19.10.18

Filme da Vez #77 Christopher Robin Um Reencontro Inesquecível

FICHA TÉCNICA:
Título Original: Christopher Robin
Ano de Produção: 2018
Lançamento no Brasil: 16 de Agosto de 2018
Duração: 103 minutos
Gênero: Aventura
País de Origem: Estados Unidos
Classificação Etária: Livre
Direção: Marc Forster
Elenco: Brad Garrett Eeyore, Ewan McGregor, Hayley Atwell, Jim Cummings, Bronte Carmichael, Mark Gatiss, Nick Mohammed, Peter Capaldi, Sophie Okonedo, Toby Jones.
Sinopse: Christopher Robin (Ewan McGregor) já não é mais aquele jovem garoto que adorava embarcar em aventuras ao lado de Ursinho Pooh e outros adoráveis animais no Bosque dos 100 Acres. Agora um homem de negócios, ele cresceu e perdeu o rumo de sua vida, mas seus amigos de infância decidem embarcar no mundo real para ajudá-lo a se lembrar que aquele amável e divertido menino ainda existe em algum lugar.

Oi gente que ama livros, hoje venho com os meus comentários sobre o filme Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível. Quando o meu filho era menor, adorava o Tigrão, personagem da turma do Ursinho Pooh e quando o filme entrou em cartaz, não pensamos duas vezes em conferir no cinema.

Através de uma longa sequência de abertura, vemos o garoto Christopher, amigo de Pooh, despedindo-se de sua infância e passando por uma série de transformações: a perda do pai, a vida de universitário, o casamento, a convocação à guerra, o nascimento da filha, a promoção no emprego e, mais crucial à história, o sacrifício de seu tempo livre. Enquanto tudo isso ocorre, Pooh continua no Bosque dos Cem Acres, aguardando a visita do amigo ao longo dos anos.


Trata-se de uma bela sequência que logo ilustra quão incomum é a inteligência emocional deste filme. Ele traz uma aventura relativamente contida e madura. Nela, o personagem titular, interpretado por Ewan McGregor, passa por uma espécie de engenharia reversa, ou melhor, uma descompressão da vida adulta. Diferente de outras produções recentes da Disney, são as pequenas coisas que importam nessa jornada.

Adaptar um personagem mirim à sua versão adulta não é exatamente uma novidade. Já vimos isso em Hook – A Volta do Capitão Gancho que fez crescer Peter Pan, Já no amado Toy Story 3, temos Andy em uma fase de desapego com seus queridos brinquedos. E neste filme aqui, a transição para a vida adulta ocorre de maneira muito mais agressiva.


Na trama, Christopher Robin, que é gerente em uma empresa de malas para viagem, se encontra diante de um impasse: no mesmo fim de semana em que viajaria com a família, é encarregado de planejar um corte de gastos na firma, ou seja, escolher a dedo quem fica e quem será mandado embora. Christopher, no entanto, não conta com a visita de Pooh ao seu mundo, sendo lembrado da importância de fazer nada. Entregar-se ao nada, contudo, não será tão simples assim.


O grande trunfo deste longa é se destacar por ser uma aventura infantojuvenil que tem a ousadia de abordar sentimentos delicados como estresse, ansiedade e desgaste profissional sem nunca se perder da essência que tornou os personagens tão queridos. Apesar de termos recebido muitas versões que revisitam clássicos infantis, este filme aqui se justifica pela pureza. Sabemos como o filme terminará e não é o final que nos faz ficar na sala de cinema empolgados, mas o caminho até ele, com uma aventura simples, mas embasada na amizade, na ingenuidade e na importância da família.

Eu gostei muito.

Trailer Oficial:

5 comentários:

  1. Olá!
    Mentira que tem esse filme? Ahh mas vou procurar pra assistir, amo esses personagens, Tigrão, Bisonho, Abel, fizeram parte da infância.
    Além de boas recordações, dá pra tirar boas lições e ainda se apaixonar mais pelos personagens.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Quando eu vi esse filme me apaixonei. Eu não era fã do desenho pooh, vi algumas vezes mas não era dos meus favoritos, mas quando eu vi o trailer desse filme fiquei apaixonada por ele. Não tive a oportunidade de ir aos cinemas para ver.

    Fiquei emocionada com o enredo do filme, acho que era para aparecer muitos Poohs na vida de muitas pessoas. As pessoas estão tão vidradas em trabalho que esquecem dos pequenos detalhes da vida.

    Adorei a sua crítica. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu nem fazia ideia de que esse livro havia sido lançado, que doidera! Hahah achei a proposta bem diferente, eu nao conhecia esse macete meio inverso, sabe? E eu também adorava o tigrão haha entao já me encontrei na sua resenha. Espero poder assistir o quanto antes.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ivi!
    Ai eu preciso tanto ir assistir esse filme! Adorava o Leitão e o Nhó quando era pequena - e meio viciada em tudo o que tinha a ver com Pooh e os outros obviamente. Pelas críticas que tenho lido, puder perceber que o tom do filme é realmente delicado e consegue tratar de temas tão delicados (como você mencionou) e presentes vida de quase todo mundo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ivi!
    Eu estou bastante curiosa para assistir esse filme. Primeiro, porque eu sempre gostei do desenho do Ursinho Pooh. Segundo, porque sou fã do Ewan McGregor. Infelizmente, não deu para ver no cinema, mas ainda quero assistir e estou torcendo para entrar no catálogo da Netflix. Pelo que eu percebi do post, apesar de voltado para o público infanto-juvenil, parece ser um filme encantador e bem sensível.
    Adorei o post e fiquei ainda mais curiosa para assistir o filme.
    Beijos!

    ResponderExcluir