16.4.18

Simplesmente Ana (Marina Carvalho)

Ficha Técnica:
Autora: Marina Carvalho
País de Origem: Brasil
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 304
Ano de Publicação: 2013
ISBN-13: 9788581631554

Oi gente que ama livros, hoje eu venho com a resenha do 14º livro lido em 2018 e foi Simplesmente Ana (Marina Carvalho). Este livro foi a minha escolha como livro nacional do mês. Estava na minha estante desde a bienal de 2014 e decidi lê-lo porque queria outra história da autora, uma vez que a primeira que li dela, não funcionou para mim e como ela é muito elogiada pela blogosfera brasileira, eu queria desfazer aquela primeira impressão que tive de sua narrativa.

O livro nos traz a Ana, uma jovem de 20 anos que cursa direito em uma excelente universidade em Belo Horizonte. Filha de mãe solteira, sempre cresceu com o carinho da mãe – que desde pequena lhe contou que o pai a abandonara – e com a atenção dos avós. Porém, seu verdadeiro pai acaba descobrindo Ana e a história que a mãe contou durante toda a vida acaba se revelando uma mentira. O pai de Ana, Andrej entra em contato com ela e descobrimos com a personagem que ele é o rei de um país europeu fictício, a Krósvia, e para conhecer melhor a filha, a convida para passar uma temporada com ele no seu reino. Ana decide ir e o livro então irá se desenvolver em ela conhecer o pai, sua agenda apertada de chefe de estado, ao mesmo tempo em que conhece Alexander, enteado do pai, por quem Ana acaba se apaixonando.



A grosso modo, o enredo do livro me lembrou muito O Diário da Princesa (Meg Cabot), mas contado sob uma perspectiva brasileira e isso me agradou um pouco, porém o livro não funcionou completamente para mim e muitas coisas na narrativa me incomodaram bastante.

Em primeiro lugar, temos toda a trama contada sob o olhar da Ana numa narrativa em primeira pessoa, um pouco cansativa e arrogante. Eu tenho um pouco de ressalva com personagens que querem me convencer que não são superficiais, falando exatamente isso: “Não sou superficial!” porque isso acaba gerando mais descrédito do que a intenção real da autora.

Outra coisa que não tem como me envolver em uma narrativa é quando existe uma disputa entre duas mulheres pela atenção e amor de um homem. Quando Ana conhece Alexander, ele tem uma namorada e o desenvolvimento desta personagem é feito de modo que a nossa antipatia seja direcionada para ela, ou seja, ela é chata, prepotente e egoísta, o que me mostrou ser um artifício bem pobre da autora para que o carisma da Ana fosse exaltado. A namorada de Alexander chama-se Laika e em função deste nome, Ana passa o livro inteiro se referindo a ela como “nome de cachorro” e isso foi bem desagradável. Estamos em 2018 e enredos com mulheres se antagonizando para conquistar o coração de um homem não me convencem mais e lamento que grande parte da história tenha se dado sobre este plote.


Por último, outro desconforto meu na leitura foi o fato da mãe da Ana ter mentido durante toda a vida para ela e essa problemática ter sido resolvida em um parágrafo. Não houve o menor conflito sobre isso, ou uma reflexão mais consistente sobre algo realmente muito sério. Achei que isso foi uma facilitação narrativa grotesca, como se a autora subestimasse a inteligência dos seus leitores.

Este é o segundo livro que leio da autora e de certa forma, eu insisti porque o primeiro contato não havia sido positivo também, mas eu queria estar enganada e me surpreender com uma história sua, coisa que não aconteceu. Enfim, desisto dos livros da Marina Carvalho porque realmente eu não sou seu público.

O romance do livro é previsível e um pouco arrastado, uma vez que se dá sobre um triângulo amoroso fraquíssimo. As outras sub-histórias que orbitam ao redor disto também são bem ruins e não conseguiram me envolver ao ponto de que eu pudesse basear minha experiência de leitura sobre eles.


Gostei do cenário que a autora criou, mas acho que foi pouco explorado e eu acabei valorizando mais os poucos momentos em que a personagem passa em sua terra natal, Belo Horizonte, do que no país governado pelo pai recém-descoberto. Existe também a inserção de músicas do decorrer da trama e temos nomes amados por mim sendo mencionados, como Skank e Jota Quest.

Enfim, não gostei. Se você gosta de romances com triângulos amorosos, talvez goste, mas de um modo geral, a história é bem esquecível.

Infelizmente, a leitura foi uma grande decepção.


Um pouco sobre a autora: Marina Carvalho nasceu em Ponte Nova, Minas Gerais, conhecida como a terra da goiabada. Adora queijo, rock progressivo, pudim de leite condensado, café com pouco açúcar e filmes com finais felizes. Ama ler, seja um bom livro policial, um chick-lit despretensioso ou o jornal do dia. Quando criança lia as revistinhas da Turma da Mônica, incentivada pela mãe, e ficava esperando ansiosamente pela chegada delas todos os meses. Formou-se em Jornalismo pela PUC-Minas e exerceu o cargo de assessora de comunicação de uma empresa por sete anos. Hoje é professora de língua portuguesa e literatura na Escola Nossa Senhora Auxiliadora. Mora em sua cidade natal com o marido e os dois filhos. Seus livros publicados são:
  • A História de Malikah
  • Ao Gosto do Chef
  • A Menina dos Olhos Molhados
  • O Amor nos Tempos do Ouro
  • Elena – Filha da Princesa
  • Azul da Cor do Mar
  • Crisálida
  • Contos de Carnaval
  • Simplesmente Ana
  • De Repente Ana
  • Ela é Uma Fera

19 comentários:

  1. Apesar de não ler com frequência nacionais eu tenho e li os da Marina.. Como envolve uma certa fábula me agradou muito.

    Confesso que gostei mais de uns que de outros.. Mas em geral era bem perto do que eu esperava.
    Bjs.

    Uma pena quando lemos algo que nos decepciona tanto.


    Espero que encontre uma leitura mais agradável.
    Abraços.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ivi!
    Menina, eu já vi muito essa comparação com O Diário da Princesa. Por isso passo longe da história.
    Porém, teve um conto da autora que li e amei. A Gosto do Chef é bem gostosinho e recomendo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Oi Ivi! Poxa que pena a leitura não funcionou pra você em nenhum dos dois livros! Assim que comecei a leitura da resenha, também lembrei de O Diário da Princesa, e já desanimei.. Ai fui lendo, e fiquei mais desanimada ainda.. Acredito que essa história também não vai ser boa pra uma leitura minha. Mas posso te dar uma dica? Gostei muito de O amor nos tempos do ouro, achei muito bem desenvolvida e crível. Caso algum dia queria se arriscar novamente, aconselho este livro, eu me apaixonei pela história, pelos personagens e pela ambientação. Obrigada pela resenha!


    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  4. Li esse livro a aos atras e simplesmente amei!!
    Sinto saudades hoje... e lembro que tinha uma continuação mas não cheguei a levar a leitura a adiante por falta de tempo, mas agora que me lembrou, vou atrás!
    Parabéns pela resenha!

    Beijinhos

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Ivi!
    Gosto bastante do filme O Diário da Princesa, e gostei de saber que essa história é semelhante. Porém, acho que essa história não iria funcionar pra mim não. Todos os pontos negativos que você citou, também iriam me incomodar bastante. É uma pena que não funcionou né, até porque era sua segunda tentativa. Dessa vez não vou anotar a dica, mais gostei de ler sua resenha e saber sua opinião.
    Bjos

    www.momentosdeleitura.com

    ResponderExcluir
  6. Que triste isso de disputa das mulheres pelo amor de um homem, nao faz sentido algum pra mim nos dias de hoje e reforça alguns esteriotipos, no entanto, li outros livros dessa autora e gostei bastante, ela tem feito um bom trabalho

    ResponderExcluir
  7. Que pena, Ivi.
    Eu adoro os livros da autora. Esse foi o primeiro que eu li e simplesmente amei! Me diverti bastante! E li todos os outros depois! A Marina é uma das minhas escritoras favoritas!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Bom, pelo menos você tentou né? Sei como que é essa coisa de querer conhecer melhor o trabalho do autor, mas que pena que nenhum dos livros da autora te agradou, são livros bem juvenis, eu lembro que quando li, gostei muito da história,mas se eu pegasse para ler agora, acharia tedioso rs' Lembro que esse apelido também me irritou, muitas vezes achava a personagem bem infantil. Tenho a continuação, mas até hoje não peguei para ler, ótima seu ponto de vista, parabéns!

    beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oie, tudo bom?
    Ainda não li esse livro, mas tenho na minha estante! Eu odeio quando isso acontece, uma personagem é feita exatamente pra gente odiar e acaba ficando previsível assim. Espero poder ler em breve, pois ainda assim fiquie com vontade pois gosto muito de Diário da princesa... se lembra um tiquinho, não deve ser TÃO ruim assim :p

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Sempre quis ler algo da autora, mas acho que não vou começar por esse. Gostei de saber que lembra um pouco Diário da princesa, mas outros pontos que você citou me deixaram com o pé atrás.. :/
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  11. Eu ainda não conheço a Marina Carvalho, mas fiquei perdidamente louca para ler O Amor nos Tempos do Ouro depois de ler uma resenha maravilhosa sobre a história. Apesar de você ter se decepcionado com Simplesmente Ana e eu definitivamente não ter a menor intenção de ler esse livro, sigo querendo, ansiando desesperadamente para ler O Amor nos Tempos do Ouro.kkkkk...

    Histórias com triângulos amorosos não costumam me atrair. Geralmente eu me estresso muito com livros assim e todos os pontos negativos que você mencionou também teriam me desagrado bastante. Não gosto de histórias superficiais e protagonistas estúpidas.

    Também gosto muito de Jota Quest. :D

    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Olá! Tudo bom?

    Confesso que ainda não tinha ouvido falar do livro mas achei a capa bem bonita! Não sou muito fã de livro que envolve triângulo amoroso pois sempre acabo me estressando e não apreciando tanto a leitura. Pelo o que você falou eu tenho CERTEZA que odiaria a protagonista! Não pretendo ler a obra pois sei que não gostaria dela, mas adorei ler a sua opinião a respeito ♥

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi, Ivi

    Realmente lembra O Diário da Princesa. E olha, vou te contar que essa é uma das poucas resenhas desse livro que li e não me lembro das outras terem abordado coisas como essa disputa por macho e essa arrogância da protagonista, como assim ficar falando que a outra tem nome de cachorro? Parece birra de criança de 10 anos.
    Bom, não sei se leria viu...

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu tenho esse livro no meu Kindle e quero realizar a leitura de pelo menos alguma história da Marina Carvalho. Vejo ótimos comentários com a sua narrativa. Confesso que esse me pareceu ter uma linguagem meio bobinha então não sei se iniciaria com essa obra.
    Em todo caso gostei de conhecer suas impressões com essa leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ivi! Tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas quando li a sinopse também me lembrei de O Diário da Princesa. Isso já não me deixou muito animada, pois não sou muito fã do livro da Meg Cabot. Lendo sua resenha, percebi que é uma leitura que não iria funcionar para mim.
    Pelo jeito, a protagonista não é das mais carismáticas e concordo que fazer a namorada do Alexander ser tão antipática parece ser um recurso raso para fazer o leitor simpatizar com a Ana. Além disso, detesto livros em que as mulheres ficam brigando entre si por causa de um homem. Acho que precisamos incentivar a sororidade e não essa rivalidade boba entre mulheres.
    De qualquer forma, adorei sua resenha e a sinceridade com que falou sobre a obra.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Olá,

    Quando esse livro estava no hype desejavam muito lê-lo, agora agradeço por não tê-lo feito. Antigamente esse tipo de história teria funcionado comigo, hoje ando meio cansada de romances bobinhos e superficiais.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Eu não conhecia a história, mas já não quero ler hahaha. Eu teria o mesmo problema que você, para gostar do livro. Não gosto de narrativas cansativas e muito menos quando a personagem é arrogante. Outra coisa, acho que esse tipo de história já é inadequada há um bom tempo, estamos vivendo em uma época de empoderamento, feminismo, a força da mulher e acho que colocar duas se matando por um cara já não é mais agradável de se ler, se é que algum dia foi. Mas enfim, a história pode funcionar para outro tipo de leitor, pra mim não.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bom?

    Eita que eu desanimei de ler o livro. Realmente pensei que seria um Diário da Princesa brasileiro, mas não chegou nem perto. Sério, em pleno 2018 e ter "briga" de mulher por causa de homem? Nós já temos tantas coisas para enfrentar por ser desse gênero, para brigarmos uma com as outras? E odeio quando as personalidades não condizem com as atitudes e, só dela ter essa rivalidade com a outra, já diz o quão superficial ela é. Pelo jeito, é uma obra que eu vou passar mais raiva do que prazer ao ler, então dispenso a leitura.

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação, mesmo assim :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  19. Olá Ivi, eu também não me envolvo com histórias desta forma. São tantos clichês que não encontrei nada de atrativo na trama. A protagonista na minha visão é bem chatinha, o que torna tudo muito difícil e arrastado de ser acompanhado. Prefiro nem arriscar.

    ResponderExcluir