos empatia pela garota. Mas outros temas também são trabalhados de forma brilhante como a família, seus segredos, ideais e medos. Cada pequeno detalhe faz sentido se somado ao todo e também é digno de reflexão se pensado de forma isolada.


Foi um livro que me dilacerou. Li de forma angustiada, mas muito envolvida com a leitura. A curiosidade em saber quem era o criminoso, somada ao desejo de ver Jenny se reerguer depois de algo tão traumático fizeram com que eu passasse as páginas de forma veloz. E quando o crime é desvendado e tudo vem à tona, faz muito sentido e entendemos as migalhas em formas de pistas que a autora deixou ao longo da história.

Para quem gosta de thriller psicológico, o livro é um banquete. Para quem gosta de drama, é bem argumentado, de forma que você sente cada dor e compartilha cada desespero. Para quem gosta de uma escrita bem-feita e bem embasada, em que o trabalho de pesquisa é nítido sem ser tedioso, é perfeito.

Eu me envolvi, sofri e ao final, tinha a certeza que era um dos melhores livros do gênero.

Eu adorei.


Um pouco sobre a autora: Wendy Walker é advogada e ex-analista financeira da Goldman Sachs. Ela vive em Connecticut, onde se ocupa de criar seus três filhos e escrever seu próximo thriller. Nem Tudo Será Esquecido é o seu único livro publicado no Brasil.

7 comentários:

  1. Só pela resenha já senti a intensidade dessa leitura. Não conhecia o livro, mas o forte drama que mencionou ter a narrativa me deixa curiosa para querer conferir essa obra. Vou anotar essa sugestão e espero ler em breve.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Eu não conhecia o livro, mas só lendo sua resenha já fiquei angustiada pelo que acontece com a personagem principal.
    Sei que a mãe dela quis que ela usasse o medicamento pelo bem da filha, mas não achei muito certo.
    A dica de livro está anotada, espero gostar tanto quanto você!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ivi!
    Não conhecia o livro e nem a autora, gostei do enredo do livro apesar de não gostar do crime em si, mais fiquei curiosa em saber quem é o narrador e quem é o estuprador. A intensidade da sua resenha deu para perceber que o livro tem cenas tensas, parabéns passou muita sinceridade sobre a trama, dica anotada. Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Olá Ivi, tudo bom?
    Eu nunca havia ouvido falar sobre esse livro, mas sua resenha já fez com que ele entrasse em minha lista de futuras leituras. Fiquei bem curiosa para descobrir quem atacou a personagem principal e para acompanhar o trabalho desse psicólogo tentando reaver as memórias dela. Como adoro um bom drama e Thriller, não posso deixar passar! Dica anotada, amei a resenha ♥
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oiie,
    Confesso que não sou muito de ler trilhers, sou muito ansiosa, e enquanto não descubro o mistério, não sossego. Ando meio que evitando esse gênero, mas essa historia tem um tema bem forte, assunto do qual eu repudio. Fiquei curiosa e anotei para futuras oportunidades.
    Beijos
    www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  6. Uau! Que livro mais impactante. Só na primeira frase da cena inicial já ficaria chocada.
    Adoro thrillers e ver o quanto a autora conseguiu juntar tantos elementos que mexe com nossos sentimentos me deixou bem curiosa para conhecer.
    Olhando a capa não daria nada!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  7. Olá Ivi!!!
    Eu sinto que esse é um daqueles livros que faz a gente sangrar por dentro e que faz também refletirmos.
    Eu quando vi a capa do livro não imaginava que se tratava de uma história tão forte e que com um assunto necessário.
    Adorei a resenha e o livro já está na minha lista de quero ler ^^

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir