27.11.20

Deve Ser Muito Ruim Dormir Sem Mim Book Tag


Oi gente que ama livros, hoje venho responder a tag Deve Ser Muito Ruim Dormir Sem Mim, criada pela Paola do Livros e Fuxicos e inspirada na música de mesmo tome da Manu Gavassi e Glória Groove.

Eu achei as perguntas muito divertidas e foi ainda mais divertido respondê-las. Confiram:

1: Larguei até o livro que eu estava começando a ler só para te ver sofrer por mim: Um livro que foi abandonado sem dor no coração.
 
O Símbolo Perdido (Dan Brown): Ganhei este livro como presente de aniversário em 2010 e estava mega hypado na época. Comecei a ler alucinada, acreditando que eu me uniria as milhares de pessoas que liam e amavam o enredo, mas não foi o que aconteceu comigo, me arrastei até a página 90 e o abandonei, chateada por ter investido um tempo em um enredo que não me envolveu. 
Sinopse: Depois de ter sobrevivido a uma explosão no Vaticano e a uma caçada humana em Paris, Robert Langdon está de volta com seus profundos conhecimentos de simbologia e sua brilhante habilidade para solucionar problemas. Em O símbolo perdido, o célebre professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon - eminente maçom e filantropo - a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá, descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e ao que tudo indica correndo grande perigo. Mal'akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem o encontrasse. Está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode localizá-lo. Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian. Neste labirinto de verdades ocultas, códigos maçônicos e símbolos escondidos, Langdon conta com a ajuda de Katherine, irmã de Peter e renomada cientista que investiga o poder que a mente humana tem de influenciar o mundo físico. O tempo está contra eles. Muitas outras pessoas parecem envolvidas nesta trama que ameaça a segurança nacional, entre elas Inoue Sato, autoridade máxima do Escritório de Segurança da CIA, e Warren Bellamy, responsável pela administração do Capitólio. Como Langdon já aprendeu em suas outras aventuras, quando se trata de segredos e poder, nunca se pode dizer ao certo de que lado cada um está. Nas mãos de Dan Brown, Washington se revela tão fascinante quanto o Vaticano ou Paris. Em O Símbolo Perdido, ele desperta o interesse dos leitores por temas tão variados como ciência noética, teoria das supercordas e grandes obras de arte, os desafiando a abrir a mente para novos conhecimentos.

2: Se eu fosse mais nova Eu cederia sim: Um livro favoritado na adolescência e que agora não seria 

Com muita dor no coração, eu cancelei um livro que amei na adolescência, mas ao reler já adulta, problematizei fortemente algumas decisões do autor. Em A Marca de Uma Lágrima (Pedro Bandeira) temos Isabel, uma garota de 14 anos que tem uma autoestima baixíssima. Ela considera o seu reflexo no espelho como seu mais cruel inimigo e a imagem que tem de si mesma é muito negativa. Ela se acha feia, gorda e desinteressante. A narrativa inicia-se com um convite para a festa de aniversário de seu primo Cristiano que está de mudança para a cidade onde Isabel mora e ela convida Rosana para acompanhá-la nesta festa. Ao rever Cristiano, Isabel se apaixona por ele, porém, ele se interessa por Rosana. Deixada de lado na festa, Isabel conhece Fernando, um garoto da escola que se mostra muito atencioso com ela, mas não o suficiente para que esqueça Cristiano. Um trecho inicial do livro me incomodou muitíssimo e passei grande parte da leitura o considerando. Aos 14 anos, Isabel está na festa do primo adolescente, bebe 3 copos de uma bebida alcoólica, fica tonta e bêbada. É beijada por um menino que sabe que ela está alcoolizada e que no final é considerado um herói. Essa questão dele beijá-la sabendo que ela estava bêbada me causou uma aversão forte e sinceramente não sei como que interpretei isso quando li o livro pela primeira vez, mas agora, já adulta, não enxergo de forma normal. Para mim foi abuso!

3: Vejo sua leve Não tão leve Obsessão em mim: Um autor (a) que virou sua obsessão 

Quem? Quem? Quem? John Boyne, sempre e para todo sempre, amém!!! Meu primeiro contato com o autor foi através do popular O Menino do Pijama Listrado e já me despertou a curiosidade em ler mais obras dele. Após isso acontecer, ele dominou a minha vida literária. Este homem é bem difícil de ser stalkeado, porque ele cancela os perfis dele nas redes sociais de vez em quando e fico desesperada achando que ele sumiu e nunca voltará a publicar, depois volta do nada e descanso meu coração. Houve uma época em que ele respondia os twittes ao ponto de termos uma conversa via Twitter, mas isso faz parte do passado porque atualmente ele nem vê as mensagens. Mas ainda assim, sigo vasculhando a internet para nunca perder nenhuma novidade!!!

4: Meu estilo é clássico Amor pra poucos: Um livro clássico que todo mundo ama, menos você

O Ateneu (Raul Pompeia). Este foi o único livro de leitura obrigatória no colégio que não consegui ler. Curiosamente, foi leitura obrigatória também na faculdade e outra vez tive que fazer uma leitura ultradinâmica porque não conseguia me envolver no enredo. 
Sinopse: O Ateneu constitui uma das obras-primas da literatura brasileira. Autobiográfico, o livro mostra o jovem autor como personalidade sensível que se transformou em crítico impiedoso do que viveu e viu na adolescência passada no colégio interno. A obra retrata o doloroso processo de transição da infância à idade adulta.






5: Meu humor é ácido: Um livro que deveria ser divertido, mas não foi

Eleanor Oliphante Está muito Bem ((Gail Honeyman). Eu me interessei pelo livro após uma indicação de chicklit que via de regra são livros engraçados, mas esse não tem nada engraçado, apesar de ter se tornado um favorito. A história traz a Eleanor, uma mulher escocesa de trinta anos que tem um dia a dia muito sistemático. Ela trabalha na área administrativa de uma agência de marketing e é responsável pela contabilidade. Mora sozinha e sabemos que alguma coisa aconteceu no seu passado devido a cicatrizes em seu rosto. Eleanor não tem amigos e sua vida se resume em ir de casa para o trabalho e do trabalho para casa, aos finais de semana é acompanhada de uma garrafa de vodka, já planejando os próximos dias de sua rotina imutável. Seus companheiros de trabalho vez ou outra zombam dela e embora Eleonor já seja uma adulta e saiba se defender, se sente fragilizada porque ninguém se aproxima de fato. Até que uma noite Eleanor vê um rapaz de longe e se apaixona. Decide mudar alguns aspectos na sua vida com o objetivo de se aproximar dele e chamar a sua atenção, sendo que praticamente ao mesmo tempo, também conhece Raymond, um colega de trabalho que vai consertar seu computador. Mesmo sem querer a menor aproximação com Raymond, eles ajudam um senhor que passa mal na rua e a partir disso, a amizade dos dois se estreita ao mesmo tempo em que ela segue investindo em si mesma para conquistar o homem por quem se apaixonou.

6: Quando acha que entendeu Eu nem tô mais aqui: Um livro com o final surpreendente e confuso

Caixa de Pássaros (Josh Mallerman): O livro nos traz um caos que começou no Alasca, continuou em Yakitsky e mais tarde em Omsk, na Rússia. Ninguém sabia explicar direito o que era, apenas que após ver algo, a pessoa surtava completamente e cometia suicídio. O mundo acompanhou as notícias nos primeiros dias esperando respostas, porém, quando começou a acontecer por todos os lugares, inclusive perto de suas casas, o pânico se instaurou. Ninguém mais foi trabalhar, as farmácias e mercados foram saqueados, as pessoas tentavam fugir. Antes de toda essa confusão, Malorie morava com a irmã Shannon nos arredores de Detroit, e quando as notícias começaram a aparecer ela descobriu estar grávida, porém, não teve tempo de pensar sobre isso pois tudo virou simplesmente um caos. As pessoas se trancaram em suas casas e cobriram as janelas, era proibido olhar para fora ou para qualquer outro lugar em que você não tivesse completamente certeza do que veria. Ninguém que “viu” o que causava esse surto sobreviveu para contar a história. O livro é instigante, inquietante e diferente. É um suspense psicológico que mexeu comigo e com os meus sentidos. É uma história que me deixou intrigada e curiosa e que me deu o poder de decidir sobre o que queria acreditar. Usei a minha imaginação, abri minha mente e mergulhei junto com os personagens na escuridão.

7: Claro posicionamento político Laço no cabelo E bom senso crítico:
Uma personagem literária inspiradora

Escrito nas Estrelas? (Aione Simões): O livro traz a Nanda, uma universitária de 21 anos que acabou de terminar um relacionamento de dois anos. Sem muitos argumentos, Vinícius decidiu terminar o namoro e este término deixa Nanda muito abalada. Faz com que ela reflita sobre seus outros relacionamentos e descobre que eles têm algo em comum: são do signo de escorpião. Ao estudar um pouquinho mais sobre o assunto, Nanda acredita que o signo ideal para ter um relacionamento seria Peixes e traça todo um plano para que possa conhecer rapazes deste signo e assim descobrir o amor da sua vida. O livro se desenvolverá sobre esta jornada e para tanto, Nanda precisará da ajuda de uma prima e o apoio de sua melhor amiga. Isso tudo acontece enquanto ela precisa concluir seu estágio na administração de um restaurante e também terminar seu TCC. Como boa estagiária que agrega positivamente ao local de trabalho, Nanda acredita que será efetivada na empresa, mas é surpreendida quando o sobrinho do dono do estabelecimento é contratado e ela deve ensinar o serviço que ele executará quando ela não estiver mais ali. Nanda não é nenhuma militante ativa ou feminista calorosa, mas as pequenas atitudes tomadas em relação a si mesma e as pessoas ao seu redor que me deixaram inspirada a ser um ser humano melhor.

8: Deve ser horrível dormir sem mim Sem mim
: Uma história que te roubou o sono

Dias de Despedida (Jeff Zentner). O livro nos traz o Carver, um adolescente que começa a história indo a um velório. Na verdade, é o terceiro velório em um espaço de três dias e nos primeiros parágrafos descobrimos que seus três melhores amigos morreram em um acidente de carro enquanto iam ao encontro dele. Blake, Eli e Mars morreram quando o carro bateu em um caminhão estacionado. Carver se sente extremamente culpado pelo acidente porque havia mandado uma mensagem para Mars e tudo indica que o amigo tentou responder essa mensagem enquanto guiava o carro. Além da culpa devastadora que Carver sente e o luto por perder seus melhores amigos, ainda há o medo, pois a família de um dos meninos mortos quer que ele seja responsabilizado pelo acidente. Nem todos pensam como essa família, inclusive Betsy (a avó de um dos meninos) que ainda tem muito carinho e consideração por Carver pede para que ele faça um dia de despedida com ela, para que consiga assimilar emocionalmente essa perda. Carver aceita e o livro se desenvolverá em ele fazer dias de despedida com as famílias dos meninos, com o objetivo de dar um encerramento digno para a história de cada um deles. Este livro consumiu o meu emocional e eu não conseguia parar de ler.

Essas foram as questões da tag e eu espero que vocês tenham curtido. Já leram alguns desses livros? Quais seriam as suas respostas para a tag. Deixe nos comentários e vou adorar conferir.

Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário