7.3.18

Mauricio

Ficha Técnica:
Nome Original: Mauricio – A história que não está no gibi
Autor: Mauricio de Sousa (em depoimento a Luis Colombini)
País de Origem: Brasil
Número de Páginas: 336 páginas
Ano de Lançamento: 2017
ISBN:  978-85-68377-14-7
Editora: Primeira Pessoa
Compre AMAZON

Mesmo não sendo tão fã de histórias em quadrinhos, fiquei curiosa por conferir esse livro porque Mauricio de Sousa é uma das pessoas que minha mãe mais admira, sempre comenta que aprendeu a ler com seus gibis e ficou super emocionada ao conhecê-lo pessoalmente na Bienal do Livro de SP em 2014.

A narração do livro é em primeira pessoa e Mauricio conta a história de sua família e seu nascimento, uma criança tímida que gostava de desenhar e o estímulo dos pais para as artes (cinema e livros). Menciona também que ao procurar emprego como desenhista aos 19 anos, ouviu que deveria desistir, já que desenho não dava dinheiro nem futuro para ninguém. Teve dificuldades na escola, propostas e projetos de trabalho que não deram certo, problemas financeiros durante boa parte da vida e tomou decisões bem corajosas para a época em busca de seu sonho.
“Personagens são como pessoas, tem suas características, suas idiossincracias e manias. Como gente de carne e osso, também mudam com o tempo, de aparência ou comportamento, evoluindo sempre, de um jeito ou de outro” – página 69.
Começou desenhando só personagens masculinos, os primeiros foram Franjinha e Bidu (em 1959), sendo que Horácio é o único desenhado por ele mesmo até hoje. As primeiras personagens femininas foram Mônica em Magali, em homenagem as filhas. Fiquei surpresa ao perceber que Mauricio de Sousa tem 10 filhos e que foram criados personagens em homenagem a todos eles, sendo Mônica e Magali as de maior sucesso.  Seus personagens são “gente como a gente”, comuns e graciosos, ele não aceita que tenham ideologias políticas e o primeiro gibi foi lançado em 1970 e com o tempo, os personagens da Turma da Mônica se tornaram ídolos para o público infantil, que teve a oportunidade de nomear Sansão e Mingau.

Sempre aproveitou oportunidades e inclusive criou cenário para o primeiro programa da apresentadora Xuxa. Achei interessante serem citados alguns projetos que não saíram do papel por diversas circunstâncias, como o personagem do jogador Maradona e Ronaldo ou os relacionados ao circo Vostok e a evolução das histórias, agora também publicadas no Twitter ou no canal da Turma no Youtube.
“Se enxergo uma possibilidade, não sossego até materializá-la, testá-la, consumá-la. Muita coisa deu errado. Mas muita coisa também deu certo. O único jeito de descobrir é tentando” – página 294.
Há uma série de fotos familiares, de eventos profissionais ou momentos importantes da vida de Mauricio de Sousa, o que enriquece a leitura. A mensagem do livro é de persistência, gratidão, apoio e da importância de aproveitar as oportunidades e demonstra que nem sempre o que pensamos ou pretendemos dá certo, mas nem por isso devemos desistir dos nossos sonhos, já que o garoto do interior que não terminou o Ensino Fundamental hoje é um dos autores brasileiros mais famosos, pois venceu seus desafios e se superou, tendo até uma cadeira na Academia Paulista de Letras pela sua contribuição a literatura infantil.
“Raros são os autores, no Brasil e no exterior, que podem dizer que foram lidos com o mesmo prazer por avós, filhos e netos. Ou que carregam na bagagem a honra e o privilégio de saber que suas criações, com gibis ou livrinhos agindo como cartilhas informais, ensinaram pelo menos três ou quatro gerações a ler – disparado, meu maior orgulho” – página 294.
Reconheço que durante a leitura, relembrei vários fatos da minha infância, como quando fui ao Parque da Mônica (na época ainda no shopping Eldorado) e saí de lá bem feliz e me sentindo adulta com um talão de cheque do banco Nacional oferecido pelo “banco” instalado no Parque e até hoje posso ler uma história (em um gibi ou pela internet) ou tomar um suco em que Mônica e sua turma aparecem na embalagem, o que prova que os personagens de Mauricio de Sousa realmente atravessam gerações. Também fiquei curiosa para conhecer as histórias em espanhol (Mónica y sus amigos) e conferir as aventuras da turma no idioma que eu amo.
“Enquanto eu estiver por aqui, saiba que foi você quem sempre alimentou meus sonhos. Depois que eu partir, não se esqueça de que ideias, e também sonhos improváveis, é que movem o mundo. De um jeito ou de outro, sempre estarei com vocês” – página 300.
Biografia honesta, relata vários momentos, tanto de sucesso como de fracasso e decisões corretas ou não, tanto na vida pessoal como na profissional, interessante para quem seja fã de Mauricio de Sousa, de histórias em quadrinhos ou da Turma da Mônica.


Um pouco sobre o autor: Mauricio de Sousa nasceu em 27 de outubro de 1935, numa família de poetas e contadores de causos, em Santa Isabel, no interior de São Paulo. Ainda criança, descobriu sua paixão pelo desenho e começou a criar os primeiros personagens. Com 19 anos, tentou trabalhar como ilustrador na Folha da Manhã (hoje Folha de S.Paulo). Conseguiu uma vaga de repórter policial.  No ano de 1959, publicou sua primeira tira, com o garoto Franjinha e o seu cãozinho Bidu. E logo espalhou seu trabalho por jornais de todo o país. Em 1970, quando já contava com um estúdio com diversos profissionais, lançou a revista Mônica, que abriu caminho para títulos de outros personagens. O sucesso extrapolou os quadrinhos e chegou ao cinema, ao teatro, à televisão, à internet, aos parques temáticos e até a exposições de arte. Mauricio de Sousa ocupa a cadeira número 24 da Academia Paulista de Letras e possui vários livos publicados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário