24.4.20

Quatro Estações (Stephen King)

Ficha Técnica:
Nome Original: Different Seasons
Autor: Stephen King
País de Origem: Estados Unidos
Tradução: André Costa
Número de Páginas: 367
Ano de Lançamento: 1982
ISBN-13: ISBN-13: 9788573023497
Editora: Objetiva

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 27º livro lido em 2020 e foi Quatro Estações (Stephen King). Há muito tempo quero ler este livro, mas sempre tive um pouco de apreensão porque nele está o conto que baseou um dos filmes que eu mais amo na vida e tinha medo de gostar mais do conto que do filme. Sim, este livro traz quatro contos e três deles se tornaram filmes de sucesso. Já assisti dois e adorei, um deles ainda quero conferir. Porém já adianto que os quatro contos foram incríveis e me arrependo muito de não ter lido o livro antes.

O primeiro é A Primavera Eterna – Rita Hayworth e a Redenção de Shawshank. Este foi o conto que baseou o premiadíssimo filme Um Sonho de Liberdade, o filme com a nota mais alta na crítica mundial e de fato, perfeito em vários aspectos. Voltando ao conto, aqui temos a história de Andy Dufresne, acusado do assassinato da esposa e de seu amante e condenado a prisão perpétua na penitenciária de Shawshank. Andy passa duas décadas ali e do primeiro ao último momento, é um preso incomum por sempre fugir das confusões e tentar fazer algo útil com seu tempo. Organiza uma biblioteca, ajuda presos a conseguirem os diplomas de primeiro e segundo grau e de quebra, torna-se o administrador financeiro do diretor da prisão. Forma uma amizade maravilhosa e exemplar com Red, outro condenado e não abaixa a cabeça para as engrenagens do sistema. Num universo de opressão por interesses, abusos e sem perspectivas, ele mantém acesa a chama da esperança e mostra que paciência e persistência são virtudes essenciais em determinadas situações. O conto é narrado por Red e ele nos apresenta o funcionamento e a rotina diária de Shawshank ao mesmo tempo em que relata sua relação de quase irmão com Andy.


Dizer que esse foi o meu conto favorito é complexo porque os outros três também são perfeitos, mas minha relação afetiva com esse enredo não me faz ser imparcial e sem dúvida foi o meu favorito, até porque a adaptação cinematográfica foi extremamente fiel, diálogos e digressões são praticamente literais dentro da narrativa. O conto só fez o meu amor pelo filme aumentar ao mesmo tempo que também adorei a história escrita.

O segundo conto foi Verão da Corrupção – Aluno Inteligente. O mais longo dos contos foi o que mais me chocou. Aluno Inteligente é daquelas histórias que crescem a cada novo desenrolar dos fatos e desembocam numa sequência final perturbadora e desconfortável. O conto nos traz Todd, um garoto que é aficionado pelas histórias envolvendo o nazismo e seus campos de concentração. Ele devora livros e revistas sobre o assunto até o dia em que descobre que seu vizinho Dussander é um ex-oficial de Hitler, conhecido por sua extrema eficiência em matar. Todd o confronta e o chantageia fazendo com que o idoso conte todas as histórias da guerra para ele e se Todd sentir que Dussander está escondendo algo, irá até as autoridades para revelar sua identidade.  

King nos leva para um passeio pela natureza sombria do homem e pelo que escondemos em nosso interior. A relação desenvolvida entre Todd e Dussander, cheia de reviravoltas, é envolvente e nos faz questionar onde estão os limites entre o simples conhecimento de algo e o sadismo e a loucura. Este conto foi adaptado para o filme O Aprendiz que eu espero assistir em breve.


O terceiro conto foi Outono da Inocência – O Corpo. Talvez seja a história mais famosa por ter gerado o filme Conta Comigo, um dos clássicos da Sessão da Tarde que embalou a infância de muita gente. O conto nos traz a jornada de um grupo de amigos para matar a curiosidade em ver alguém morto, parece um enredo simples, mas King a transforma num rito de passagem da infância. É o momento em que questionamentos aparecem e é preciso um mínimo de maturidade, mesmo ainda não sabendo o que é isso, para encará-los e respondê-los. Uma história sobre como os laços de amizade se formam, fortalecem, enfraquecem e como isso influencia no adulto que nos tornaremos. Temos mais uma prova da capacidade de Stephen King em construir excelentes e convincentes personagens infantis e nos emocionar através deles.

Por fim, o quarto conto é Inverno no Clube – O Método Respiratório, a única história com leves sugestões de sobrenatural. O conto traz um grupo de homens que se reúne numa espécie de clube para contar histórias macabras e a história mais assustadora de todas é sempre reservada para ser contada na véspera do Natal. No conto, acompanhamos a narrativa de um médico cuja paciente grávida estava disposta a tudo para dar à luz em segurança. Tudo corre bem até a parte final, que soa estranha e bizarra. Apesar de o conto Aluno Inteligente ter me deixado impactada com a dose de violência, este me chocou nos parágrafos finais. 


Existem algumas menções interessantes ligando todo o universo entre os quatro contos, como também com o universo do autor, como a cidade em que se passa o conto O Corpo ser a mesma dos livros Cujo e Zona Morta. Acredito que devam existir até mais referências, mas essas duas estão bem pontuadas nas narrativas.

Enfim, adorei a leitura e isso só me faz engrossar o coro de fãs de Stephen King que não cansam de elogiá-lo. Eu também tenho me tornado uma fã do autor e comprovado que suas histórias se mostram eficazes tanto nos livros como nas telas.

Adorei!!!


Um pouco sobre o autor: Stephen Edwin King é um escritor americano, reconhecido como um dos mais notáveis escritores de contos de horror fantástico e ficção de sua geração. Os seus livros venderam mais de 350 milhões de cópias, com publicações em mais de 40 países. Livros do autor que eu já li:

1979 – A Zona Morta 
1982 – Quatro Estações
1983 – O Cemitério 
1986 – It - A Coisa 
1987 – Misery – Louca Obsessão
1996 – À Espera de Um Milagre
2006 – LOVE: A História de Lisey 
2009 – Sob a Redoma 
2011 – Novembro de 63 
2017 – Belas Adormecidas

3 comentários:

  1. Olá Ivi, tudo bem ?
    Eu nunca li nada dele, não sei, tenho uma reserva e assim está. Não sabia destes contos e nem que todos haviam virados filmes, muito menos sobre Um Sonho de Liberdade, que é um P de um filme e realmente, conseguir ser melhor, seria algo arrebatador demais, fico feliz de saber que foi fiel.
    Sensacional.
    Eu creio muito no que é relatado em que é O Aprendiz.
    Passando só para te visitar.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ivi!
    Apesar de já ter assistido diversas adaptações dos livros do Stephen King (e adorar várias), ler mesmo, eu li só dois livros - sendo que um eu amei e o outro eu achei ok. Tenho vontade de ler outros livros dele, mas primeiro preciso achar uma trama que realmente me interessa e depois achar tempo, rsrs. Esse ano já vou ler um livro de contos dele. Vamos ver no que vai dar.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/2020/04/resenha-apenas-um-ano-livro-2.html

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ivi!
    Adorei saber que o Stephen King tem esse livro de contos! Eu ainda não li nada do autor e acho que pode ser uma ótima forma para começar! Ainda mais porque esses contos deram origens a filmes que eu já conheço e gosto tanto!!
    Fiquei super empolgada agora!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir