22.6.18

Quem Diria que Viver ia dar Nisso (Martha Medeiros)

Ficha Técnica:
Autora:  Martha Medeiros
País de Origem: Brasil
Editora: L&PM
Número de Páginas: 232
Ano de Publicação: 2018
ISBN-13: 9788525437358

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 30º livro lido em 2018 e foi Quem Diria que Viver ia dar Nisso (Martha Medeiros). Sou muito fã da autora e logo que o livro foi lançado, tratei de providenciar o meu porque adoro as crônicas dela. Como nos outros livros, planejei ler uma crônica por dia, mas não funcionou e eu acabei lendo o livro em apenas 3 dias.

O livro é uma coletânea de crônicas escritas a partir do ano de 2015. Martha Medeiros é cronista do jornal Zero Hora de Porto Alegre há muito tempo, com uma coluna semanal em que comenta sobre o dia a dia, sempre fazendo uma conexão excelente com a vida humana. Compartilha suas experiências de viagem, opina sobre filmes que viu ou shows que assistiu e tudo isso com sensibilidade e praticidade.


Esta coletânea em especial trouxe um assunto que eu vi pouco em crônicas passadas: a política. Infelizmente, em função do cenário caótico em que nosso país vive, ela demonstrou várias vezes sua indignação, sempre sendo sensata o suficiente em não declarar apoio a nenhum partido específico, mas uma crítica voraz a todos os que de uma forma ou de outra foram mencionados em escândalos ou denúncias.

De certa forma, senti outra coisa neste conjunto de textos tão bem escritos. A autora defende e promove muito aquilo que ela gosta e com um toque sutil de arrogância, acaba os colocando em um degrau superior em detrimento ao que ela não gosta. Por exemplo, quando cita seu gênero musical favorito, o considera o melhor. Quando indica autores, acaba relatando que estes são superiores aos não citados e ao mencionar as escolhas que fez e seus motivos, acredita que serviriam para qualquer pessoa.


Essa arrogância é comum em pessoas que são muito inteligentes e articuladas, vez por outra podemos enxergá-la em nós mesmos quando criticamos determinado movimento cultural ganhar espaço no nosso país mesmo sendo tão pouco original ou artístico. A mesma coisa se dá quando nós leitores indicamos um livro que consideram muito bom e assim por diante. É uma arrogância interessante, bem colocada e claro, no lugar certo, porque caso o leitor destas crônicas não concorde com a opinião da autora, basta deixar de ler seus textos.

A leitura do livro foi deliciosa e ao mesmo tempo reflexiva. Ela fala sobre amor, paixão, política e dia a dia com muita habilidade e cada parágrafo parece pertencer a um bate papo gostoso com uma amiga querida, saboreando um café quentinho.


Eu adorei a leitura e para quem gosta de crônicas, indico o livro sem medo de errar. A intimidade com as palavras que a autora possui é muito boa e a cada final de texto, eu me sentia mais inteligente.

Adorei.


Um pouco sobre a autora: Martha Medeiros nasceu em 20 de agosto de 1961, em Porto Alegre-RS. É colunista dos jornais ZERO HORA e O GLOBO. Algumas de suas obras publicadas são: 

  • Strip-Tease (1985) - Poesia
  • Meia noite e um quarto (1987) - Poesia
  • Persona non grata (1991) - Poesia
  • De Cara Lavada (1995) - Poesia
  • A Terra Gasta (1996) - Poesia
  • Poesia Reunida (1998)
  • Geração Bivolt (1995) - Primeiro livro de crônicas
  • Topless (1997) - Crônicas
  • Santiago do Chile (1996) - guia de viagem
  • Trem-Bala (1999) - Livro de crônicas, adaptado para o teatro.
  • Non Stop (2000) - Crônicas
  • Cartas Extraviadas e Outros Poemas (2000)
  • De Café e Cogumelos (2001) - Crônicas
  • Divã (2002) - Romance que deu origem a peça, a um filme e a série de TV.
  • Montanha-Russa (2003) - Crônicas
  • Coisas da Vida (2005) - Crônicas
  • Esquisita como Eu (2004) - Infantil
  • Selma e Sinatra (2005) - Romance
  • Tudo que Eu Queria te Dizer (2007) - Adaptado para o teatro.
  • Doidas e Santas (2008) - Crônicas - Adaptado para o teatro.
  • Fora de Mim (2010) - Romance
  • Feliz por Nada (2011) - Crônicas

10 comentários:

  1. Não lembro de ter lido nada da autora mas sei que já li algumas coisas dela no jornal porque é daqui de perto. Não sei porque confundo ela com outra autora mais velha. Mas já li algo que não lembro menina. E acho muito legal ler coisas sobre política, pois todo mundo precisa entender um pouco para poder votar bem e discutir sobre isso.

    ResponderExcluir
  2. A Martha é maravilhosa, gosto muito dos textos dela, nunca li nenhum livro seu, mas quando posso adoro desfrutar da sua opinião e como você disse a certa arrogância é comum mesmo em pessoas mais inteligentes, porém é gostoso, porque eles sabem do que falam ♥
    Vou procurar o livro, esse quero ter na estante

    ResponderExcluir
  3. Adoro crônicas e nem preciso dizer que a capa me chamou muito atenção e depois o título completou a função de me fazer querer um livro sem ler a sinopse. Apesar de conhecer a fama da autora eu conheço pouquíssimas coisas dela. Fiquei bem curiosa para conhecer essa arrogância inteligente que você identificou na narrativa dela. Então quero conferir.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Não conhecia a escritora Martha Medeiros, mas gostaria de ler esse livro de crônicas. É um gênero bastante interessante, embora eu tenha lido muito pouco. Adorei a resenha. Já estar anotado a dica.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Oi Ivi. Sempre vi muitas citações e frases atribuídas a Marta, porém nunca tive curiosidade para procurar algum de seus livros e ler sua obra. Não gosto de crônicas, sou mais apegadas a histórias maiores. Quanto a esta coletânea, fiquei meio mais ou menos quando você comenta que ela tem um pouco de arrogância ao mencionar coisas que ela gosta e prefere, e os coloca como melhores do que o do resto das pessoas. Achei meio desanimador. Obrigada pela dica!


    Bjoxx ~ Stalker Literária

    ResponderExcluir
  6. Oi Ivi,
    Eu já li um livro da auto há um tempo atrás, eu realmente preciso ler algo novo dela. Haha. Adorei o título e a capa desse livro e amo crônicas, então preciso ler logo! :)

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, eu gosto muito de crônicas e já li algumas bem legais da autora, mas ainda não li nenhum de seus livros. Gostei de saber um pouquinho sobre o que podemos encontrar nesse pela sua resenha.

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Eu nunca fui muito de ler crônicas, mas o único livro que li deste gênero foi justamente da Martha Medeiros. Eu gostei muito da escrita da autora e me diverti bastante com algumas crônicas dela, mas confesso que não tive curiosidade de procurar outros livros e ainda não conhecia esse. Achei interessante o fato de ela falar sobre política, mas de uma maneira sensata e sem declarar apoio a nenhum partido. Sobre arrogância que você sentiu é algo que provavelmente me incomodaria um pouco, mas concordo que é algo comum em pessoas mais inteligentes mesmo.
    Não sei se é um livro que eu pretendo ler, mas adorei sua resenha e fico feliz que você tenha gostado da leitura.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Já tinha visto sobre essa autora e confesso que ainda não li nada dela, mas como ando curtindo leituras de livros com crônicas, achei esse bem interessante, principalmente por trazer textos que tiramos aprendizados e podemos refletir.
    Essa capa é bem linda. Com certeza leria.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  10. Oii.
    Sempre ouço muitos elogios sobre a escrita da Marta Medeiros, alguns amigos da faculdade já me recomendaram, mas ainda não tive a oportunidade de ler.
    Adorei o post <3

    ResponderExcluir