16.1.19

Caixa de Pássaros (Josh Malerman)

FICHA TÉCNICA
Nome original: Bird Box
Autor: Josh Malerman
Tradução: Carolina Selvatici
País de origem: Estados Unidos
Número de páginas: 272
Ano de Lançamento: 2014
ISBN-13: 9788580576528
Editora: Intrínseca

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 1º livro lido em 2018 e foi Caixa de Pássaros (Josh Malerman). Acompanhei todo o rebuliço que o livro causou entre os leitores quando foi lançado e percebi que muitos amaram e outros nem tanto. Como não era de um gênero que curto muito, deixei passar. Porém, embora eu não tenha intimidade com livros assim, amo filmes tensos e  suspense e quando a adaptação entrou no catálogo da Netflix, não pensei duas vezes em assistir. Como adorei o filme, decidi que eu devia ler o livro também.

O livro nos traz um caos que começou no Alasca, continuou em Yakitsky e mais tarde em Omsk, na Rússia. Ninguém sabia explicar direito o que era, apenas que após ver algo, a pessoa surtava completamente e cometia suicídio. O mundo acompanhou as notícias nos primeiros dias esperando respostas, porém, quando começou a acontecer por todos os lugares, inclusive perto de suas casas, o pânico se instaurou. Ninguém mais foi trabalhar, as farmácias e mercados foram saqueados, as pessoas tentavam fugir. 

Antes de toda essa confusão, Malorie morava com a irmã Shannon nos arredores de Detroit, e quando as notícias começaram a aparecer ela descobriu estar grávida. Porém, não teve tempo de pensar sobre isso pois tudo virou simplesmente um caos. As pessoas se trancaram em suas casas e cobriram as janelas, era proibido olhar para fora ou para qualquer outro lugar em que você não tivesse completamente certeza do que veria. Ninguém que “viu” o que causava esse surto sobreviveu para contar a história.

Após algum tempo Malorie é obrigada a deixar a casa e ir em busca de apoio com um grupo de pessoas que ela viu em um anúncio. Ao encontrá-los, o novo desafio é conviver em grupo e sobreviver em meio a incerteza do que está por vir. O livro tem duas linhas narrativas, uma no passado em que acompanhamos Malorie tentando sobreviver com os moradores da casa e outra no presente, em que sabemos que ela está sozinha com duas crianças, se preparando para uma jornada. 

O ponto alto do livro é construído no fato de o leitor não saber o que está acontecendo, assim como os personagens. Eles não podem olhar para fora e ao ver a história pelos olhos deles, nós também não podemos. Quando eles saem para se aventurar no mundo em busca de comida, estão sempre vendados e, consequentemente, nós também. Toda a experiência de “ver” no livro vem dos sentidos e é aí o brilho desta história: o autor consegue fazer com que imaginemos as sensações dos personagens. Do tato à audição e ao cheiro que o mundo externo tem. Eles não podem ver e o autor descreve todas essas sensações de forma incrível. 

Os personagens dentro da narrativa no passado são interessantes, mas todos servem o propósito de entendermos quem é a Malorie. Alguns com quem ela se identifica e outros de quem se afasta, cada um nos dá pistas de quem é a protagonista e mesmo na superficialidade deles, nos afeiçoamos ou temos aversão, em função da ótica da personagem principal.

O desfecho do livro é parecido com o do filme e talvez isso tenha diminuído a experiência de leitura para mim porque quando Malorie chega ao final de sua jornada, tudo faz sentido. Pelo menos conseguimos entender parte do mistério, porque muita coisa no livro é deixada de forma aberta para que o leitor possa construir suas próprias conclusões. Muita coisa fez sentido para mim e embora eu quisesse mais respostas, fiquei satisfeita com a forma como o autor desenvolveu o final.

O livro é instigante, inquietante e diferente. É um suspense psicológico que mexeu comigo e com os meus sentidos. É uma história que me deixou intrigada e curiosa e que me deu o poder de decidir sobre o que queria acreditar. Usei a minha imaginação, abri minha mente e mergulhei junto com os personagens na escuridão.

Se você gosta de livros com estes elementos, sem respostas prontas, essa é a leitura ideal para você. 

Eu adorei!


Um pouco sobre o autor: Josh Malerman é um autor americano e vocalista da banda de rock The High Strung. Atualmente vive em Ferndale, Michigan. Malerman começou a escrever enquanto estava na quinta série, sobre um cão que viaja no espaço. Desde então, ele já escreveu vários romances inéditos e seu romance de estreia foi extremamente aclamado pela crítica. Seus livros publicados no Brasil são:
    • Caixa de Pássaros
    • Piano Vermelho
    • Uma Casa no Fundo de um Lago

14 comentários:

  1. Eu tenho uma relação de amor e odio com esse livro, pois o enredo é magnifico e é justamente por se instigante, mas eu odiei por não ser revelado quem ou oque era a criatura que deixa todo mundo louco. Mas as vezes penso que essa é justamente a graça do livro, que deixa por conta da nossa imaginação. Viu, eu não sei se gostei ou não kkkk e o mesmo vale ao filme que eu ameiiii e odiei rsrs

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Eu adorei muito o livro. Sei que todo mundo espera um final diferente, cheio de terror e tudo o mais, mas eu achei perfeito e com coerência. O livro retrata um terror imenso, imagina ficar vendada? Eu não teria toda a coragem de Malorie. O filme achei 50% do livro.

    ResponderExcluir
  3. Eu não li o livro e nem li o filme, o gênero não me agrada, mas a Ju colunista lá do blog viu o filme e gostou. Eu acho que o fato de não mostrar as criaturas tanto no livro quanto no filme foi o que mais deixou os leitores irritados ne? Aí gente, fala sério...uma pessoa que sofre de ansiedade, surta por nao saber o que e a criatura ne?

    ResponderExcluir
  4. Tudo bem? Li o livro e gostei bastante.
    Já assisti ao filme também.
    O autor conseguiu me deixar bastante intrigada no decorrer da leitura e até fazer pesquisas sobre o que as pessoas estava de fato vendo.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Tudo bem?

    To na metade desse livro, infelizmente parei de ler para ver o filme e fiquei desmotivada a continuar a leitura. Que bom que você gostou do livro e ainda conseguiu ver o filme, espero terminar minha leitura e conseguir gostar!

    ResponderExcluir
  6. Olá, eu nao li a obra e abandonei o filme no comecinho, mas vejo muita gente comentando sobre como a narrativa mexe com os nossos sentidos, acho isso muito bacana porque literatura de fato tem que mexer conosco, obrigada pela dica Ivi, espero dar uma chance para a obra assim que possível.

    ResponderExcluir
  7. Oi.

    Eu li esse livro; mas não consegui gostar tanto quanto outras pessoas. O livro é bem interessante, bate um desespero em alguns momentos, mas não foi, para mim, o melhor livro do gênero que eu ja li.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu gosto muito das histórias do autor. Acho que o enredo é intenso e complexo. Somos levados a acreditar que teremos grandes acontecimentos, mas muito vem da habilidade do autor mexer com nosso imaginário e isso foi muito interessante de acompanhar.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem Ivi?

    Fico contente que gostou da leitura, eu particularmente devorei "Caixa de Pássaros" em dois dias e gostei muito desse universo apresentado pelo autor, gosto também dessas ambientações apocalípticas/pós-acapolípticas.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Eu gostei muito do livro, mais do que o filme (apesar de ter achado bom também), e o final foi surpreendente. Mas senti falta de um final mais fechado e com respostar. :/
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Eu sou louca pra ler este livro justamente por ver opiniões tão conflitantes entre pessoas que eu conheço, umas não gostaram e outras amaram, acho engraçado quando uma obra causa este tipo de reação. Eu gosto muito de thrillers, e este tem cara de que vai me pegar em cheio, acho que vai ser minha próxima leitura. Acabei vendo o filme antes por que me deu comichão mas acho que não vai diminuir a experiência da leitura. Adorei o post :D

    Bjus, Mirian

    ResponderExcluir
  12. Ainda não tive oportunidade de ler e nem ver o filme. Sempre vi muitas críticas dele que admito que fiquei com o pé atrás e ainda por ser um gênero que eu não curto muito me deu pouca a vontade de ler.

    Não curto muito livros que se não tiver continuação vc n sabe o que aconteceu. Pra mim tem que ter todo um desfecho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Eu amooooo A Caixa de Pássaros. Li o livro quando ele foi lançado e fiquei muito feliz quando foi anunciado o filme, que eu também amei. Caixa de Pássaros e extremamente tenso, o que me agrada demais e o filme conseguir passar essa tensão de forma extraordinária. Esse ponto aberto para a imaginação não me encomdou como foi a crítica de muitas pessoas, eu até gostei.

    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  14. Olá Ivi!!!
    Como você quando o livre estava na hipe dele deixei passar, pois não fazia meu gênero. Porém, como você assistir o filme e gostei da história que foi apresentada então resolvi me aventurar no livro.
    A história deixa realmente aberturas e tem nuances diferentes da adaptação, mas nada que me incomodou como as outras pessoas.
    Com certeza é uma leitura recomendadíssima ^^

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir