11.2.19

Todas as Coisas Belas (Matthew Quick)

Ficha Técnica:
Nome Original: Every Exquisite Thing
Autor: Matthew Quick
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: Alice Mello
Número de Páginas: 272
Ano de Lançamento: 2018
ISBN-13: 9788551003008
Editora: Intrínseca

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 7º livro lido em 2019 e foi Todas as Coisas Belas (Matthew Quick). Sou assumidamente fã do autor e amo todos os livros dele, inclusive não consigo decidir qual de seus livros é o meu favorito, por isso quando vi este lançamento – pouco divulgado, inclusive – tratei de comprar meu exemplar para conhecer essa história, sem nem ao menos ler a sinopse da obra. Acho que quando gostamos muito do trabalho de determinados autores, é exatamente isso o que acontece, nos jogamos na leitura sem indícios, com a quase certeza que será uma leitura boa.

A narrativa nos traz a Nanette, uma adolescente que está no último ano do ensino médio. Ela é a estrela do time de futebol da escola e isso pode lhe garantir uma bolsa de estudo integral na faculdade, que talvez ela nem precise porque tem notas excelentes e como se isso não bastasse, é praticamente a filha perfeita. Ainda que não tenha a cumplicidade ideal com seus pais, eles a adoram. Um dia Nanette recebe um livro usado de seu professor. Ele diz que o livro foi de grande ajuda para ele no ensino médio e acredita que ela adoraria a leitura e é exatamente o que acontece: ela devora a obra que tem o título O Ceifador de Chicletes. Aliás, Nanette não lê apenas uma vez, mas várias vezes e se encanta totalmente pela narrativa. O livro se torna uma obsessão para ela porque a toca como nenhum outro livro e faz com que ela questione sobre o fim da história, o futuro das personagens e paralelamente faça uma comparação com a sua vida e o seu futuro.


A partir deste ponto Nanette começa a questionar se realmente faz as coisas que gosta ou apenas faz porque seus pais, amigos e as pessoas ao seu redor acham que é o melhor para ela. Ela se aproxima do autor do livro, desenvolve uma amizade com ele e a partir disso, novas pessoas são agregadas a sua vida e seu descontentamento se intensifica.

Durante a leitura vemos como é difícil para o jovem decidir sobre seu futuro, pois muitas vezes nos deixamos influenciar pelos pais e amigos e esquecemos de ouvir nosso coração. O autor deixa claro o quanto é complicado fazer decisões difíceis e que podem definir toda a nossa vida tendo tão pouca experiência e esse é sem dúvida, o maior foco do enredo.


Eu adorei a leitura e mais uma vez o autor conseguiu me emocionar e me encantar com suas palavras. Toda a história foi muito bem desenvolvida, mas devo salientar que apesar de realmente ter sido uma leitura excelente, eu detestei a protagonista. Em vários momentos da história, ela me pareceu muito mimada, egoísta e pouco se importava com as consequências de suas atitudes. Ainda assim, minha antipatia pela personagem principal não me distanciou da leitura em nenhum momento, pelo contrário, eu queria saber o que aconteceria e como ela lidaria com todas as dificuldades emocionais.

Este foi um livro que me fez pensar sobre os caminhos que tomamos e o quanto abrimos mão de coisas grandiosas com as nossas escolhas. É um livro que traz o hábito da leitura muito acentuado na maioria dos personagens e isso é sempre aconchegante. Há muitas referências literárias e aquele incentivo de se descobrir através dos livros é identificado em muitas cenas do livro.


Sem dúvida, é um dos melhores livros que li do autor – ainda me sinto despreparada para indicar qual é o melhor – e sem dúvida, já estou com vontade de ler mais coisas dele.

Eu amei!


Um pouco sobre o autor: Mathew Quick era professor na Filadélfia, mas decidiu largar tudo e depois de conhecer a Amazônia Peruana, viajar pela África Meridional e trilhar o caminho até o fundo nevado do Grand Canyon, reviu seus valores e passou a dedicar todo seu tempo à escrita. Ele é americano e nasceu em 1976. Seus livros publicados no Brasil são: 

  • O LADO BOM DA VIDA
  • PERDÃO LEONARD PEACOCK
  • QUASE UMA ROCK STAR
  • A SORTE DO AGORA
  • GAROTO 21
  • TODAS AS COISAS BELAS

13 comentários:

  1. Olá!
    Eu tenho dois livros do autor mas não peguei ainda para leitura. Fiquei contente em saber que o enredo desse foi mais elaborado e conseguiu te agradar.
    Tem algumas mensagens bonitas e importantes sobre família, aceitação e espero conhecer em breve.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Olá, Ivi.

    Sempre abrimos mão das coisas que queremos e sonhamos por causa de familiares ou amigos. Fiquei feliz em saber que um livro abriu a cabeça da protagonista para pensar em seu futuro e trilhar seu próprio caminho, sem se importar com os outros.
    Sou louca para conhecer a escrita do autor, dica anotada!

    ResponderExcluir
  3. Ola Ivi lindona, adorei a premissa do livro principalmente o fato da protagonista repensar suas ações e refletir sobre suas ações está no modo para agradar as pessoas ou as que ela decide. Não conhecia o livro, amei o colorido da capa e já anotei a dica. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  4. Eu li um livro do autor e realmente adorei também. Gostei deste livro que você falou e sei como é quando a gente lê algo quando tem um personagem que irrita a gente, mas como é que vamos sempre amar todos né? Gostei do livro O Ceifador de Chicletes, pois faz bem jus a capa do livro.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ivi.
    Ainda não tive a chance de ler nada desse autor, mas vendo a sua empolgação nessa resenha, fiquei com coceira nos dedos para pegar um livro dele e me jogar na leitura. Meu único problema é decidir se devo começar por esse ou pelos outros. Já que você disse que esse é um dos melhores, não sei se começo por ele - correndo o risco de me decepcionar com os outros - ou se começo por outros para deixar esse para o final! Rs!!
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  6. Olá, Ivi!

    É exatamente assim quando apreciamos muito um autor. Dos meus autores preferidos eu nem preciso ler sinopse dos livros. Simplesmente compro de olhos fechados.

    Ainda não li nada do autor (embora tenha assistido o filme O Lado Bom da Vida), mas você acabou me empolgando com a sua resenha, pois dá para perceber o quanto ama as obras do autor. Acredito que é um livro que acabaria por me atingir, por levantar questões como as escolhas que fazemos e por que as fazemos. São muitas as vezes em que nos deixamos influenciar pelo que os outros desejam para nós. Eu bem sei disso.

    Só lamento que você não tenha gostado muito da protagonista. Geralmente quando não simpatizo com a protagonista o livro inteiro se estraga para mim.

    ResponderExcluir
  7. oi, Ivi. que bacana vc ter se surpreendido mais uma vez com a obra do autor... eu tb sou dessas que compro livros de autores que gosto sem me preocupar em saber do que se trata a história ahaaahahahha

    bjs;...

    ResponderExcluir
  8. Oi Ivi, eu cheguei a ver esse livro por aí mas não fazia ideia de que era escrito pelo Matthew, que coisa bacana! A obra acaba trazendo questionamentos muito importantes e que valem a pena ler, obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  9. Nunca li nada desse autor, mas me interessei muito por essa obra que você resenhou. Todos nós já enfrentamos ou iremos enfrentar a situação de nos perguntarmos se fazemos algo por nós ou para agradar a terceiros. Gostei da temática abordada. Vou considerar ler essa obra qualquer dia desses!

    ResponderExcluir
  10. Que capa mais linda!! Eu li um livro do autor ano passado e gostei bastante de sua escrita. Já estou louca para ler esse e que legal saber que tem referências... Adorei a resenha!
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi, Ivi! Tudo bem?
    Eu nunca li nada do autor, mas tenho muita curiosidade e a sua empolgação ao falar sobre ele me deixou ainda mais animada. Eu adorei a premissa desse e confesso que saber que você não gostou da protagonista aumentou meu interesse, pois se isso não afetou seu envolvimento com a leitura é sinal de que o autor soube desenvolver muito bem a trama.
    Adorei a sua resenha e espero conseguir conhecer a escrita do autor ainda esse ano. Quem sabe não começo por esse né?
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Oi tudo bem?
    Eu lembro de ter visto esse livro uns tempos atrás, mas acabei desisitindo dps de algumas criticas negativas, agora mudei de ideia e voltei a me interessar por ele devido a sua opinião sobra a obra
    bjos

    ResponderExcluir
  13. O único livro do autor que já li só foi "O lado bom da vida" e gostei bastante, a escrita me envolveu. Sobre esse, até fiquei curiosa, só o que me fez pensar mesmo foi sobre a protagonista. Pelo menos para o momento, não seria uma boa leitura pra mim.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir