7.11.18

O Mau Exemplo de Cameron Post (Emily M. Danforth)


Ficha Técnica:
Nome Original: The Miseducation of Cameron Post
Autora: Emily M. Danforth
Tradução: Alice Mello
País de Origem: Estados Unidos
Número de Páginas: 448
Ano de Lançamento: 2018
ISBN-13: 9788595080980
Editora: HarperCollins Brasil

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 65º livro lido em 2018 e foi O Mau Exemplo de Cameron Post (Emily M. Danforth). Este livro chegou para mim quando a parceria com a HarperCollins foi firmada e a princípio eu não tive muito interesse em ler. Tenho que confessar que achei essa capa muito ruim. No mês passado eu fiz um post indicando livros que correspondessem a sigla LGBTQ e descobri que não conhecia tantos títulos com protagonistas lésbicas. Decidi então ler este livro aqui e já adianto que eu deveria ter lido o livro no momento que chegou.

O livro nos traz a Cameron, uma garota no início da adolescência vivendo suas férias de verão na cidade pequena em que mora com os pais. Cameron tem uma boa vida e em uma noite das férias em que ela vai dormir na casa da sua melhor amiga Irene, elas acabam trocando um beijo e isso desperta muitos sentimentos nela. Porém, nesta mesma noite seus pais morrem em um acidente de carro e ela acaba acreditando que foi Deus que a puniu pelo beijo trocado com a amiga. A partir disso, sua vida muda. Ela passa a morar com sua avó e sua tia Ruth e essa tia tem uma postura religiosa muito rígida e além do luto, Cameron tem que lidar também com a constante vigilância da tia.


Aquela primeira experiência com a melhor amiga acaba por se confirmar e com o passar dos dias, Kate sabe que não sente atração por meninos, mas ao mesmo tempo, com todo o conteúdo cristão que lhe é passado, ela fica confusa, se sentindo constantemente culpada por desejar mulheres e ter que esconder isso a todo custo.

O desenvolvimento da história acontece como se fosse uma biografia. Vamos acompanhando o amadurecimento de Cameron, suas lutas internas, seus anseios para o futuro e seu completo desconforto com o presente. Chega a se apaixonar algumas vezes e outras apenas a se empolgar, mas isso sempre guardado como um segredo valioso. Até que ela se envolve com uma garota da igreja e essa garota conta para outras pessoas. A tia de Cameron fica histérica e a manda para um acampamento religioso com o objetivo dela se afastar do pecado e se aproximar de Deus. A princípio é apenas para passar uma temporada, mas é claro que a intenção da tia é que ela fique por ela até ser “consertada”.


O livro me surpreendeu demais com a abordagem da sexualidade e como isso pode realmente incomodar os intolerantes. Eu já tinha ouvido falar sobre locais de “cura gay” nos Estados Unidos, mas sempre achei que fosse um pouco de folclore popular, entretanto, ao ver as descrições dentro da narrativa deste livro, comecei a desconfiar que eles poderiam realmente existir. Através de uma pesquisa superficial, descobri que esses acampamentos existem, não com o nome de “cura gay”, mas de uma maneira geral, adolescentes que estão dando trabalho de alguma forma para a família são recebidos neste lugar, e claro, todos são oriundos de famílias cristãs.

O dia a dia no acampamento não era nada anormal ou violento. Mas Cameron se sentia extremamente oprimida em estar ali. Com saudade da avó de dos amigos, ela demora muito a se envolver com os outros moradores do lugar e com o tempo, acaba descobrindo várias histórias parecidas com ela.


O enredo é melancólico, mas muito envolvente. É fácil ter empatia pela Cameron e desejar que ela fique bem, ao mesmo tempo que queremos que a tia dela a aceite como ela é. Com este plote, o livro aborda a intolerância de uma maneira muito crível e é fácil imaginar outros adolescentes que não correspondem a heteronormatividade e sofrem repressões dentro da família que teoricamente, deveria ser o primeiro lugar a gerar confiança e aceitação neles. Se pensarmos nisso imaginando esses lares formados por famílias evangélicas, essa situação fica ainda mais complicada, embora infelizmente deva existir mais do que queremos.

A conclusão do livro é um pouco aberta, mas consistente. A autora nos convida a imaginar as coisas que aconteceram com a Cameron a partir de uma decisão importante que ela toma nos capítulos finais e isso me deixou satisfeita.

O livro é ambientado nos anos 90, o que foi bem descrito sem a necessidade de ser datado. Cameron ama assistir filmes no videocassete, não possui celular e isso é colocado na narrativa de forma orgânica, nos levando para esse período junto com a personagem.

Acho que pelo conteúdo e sensibilidade do enredo, o livro merecia uma capa melhor, mas se você encontrá-lo em uma livraria ou site e também achar a capa ruim, tenha a certeza que a história é muito diferente da capa e vale a apena ser conferida.

O livro ganhou uma adaptação para o cinema que estreará ainda este ano, mas não consegui descobrir se virá para ao Brasil. Espero que sim, por isso deixo o trailer para vocês conferirem.

Eu gostei muito da leitura e como disse, lamento não ter lido antes porque realmente a leitura valeu a pena. Me fez refletir sobre a diversidade e sobre o quanto ainda precisamos evoluir para aceitar o diferente. Me fez pensar sobre o quanto as religiões podem oprimir as pessoas e sobre a violência emocional que acaba impondo sobre elas. Mas sobretudo, o livro me fez pensar sobre empatia, compaixão e tolerância.

Eu adorei.


Um pouco sobre a autora: Emily M. Danforth nasceu em 17 de janeiro de 1980 em Miles City, Montana. Ela cursou a Universidade de Hofstra, onde se formou e fez o mestrado em Belas Artes pela Universidade de Montana. Além de escritora, ela é professora de Inglês no Rhode Island College, ensinando literatura criativa e literatura. O Mau exemplo de Cameron Post é o seu primeiro livro publicado no Brasil.

14 comentários:

  1. Tudo bem?
    Estou curiosa para ler esse livro.
    Estou com ele para leitura.
    No começo não tinha me chamado tanta atenção, mas depois de ler tantos comentários, fiquei curiosa.
    Eu resenha é mais uma que me deixou bem curiosa.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha! O livro parece tratar de um tema tão importante de uma maneira intensa e até impactante! Vou recomendá-lo. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Concordo com você que a capa não fez jus a esse livro. Acho que tem bons temas e leituras assim tem sido cada vez mais necessários e frequentes lançamentos das casas editoriais.
    Espero que a adaptação cinematográfica possa pintar por aqui e que traga todo sentimento e reflexão que a leitura transmite.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  4. Fiquei fascinada e com muita vontade de conhecer bem de pertinho essa história. Principalmente, agora que tenho colocado livros com temáticas importantíssimas/necessárias/atuais nas minhas leituras, enfim, gratidão pela dica e por essa resenha

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nada dentro da temática em que o personagem principal se trata de uma mulher, sempre foi com homens, então é inovador saber da relação de Cameron e a amiga, sem dizer que essa visão sobre " conserto" através da religião é algo que devemos nos atentar.
    Acho que para descobrir a decisão da Cameron é só lendo, né?! Adorando ambientações retrô o livro tem tudo para me agradar tanto quanto te agradou, então é recomendação anotada.

    Abraços.
    https://acabinedeleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olá Ivi, tudo bom?
    Eu também fiquei desanimada com a leitura quando vi essa capa e acabei me surpreendendo muito quando dei uma chance ao livro. Também achei a história muito bem ambientada e me surpreendi com a personagem principal e com tudo o que ela teve que passar. Confesso que fiquei bem angustiada com o local de 'cura gay' e com toda a intolerância tão crível que o livro apresenta. Ele realmente merecia uma capa muito melhor!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia esse título, mas confesso que fiquei bem curioso para saber da trama na íntegra e descobrir como que é o seu final que parece ser emocionante e repleto de surpresas.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Ivi! já conhecia esse livro por outra resenha que li na blogosfera. Cada vez que leio a respeito eu fico horrorizada como existem pessoas intolerantes e acho isso uma desumanidade. Pretendo ler esse livro no futuro e espero gostar dele tanto quanto vc gostou.
    bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  9. Oi, maravilhosa!
    Mais uma capa que você não gosta kkkkkkk
    Não leio muitos livros desse gênero, mas esse em questão me chamou atenção. Fiquei curiosa para saber o que acontece nesse acampamento, como será a vida dela ..
    A premissa imposta no livro é maravilhosa. Assim como você achava que era meio folclore isso de acampamento "cura gay" até uma amiga minha ir morar nos Estados Unidos e me contar sobre o irmão de um amigo dela. Como sou manteiga derretida creio eu que iria chorar, não gosto de ver pessoas injustiçadas e eu sou a favor de todas as formas de amor.

    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  10. Li essa obra assim que foi lançada e fiquei muito assustada com tudo, principalmente com essa ideia de cura gay, é muito surreal pra mim e me pergunto onde vamos parar. O final dessa história acabou comigo devido a uma ação de um personagem secundário, me fez questionar como o preconceito é capaz de gerar auto ódio.

    ResponderExcluir
  11. Oie!! Tudo bom?
    Que bacana! Eu também li pouquíssimos livros com protagonista lgbt, então achei bem diferente! Acho que deve ser mesmo emocionante acompanhar a trajetória dessa garota... só não curto muito fins abertos, sabe? Mas daria uma chance mesmo assim!

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas concordo totalmente com você em relação à capa. Achei bem esquisita.
    Também li poucos livros com protagonistas lgbt e quero mudar isso. Inclusive, sua resenha me deixou muito interessada em conferir esse e vou anotar a dica. Só não digo que lerei agora, porque acredito que seja triste acompanhar a situação da Cameron e eu ando procurando leituras mais leves.
    No entanto, adorei a resenha e vou adicionar esse livro na minha lista de desejados.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá Ivi,
    já tinha visto esta capa por ai e de fato ela é muito pouco atrativa, inclusive nunca tive interesse em descobrir a história por trás dela. Agora que conheço no entanto, me arrependo de não ter me atentado a ele antes. Tive pouquíssimas experiências com obras LGBTQ+ e nessas poucas nenhuma envolvia um casal lésbico, me interessei por este não apenas pela temática em si mas também pela abordagem focada na opressão e intolerância religiosa e na forma que isso interfere na vida de algumas pessoas.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bom?
    Eu vi esse livro por aí e, assim como você, não dei muito por ele por causa da capa que achei feia. Eu anto ignorei o livro que não fazia ideia sobre que ele se tratava. Pela sua resenha eu achei o livro bem interessante e fiquei bem curiosa para ler. Eu gosto de livros com personagens LGBT, mas com protagonistas lésbicas eu só li Os dois mundos de Astrid Jones. Adorei a dica e assim que aparecer uma promoçãozinha desse livro vou comprar.

    Beijos!
    https://www.manuscritoliterario.com.br/

    ResponderExcluir